My name is Patthy... Bondgirlpatthy

Bem - vindos ao meu cantinho virtual . A "casa" está sempre aberta à todos que queiram vir aqui ler e comentar meus posts. Este blog não tem compromisso jornalístico portanto não tem compromisso com a imparcialidade. Mas o meu compromisso com a democracia continua. Aqui toda opinião é importante e respeitada. Fiquem à vontade, a "casa" é de vocês. Voltem sempre q quiserem . Um beijo com muito carinho e obrigada.


segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Minha visita à Taça do Mundial de Clubes

As duas conquistas do Mundial da FIFA (esq  2000 e dir 2012)
Pois é, antes de 2012 acabar eu não podia deixar de registrar com muito orgulho a minha visita à taça do Mundial de Clubes da FIFA conquistada no último domingo dia 16 em Yokohama - Japão.
Algumas coisas nunca mudam: Meu orgulho e alegria, não apenas por este título mas principalmente em ser Corinthiana. Quem sentir a mesma coisa que sinto eu nem preciso explicar o que é. Quem não sentir, sinto muito mas explicar não dá porque jamais vão compreender. Entrar novamente no lindíssimo Memorial do clube é sempre a mesma alegria que se renova e não poderia deixar de ser diferente no sábado dia 22 quando fui. Desta vez a fila não estava tão enorme mas dá para entender, afinal choveu muito em São Paulo e as pessoas preferiram não sair de suas casas ou foram pela manhã. Eu fui à tarde e já não estava tão ruim o tempo. A taça é linda, imponente mas não é grande e deve ser até pesadinha. Tão pesada quanto a responsabilidade e a serenidade necessárias para conquistá - la.
E o espaço destinado no Memorial? Como sempre maravilhoso! Como os "meninos" que trabalham lá são tão rápidos e caprichosos. Um imenso painel com o mapa - mundi sinalizando os locais das conquistas e também os selos da FIFA.
 
 
Olha que espaço lindo, difícil tirar a foto de frente por causa das muitas visitas
Flashes pipocando a todo tempo, tudo muito organizado e um dos funcionários que cuida do Memorial, David, além de orientar atacava de fotógrafo com uma paciência incrível. Eficiência e simpatia como sempre. A primeira estimativa de visitas foi de 6 mil pessoas só no primeiro dia.
E por falar em visitas, no começo do texto me referi ao título Mundial de 2000. Nem adianta discutir comigo, respeito o ponto de vista de todos que não concordam com isso. O fato é que euzinha segurei o "mundo" com minhas próprias mãos. É um pouco pesadinho mas é uma sensação muito legal.
 
Taça do primeiro Mundial de Clubes da FIFA foto tirada em 2000
 
 
E como consegui isso? Em 2000 estava no Corinthians para mais uma aula de natação. Quando passei pela porta da antiga presidência, um dos seguranças que lá estavam, me chamou e disse que a taça do Mundial já estava lá. Olhei, tirei fotos, beijei. Aí ele perguntou se eu gostaria de segurá- lá. Quase morri de tanta alegria e tremia muito quando o seu Edgar (que já saiu do clube e espero que esteja bem) entregou a taça. Ela é pesada, deve ter uns 10 ou 15Kg. Não tenho como explicar! Quem puder ter essa sensação de segurar um troféu importante que seu time conquistou vai me entender, especialmente se for corinthiano. Dedico esse texto ao time do Corinthians desde o Tite até o último jogador que esteve na reserva, especialmente ao Paolo Guerreiro e seus gols nos dois jogos e ao Cassio, o goleiro - muralha e suas defesas "de outro mundo".
Um Feliz 2013 para todos e muita Paz. Cheers, shaken not stirred! E viva o melhor time do mundo o Corinthians!

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

I am invencible: E o mundo continua. Aguardando 2013

Calendário Maia
Eu, assim como milhões de pessoas sempre ouvi dizer que o mundo iria acabar dia 21 de dezembro de 2012 por causa de um cálculo de tempo feito há muitos séculos atrás. E se o mundo tivesse acabado mesmo, como uma simples mortal estaria viva escrevendo esse post agora enquanto ouve música pela Rádio Disney? Isso ninguém pode explicar não é? 
O calendario Maia foi feito por seres humanos e humanos cometem erros de cálculo também. Haja visto as odisséias espaciais e a própria invenção do avião que com certeza exigiram anos de cálculo e estudo de seus inventores que até "acertarem a mão" erraram e refizeram tudo até dar certo.
O que me diverte mais é ver esse povo maluco que literalmente acreditou nisso e construiu casas abrigo, estocaram provisões e o mais grave: fizeram tudo que tinham vontade desde torrar o cartão de crédito, mandar o chefe para aquele lugar até trair a pessoa com quem se casou sem ligar se foi pego. E quando acordou hoje de manhã deu de cara com a "sobrevivência" e as consequências dos seus atos insanos.
É claro que também não sei se chegarei até o fim do dia viva, como ocorre em todos os outros dias mas se eu morrer o mundo acaba para mim e para os demais que morrerem hoje. Para os que permanecerem vivos o mundo continuará até que a hora deles chegue. Minha mãe sempre diz: ninguém é eterno.
Em outras datas também já houve esse tipo de paranóia em 2000 por causa do bug do milênio que nem houve pois os computadores foram preparados para isso e também em 11/11/2011 e 12/12/2012 datas místicas. A única coisa que realmente é certa é que jamais existira um 13/13/ 2013.
Para comemorarmos separei as melhores piadas de internet para a gente dar umas boas risadas. Divirtam - se um Feliz Natal e um excelente 2013.
 
 
Piada para  nerds (compartilhada através de Mary Farah)

Piada para corinthianos (compartilhada através de Ricardo Nóia)
Piada para Cristãos (compartilhada através de Ana Maria Tibério)

 

Piada para Chavesmaníacos (compartilhado através de Fã Clube Chespirito Brasil)


 
Piada para bondmaníacos (compartilhada através de pesquisa no Google)
 
 

domingo, 16 de dezembro de 2012

Vai Corinthians! Abraçar o Mundo

"Para conquistar o mundo é preciso atravessá - lo", frase muito comum em faixas exibidas em jogos por torcidas adversários que também conquistaram o Mundo depois de vencer o Torneio Intercontinental que tinha peso de mundial por um regulamento da época e por isso ignoram o Mundial conquistado diante do Vasco no Rio de Janeiro em 2000. Desistam se querem discutir comigo qualquer coisa a respeito disso. Até porque este ano fizemos aquilo que os adversários nos cobraram, atravessar o mundo. Já que atravessamos o que falta agora?
 
 
Time campeão do Mundial de clubes da FIFA - Japão 2012 foto: MSN Brasil
 
Novamente estava eu nervosíssima, coração na boca e quase sem ar. Ainda acabando de acordar e com o rádio ligado na Transamérica para ouvir o jogo enquanto me arrumava e tomava o café. Eu queria assistir ao jogo na Band como sempre faço por gostar muito do Neto e da empolgante narração de Luciano do Valle. Mas já nos primeiros minutos fiquei nervosa quando o jogador do Chelsea fez uma jogada dessas sensacionais e Cássio defendeu de uma maneira tão inacreditável e perfeita com frieza e firmeza.
Resolvi que continuaria apenas ouvindo pelo rádio e a TV ligadinha na maratona dominical do Chaves no SBT. E colocava na Band por vezes para ver algum gol ou mesmo um lance que eu considerava importante. E ali, de mãos postas, coração na boca até que aos 23 min e 50 seg do segundo tempo Paolo Guerreiro fez o gol que precisávamos.
 
 
Corinthians 1x Al Ahly 0 dia 12/12/2012 ao lado dos colegas, professores e recepcionista da natação no Corinthians
 
 
O Chelsea que parecia estar totalmente perdido, era uma sombra do time quase imbatível que o mundo inteiro conhece, teve ainda lances que lembravam a todos quem o Corinthians estava enfrentando. Cássio fez mais seis lindas defesas que com certeza resultariam em gols se ele não fosse o goleiro. Por muitas vezes, para acalmar o coração recitei a poderosa oração de São Jorge, padroeiro do Corinthians e também da Inglaterra , terra do Chelsea. Isso parece ter refletido até no Japão porque o Corinthians parecia numa armadura intransponível onde a única força que passava era o grito da própria torcida e todo amor de quem "invadiu" a terra do Sol Nascente e também de quem ficou no Brasil espalhada em bares, praças, clubes e casas grudados na TV num domingo em que ninguém que fosse Corinthiano reclamou de acordar cedinho no fim de semana.
 
Charge comemorativa compartilhada no Facebook foto: Aqui é #Grandeza
 
 
E o tempo passa... como diria Fiori Gigliotti, saudoso narrador. Ataques daqui e dali e um ensaio de pressão por parte do time da terra de 007 no finalzinho para deixar tudo com mais emoção. Expulsão, gol anulado do Chelsea até que o juíz apita o fim de jogo.
Novamente comemoro gritando e pulando. E ao entrar na internet percebo que torcedores de outros times não postam piadas, preferem tratar de "outro assunto" nas redes sociais. Amigos que passaram a semana zoando no Facebook devem estar atônitos pois não vi suas habituais frases feitas que li a semana toda sem responder nem dar bola. Amigos e parentes que comemoravam com a mesma euforia de 4 de julho quando veio a Libertadores também não faltaram e claro que respondi com a mesma alegria. O vídeo abaixo com o desabafo emocionado de Neto, eterno ídolo corinthiano traduziu muito bem essa alegria sentida por 30 milhões de loucos espalhados pelo mundo.
O mundo ficou pequeno para o Corinthians! E a alegria foi grande, muito grande!





Prazer Chelsea, sou o Corinthians! Um brinde aos Campeões do Mundo ao bom e velho estilo Bond, shaken not stirred! Cheers!









 
 
 

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Alô criançada o Bozo voltou

Bozo nos anos 80 em seu programa na TVS foto: SBTpedia
 
 
Quase nunca assisto o Bom Dia e Compania no SBT. Prefiro muito mais assistir She Ra e He Man na Rede Brasil de Televisão (canal 50 UHF) que reprisa desenhos clássicos. E hoje antes de desligar a TV coloquei no SBT um pouco. E qual não foi minha surpresa ao ver algo que eu não via há 20 e tantos anos: um desenho animado do Bozo. Assisti com os mesmos olhos curiosos de quando era criança e uma mistura de sentimentos entre alegria e curiosidade povoou meus pensamentos.
O desenho terminou e quando já ia pegando o controle para desligar a TV e eis que tive outra surpresa ainda mais agradável: ao lado de Priscila Alcântara não estava Yudi Tamashiro, seu tradicional companheiro de cena, mas sim um velho conhecido das manhãs SBTistas, Bozo.
Eu fiquei sem palavras e sem ação pois sempre esperei esse dia.
Assistia o Bozo todos os dias, mais as reprises vespertinas já que pela manhã tinha aula. Nas férias e aos sábados assistia de manhã. Incontáveis e inesquecíveis momentos de muita diversão em que aprendi tanta coisa também. Nunca esqueci um Bozo Visita onde o palhaço visitava lugares curiosos como o Instituto Butantan e o Metrô e mostrava em capítulos curiosidades desses lugares. O metrô foi o lugar que nunca esqueci. Foi também através do Bozo que conheci desenhos e personagens que até hoje gosto de assistir.
E mesmo em tempos de "Xou da Xuxa", um fenômeno de 1986, nunca deixei o Bozo de lado. Fui uma "amiguinha" (assim Bozo chamava as crianças) até o fim, jamais fui uma "baixinha da Xuxa".  Adorava a "Família Bozo" formada por Vovó Mafalda, Papai Papudo, Professor Salci Fufu, Bozolina (uma voz embaralhada que era a "secretária" do Bozo), Bozolinda e Garoto Juca (único personagem que além de Bozo foi tirado dos desenhos animados e ganhou sua versão carne e osso), os demais foram criação brasileira para adequar o palhaço a um padrão brazuca (ele é criação do cartunista americano Larry Harmon). Tinha também os bonecos jurados que faziam parte da versão infantil do show de calouros, Zeca, Zico, Candinha e Maroca. Também tinha o trio Zecão, Lili e Macarrão que eram como caipiras do interior.
Minha única frustração foi nunca ter ido a um programa dele para dar uma bitoca no nariz embora o tivesse visto bem de longe num show feito no Playcenter e também na Parada da Criança que o SBT promovia todo 12 de outubro inspirada na Parada das Rosas da Disney.
Tinha muita coisa, Lps, uma camiseta e um Bozo fabricado pela Estrela que se perdeu no tempo mas que haverei de recuperar.
Desejo que o Bozo faça sucesso novamente e espero um dia poder dar a bitoca no nariz dele que guardei por tantos anos, cheia do sentimento feliz que eu tinha enquanto assistia seu programa. Criança que gosta do Bozo é feliz feliz. E adulto que nunca esqueceu o Bozo com certeza tem  lembranças felizes no coração.  
 
Priscila Alcântara e Bozo na reestreia 20 anos depois foto:UOL
 

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Comunidade 007 Brasil encontra Jeffery Deaver numa noite inesquecível

Desde muito pequena toda minha família me incentivou a ler e a ter o gosto pelos livros, revistas e jornais. Muito especialmente meu saudoso avô João que mesmo sem ler ou escrever de maneira correta brigava com qualquer um que não deixasse eu espalhar os jornais de domingo pela sala e quando ia com ele à banca do Seu Antônio sempre voltava com um gibi novo. O tempo passou, cresci e o gosto pela leitura só fez crescer comigo. Sou doida por livros! Não vivo sem ler um só dia.
Quantas coisas li. E sempre gostei de escritores estrangeiros mas nunca menosprezei os nacionais se o livro era bom e até me tornei amiga de alguns deles além de continuar a ser fã.
 
 
Fui a muitas sessões de autógrafos, principalmente depois que encontrei minha "galera" na Comunidade 007 Brasil. Todas foram especiais mas nenhuma tão especial quanto a de ontem.
Apesar de ler escritores estrangeiros, nunca conheci nenhum deles de perto, seja porque já faleceram (como é o caso de muitos) ou pela distância entre seus países de origem e o Brasil.
E ao lado de meus amigos tão especiais vivi um momento ímpar como leitora. Participei da noite de autógrafos de Jeffery Deaver, escritor norte - americano autor do livro Carte Blanche, novo livro de James Bond, lançado há 3 meses e que com certeza daria um senhor filme e A Janela Quebrada, lançado ontem mesmo com bate papo que antecedeu a sessão de autógrafos.
Como moro um pouco distante do centro de São Paulo fica complicado chegar muito tarde. Pedi que Jeffery Deaver autografasse meus livros antes e ele foi muito solícito. Que surpresa ele me atender antes do previsto com uma delicadeza e uma atenção tão grande. E não só a mim mas a uma outra senhora que também estava lá. Que amor! Nunca me esquecerei dele!
 
Eu e Jeffery Deaver
Jeffery Deaver autografando meu exemplar de A Janela Quebrada
Jeffery também se mostrou paciente comigo. Meu inglês não é fluente e deve até conter muitos erros de concordância pois só sei o básico e não tenho com quem praticar. Apesar disso, consegui dizer à ele que gostei muito de ter lido Carte Blanche, que este livro deveria virar um filme e também que  Ian Fleming sentiria muito orgulho dele ao saber dos novos rumos literários que 007 tomou neste romance totalmente atual mas ao mesmo tempo cheio da sua essência original. Ele ficou feliz e com seu sotaque típico fez questão de me agradecer em meu idioma.
Durante a palestra notei o entusiasmo de um escritor que se dedica inteiramente aos leitores e também alguns pontos em comum entre duas pessoas nascidas sob o signo de touro (ele é do dia 06 de maio e eu do dia 02). Comprovei por exemplo que um livro escrito por Ian Fleming é mesmo atemporal. Jeffery leu o seu primeiro com 8 anos de idade, eu aos 28. Duas épocas distintas, duas gerações. Sem mencionar dois países, EUA e Brasil com costumes e idiomas diferentes. Apesar disso, sentimos a mesma coisa quando tivemos contato com o Bond dos livros pela primeira vez.
Isso só me fez sentir ainda mais vontade de ler "A Janela Quebrada" o quanto antes mas primeiro devo terminar de reler "Cassino Royale".
 
Autógrafo de Jeffery Deaver em Carte Blanche
E os amigos não podiam faltar para dividirmos juntos um momento ímpar como este que foi, sem dúvida, um dos mais maravilhosos. Entre risadas, conversas e muitos debates sobre nosso assunto preferido, Bond... James Bond que contagiou até Deaver que se aproveitou disso para nos perguntar como era o drink preferido do personagem e nos ouvir dar a resposta em coro alto e claro.
Resumindo: foi maravilhoso, único e especialíssimo. Agradeço por ter ido até lá. Obrigada mãezinha. Obrigada Editora Record por esta noite única. Thanks Jeffery Deaver, you are very sweet love e também obrigada ao meu avô que me mostrou o amor pelos livros. Sem palavras para expressar tanta felicidade. E parabéns Fábio por um evento de tão grande sucesso!
 
Entre amigos queridos um momento único dividido
 
Fábio (C007BR) e Bruno (Ed Record)
Jeffery Deaver durante o bate - papo com o público
 

terça-feira, 30 de outubro de 2012

007 Operação Skyfall ou deveria ser 007 Um Recomeço Glorioso?

Cartaz de 007 Operação Skyfall no Cinemark shoping Tatuapé legendado

 
 
Ele voltou! Com essas palavras ditas com uma voz embargada e dois fios de lágrimas que escorriam de meus olhos ao término da cena com Gun Barrell dourada, deixei a sala de cinema do Shoping Tatuapé onde assisti ontem acompanhada por minha mãe ao filme 007 Operação Skyfall, aquele que marcaria para sempre as comemorações de jubileu de ouro do espião mais charmoso e conhecido em todo mundo, meu amado James Bond. O coração da fã que oscilou durante as filmagerns entre temores, incertezas e sexto sentido gritando por sete longos meses ficou feliz e vibrou muito.
Logo no começo do filme já foi possível notar que não seria um filme como os demais feitos por Daniel Craig na pele de 007. Ele encontrou seu jeito de ser James Bond mas ao meu ver não superou as atuações de Sean Connery e Pierce Brosnan. Duvido que algum dia alguém consiga e provávelmente não estarei mais viva quando esse dia chegar.  Porém Craig se consolidou como o responsável pela mais ousada renovação da franquia 007.


Feliz por comemorar os 50 anos de 007




 
Houveram muitas cenas emblemáticas e vitais para que o Bond maníaco que sempre acompanhou tudo tão de perto começasse a entender que 007 estava, finalmente, voltando a ser aquele agente secreto que se tornou "o espião que nós amamos".
A primeira cena da morte de Bond. Expectativa, tristesa e agonia, tudo misturado que nem consegui respirar. Com direito até a obituário. E como alguém que diz "espere, não saia, não está tudo acabado" chega a voz da cantora Adele, maravilhosa como nunca mais se ouviu nem mesmo em música alguma com Skyfall. E que clipe! Digno de uma criação do saudoso Maurice Binder.
E logo começa a ação. O plano desta vez é hackear o MI-6 para invadir o sistema de segurança e roubar informações confidenciais do computador de M.
E é aí que começam a acontecer as coisas que o fã queria. Primeiramente, a volta do Major Boothroyd, o Q e seus gadgets. Bem mais moderno, mais cyber, mais nerd, mais atual que continua a ser um exímio armeiro. A cena clássica de entregar e explicar à Bond como funcionam as "engenhocas" e ordenar (em vão é claro) que tais equipamentos sejam devolvidos intactos. Saudades de você Desmond  Llewelyn!
O vilão responsável por tão audacioso plano é Raoul Silva, um brasileiro ex - agente do MI-6 que resolveu trair a confiança de todos e dar fim à vida de M usando contra ela seu sistema. Referência clara e moderna do Jaws de 007 contra o Foguete da Morte que teve cenas rodadas no Rio de Janeiro, Brasil.
E para o ponto alto do filme, uma frase que definiu tudo até o fim da estória e que me fez voltar até sábado passado na CON 007 e lembrar de uma coisa tantas vezes repetida por vozes, frases e sotaques diferentes: Que James Bond precisava sair dessa "amnésia" que foi o filme "Quantum of Solace" e voltar para seus fãs. Agora entendo o que queriam dizer.
Bond entra no velho Aston Martin DB5 e vai de encontro seu passado, de sua família. Retornando pela primeira vez ao rancho Skyfall onde viveu com a tia após a trágica morte de seus pais Andrew e Monique Bond (quem desconhece essa informação sugiro que leiam os livros de Charlie Higson da coleção O Jovem Bond). Lá usa a arma de seu pai com as iniciais dele gravadas para combater o mal.
Não contarei os detalhes da cena, só sei que depois de estar ali é que o cerco se fecha e tudo volta ao normal, inclusive o tão esperado reencontro com pessoas especiais que não direi quem são. Tem que ver o filme para descobrir.
E o final... bem, desta vez não foi com uma Bond girl mas com todos os fãs. James Bond voltou para nós.
Um último recado ao meu amigo Sérgio que de brincadeira insinuou que eu teria um encontro. Sim Serginho, tive um encontro sim... Um maravilhoso reencontro na verdade com ninguém menos que Mr. Bond... James Bond! Viva 007 Bond para sempre! Cheers!


Bond, I will return for see you












domingo, 28 de outubro de 2012

4ª CON 007 50 anos de James Bond e um turbilhão de emoções para meu coração

Cartaz CON007 site Comunidade 007 Brasil
Estou muito emocionada mesmo e muito feliz que mal consigo dormir de tanta alegria. Só Deus sabe o quanto eu queria estar (e o quanto eu precisava estar) neste evento, sobretudo nesses últimos meses da minha vida. O quanto eu precisava rever essas pessoas tão especiais e amigas que me apoiam no meu dia a dia mesmo na distância de um telefone ou de uma tela de computador. Amigos (as) obrigada por existirem e por eu ter encontrado cada um nos caminhos da vida. Amo vocês para sempre.
Sobre a CON , tudo como sempre impecável. Ano passado a equipe se renovou. Sangue novo, talentos descobertos e eu ali vendo tudo com um orgulho tão imenso de todos eles que mal cabia dentro de mim.
Na abertura, um dos meninos, Dantas, lindamente vestido com um smoking ao melhor estilo James Bond fez uma performace de cosplayer com ajuda de vozes gravadas numa cena em que ele no papel de 007 entrou para "comemorar" seus 50 anos. Sérgio e Miguel, com camisetas com o símbolo da SPECTRE  representavam os vilões que queriam "destruir" o evento. Mas é claro que Bond logo deu seu jeitinho e mostrou à eles que os "penetras" ali eram outros. Parecia o início de um filme de verdade com diálogos fortes e muita ação. Chorei o tempo todo emocionada com a bela atuação de todos e pelo turbilhão emocional que senti por várias razões.
 
 
Dantas durante a performace como 007
 
Sofisticação, elegância e precisão em cada gesto como um verdadeiro James Bond

 
Outra grande surpresa ficou por conta do encontro de duas épocas através de duas pessoas. Mary se vestiu e maqueou como uma verdadeira gueixa para representar Kissy Suzuki de Com 007 só se vive duas vezes, e nosso James Bond representando a época atual, a comemoração de 50 anos de um grande sucesso mundial. Claro que foram alvos de muitas fotos e de aplausos após tudo. E como estavam entrosados e lindos! Arrasaram.
 
Mary e Dantas como Kissy Suzuki e 007 lindos, perfeitos

 
Depois o vídeo de abertura editado pelos meninos talentosíssimos. O editor mudou mas a qualidade só cresceu. Criatividade correndo solta pela imaginação do querido Miguel com a experiência ímpar de Fábio e Marketto. Aí começou prá valer. Passaram vídeos do box de blu ray recheadérrimo de extras e claro, a música da genial cantora Adele não podia faltar. Foi a deixa para um papo sobre 007 Operação Skyfall.
Muitas perguntas, debates e comparações. Pelo que senti até agora esse filme trouxe 007 de volta aos padrões (assistirei no decorrer da semana ou no fim de semana mesmo, veremos como serão os próximos dias). Houve a modernização mas. a mistura única entre os tempos atuais e uma tradição de meio século está tão perfeita a ponto de fazer Eduardo Torelli, especialista no assunto 007 rever alguns conceitos de suas críticas até então ferrenhas à Daniel Craig . Não que meu amigo tenha mudado de ideia, só que neste filme Craig e todo o elenco estavam numa sintonia perfeita como nós sempre quisemos ver e que tanto esperamos. E claro que os meninos, sabendo que eu ainda não vi o filme, a todo momento me alertavam sobre spoillers ou sobre algo que eu tinha de reparar em cena. Brincalhões e divertidos! Aliás, brincadeiras de arrancar gargalhadas do fundo do nosso DNA são especialidades desses queridos que moram no meu coração!
Principalmente nos sorteios de brindes. Giu é "simple the best" nessa área sejam brincadeiras conosco e até consigo mesmo por sua grande (em todos os sentidos) presença de espírito. Amigo, você tinha que fazer um stand up solo é sério. E já fez pelo menos um aprendiz dessa arte, nosso amigo simpaticíssimo Sérgio. Alguém me explica o que era aquela cena hilária de Giu e Sérgio cantando todos os Bond Themes imitando os timbres das cantoras. Sinceramente prefiro as cantoras originais.
Quando estava num dos sorteios, Sérgio se aproximou de mim e disse que o colar que eu usava (uma réplica do nó argelino que Eva Green usa em Cassino Royale) era maravilhoso e que deveriam sorteá - lo. Agradeci o elogio e entrei na brincadeira. Em tempo, em um dos quase últimos sorteios, eu ganhei um livro de bolso de Cassino Royale e minha mãe um poster e camiseta comemorativa dos 50 anos que obviamente ficou para mim (risos).
Também foi falado brevemente do lançamento de Hurricane Gold de Charlie Higson da série O Jovem Bond. Será lançado em Fevereiro de 2013. Claro que vou ler e não vejo a hora!

Quiz valendo uma miniatura oficial de Pierce Brosnan medindo 55 cm. Uh bati na trave


 

Como "cereja no bolo" de 50 anos de nosso amado Bond houve um quiz sobre os Boxes Bond 50 valendo uma linda miniatura de 55 cm oficial de Pierce Brosnan. E ela não foi minha por questões de posicionamento. Reparem na foto acima nas cadeiras: Da esquerda para a direita: Tiago, eu, Dantas e Daniel. O sentido das perguntas foi feito ao contrário. Daniel errou sua resposta, a pergunta para Dantas era facílima: Qual o nome do cavalo de Zórin em 007 na mira dos assassinos? Eu sabia a resposta, Pégasos. Dantas confundiu com Inferno, cavalo que também pertencia a Zórin mas que 007 estava montado. O raciocínio da resposta tinha que ser baseado na questão de qual o nome do cavalo que Zórin montava. A pergunta para mim foi qual o filme de maior bilheiteria em todos os tempos. Errei. Respondi que era A Serviço Secreto de Sua Majestade. Raciocinei em cima do fato de ser o filme mais querido de todos os tempos mas a resposta certa era 007 contra a chantagem atômica. Até que sabia mas fazia tempo que não estudava nada sobre bilheiteria desde a época do programa 21 do Silvio Santos que fui chamada mas não cheguei a participar pois saiu do ar. Parabéns Tiago, o Pierce está em excelentes mãos, cuida bem dele tá?
E fora isso tudo, o clima de amizade, amor e carinho entre nós só cresceu ainda mais a olhos vistos


Eu e minha querida amiga Gabi
E para terminar não posso deixar de fazer um agradecimento muitíssimo especial a meu primo e afilhado Rafael que mesmo sem ter nada a ver com James Bond me ofereceu uma carona para ir e voltar a hora que quisesse da CON que terminou as 22h . Sem isso seria impossível! Obrigada. Nem que eu viva 50, 100 anos ainda fico te devendo essa. E claro agradecer principalmente à Deus e à minha mãezinha querida  por tudo isso ter sido possível! Queridos amigos, meu coração está feliz pois estivemos juntos. Que vocês retornem para casa felizes e seguros, que nada de mal aconteça, nem mesmo um arranhão inofensivo e espero revê - los muito em breve. Beijos para todos vocês.

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

50 anos de James Bond sob o olhar de uma fã


Estou em casa, ano de 2012, em plena era digital. Para escrever esse texto tenho um computador moderno.  Na janela do meu quarto não há a paisagem linda e paradisíaca de Goldeneye, nem mesmo o cantar dos pássaros e o murmúrio das águas calmas onde o criador das aventuras de 007 banhava – se pela manhã.
Não tenho uma máquina de escrever Royal. A paisagem é feia. Carros e caminhões que passam pela rua num som irritante competindo com o som do disco de vinil de Tom Jones que toca na minha vitrola dois em um. Do disco ecoam melodias que dão ao menos alguma beleza à paisagem cinza e barulhenta que ignoro.
Em minha mesa tenho telefone, agenda, papel, caneta, bandeiras, incluindo a de meu time do coração, bibelôs e um pequeno pedacinho da Irlanda.
De repente, olho os livros e vejo obras primas escritas por Ian Fleming.
Seus 14 livros com as aventuras de James Bond que tantas vezes li, reli e hoje ousei imitar o estilo neste texto.
Decidi então me perguntar novamente o porquê de me apaixonar por um personagem que vi pela primeira vez aos seis anos pela TV, numa tarde qualquer.
Não sei explicar esse fascínio de tantos anos sem ser óbvia. Impossível.Então me permitirei ser bem óbvia.
Um espião misterioso e lindo, desse tipo de beleza de se olhar e suspirar, rendendo – se completamente ao seu charme. Um estilo de vida com o qual todos sonham. Lugares tão paradisíacos quanto Goldeneye, bebidas e cardápio fino, carros que são verdadeiras potências de quatro rodas, os melhores hotéis, os lençóis mais macios das suítes mais caras.
Dinheiro para gastar com jogos em cassinos e vodca – martini batido não mexido sem qualquer preocupação se vai dar para pagar ou não.
Belas mulheres que usam lindos vestidos desses que qualquer uma queria em seu guarda roupa. Mulheres que todos os homens queriam seduzir, mas que só James Bond conseguiu com seu charme único. Ternos e smokings das melhores grifes, corte alinhado de perfeito caimento, abotoaduras e gravatas caríssimas e camisas do mais fino tecido.
E como se isso não bastasse, com a ajuda de uma supertecnologia de espionagem ser muito bem pago para trabalhar viajando pelo mundo de primeira classe para combater vilões perigosos que querem destruir a paz seja pela Guerra Fria ou pelo terrorismo em missões ultrassecretas em aventuras de se prender a respiração e sentir o coração pulsar forte.
A tudo isso se acrescente perseguições, lutas e grandes explosões, bata tudo, não mexa! E beba saboreando cada um dos elementos ao som de uma trilha com acordes sofisticados e elegantes como faço agora.

O Bond maníaco sabe do que falo, pois é exatamente assim a cada exibição de um filme de James Bond nesses 50 anos, seja o mais recente lançamento ou aquele velho clássico que já se perdeu as contas de quantas vezes assistiu. O fã de 007 é como seu personagem preferido: discreto, mas sabe apreciar com certa classe aquilo que gosta. Por duas horas se permite sonhar com o mundo fascinante de um personagem tão clássico e tão atual. Atraente somente para seus olhos.Um brinde à Bond James Bond pelos seus 50 anos! Bond forever!




 








 











 

sábado, 29 de setembro de 2012

Arena Corinthians, eu fui (e vi sendo construída)

Ônibus que levou os associados do Corinthians para as obras do estádio



 
Entre as muitas "piadas" já mortas feitas pelos anti - corinthianos houve uma que até o mais otimista Corinthiano faria como São Tomé, ver para crer, a de que o Corinthians é um time sem estádio e que nunca iria construir.
Pois é, mas desde maio de 2011 que, a exemplo de muita gente humilde, seus torcedores, está finalmente vivendo seu "Sonho da Casa Própria". 
A obra é a mais fiscalizada de São Paulo seja pelos torcedores, por quem torce pelos adversários ou imprensa e não é para menos. Lá será a sede da abertura da Copa do Mundo 2014.
Hoje foi minha vez de "fiscalizar"tudo. Com saída da sede do Clube
diretamente para a Arena Corinthians num ônibus sem paradas, depois de me inscrever numa lista de associados com certa antecedência.
Nunca estive numa construção antes. Fiquei impressionada com o trabalho desses operários que, literalmente estão construíndo história com as próprias mãos. Seres humanos que são anônimos e ao mesmo tempo famosos por erguer do zero um sonho antigo de cada corinthiano . Acompanhando reportagem pela TV eu não tinha noção de como era tudo. E numa construção imensa como esta, é impressionante notar como os operários são organizados, eu não acharia sequer uma pedra se me pedissem para procurar, juro!

Túnel para entrada em campo



E falando um pouco do lado sentimental, do que meu coração Corinthiano sentiu. Desci por umas escadas que darão acesso para atletas e imprensa ao som de um CD de gritos da torcida Corinthiana foi de arrepiar . Contei até dez para as lágrimas não caírem só que o coração disparou. Imaginei o que deve sentir um jogador quando ouve esse grito da torcida ao vivo. É de arrepiar!

Cada cantinho dá uma emoção diferente. Fui fotografando tudo de um mirante e usando zoom para sempre capturar a melhor imagem e guardar de lembrança para sempre. Os operários sempre solícitos para responder perguntas e até tirar fotos ou apenas se deixar fotografar.





Mirante

Visão geral campo


Esacada de acesso para o campo







Enquanto atendem os visitantes os operários não param seu trabalho


 
Arquibancadas
Arquibancadas sendo construídas
Visão geral
Grafiteiro trabalhando
Puro talento, o grafite parece vivo
Entrada

Foram 20 minutos apenas, mas tempo suficiente para ver tudo, mas 20 minutos que ficarão eternizados não só nas fotos mas na minha memória. Entre os operários havia um grafiteiro talentosíssimo que estava fazendo ainda esboços que representam a torcida corinthiana. Se apenas o esboço já parecia estar quase vivo imagino como será depois de pronto, quase como pessoas verdadeiras. Fiz questão de tirar uma foto dele trabalhando e depois com ele. Por mais que eu fique aqui escrevendo sei que as fotos descreverão bem melhor. Espero que todos gostem e desejo um bom trabalho aos operários que estão construindo o sonho do Bando de Loucos Espero um dia voltar para ver tudo pronto, assistir um jogo e gritar um montão de gols. Vai Odebrecht, vai Corinthians!!!!

Peguei essa pedrinha no chão





















quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Aos meus amigos gaúchos o meu eterno carinho

Sei que o que vão ler agora vai causar estranheza pelo fato de eu não ser gaúcha. Mas ao longo do post vão entender.
Hoje é dia do Gaúcho. Em 20 de Setembro de 1835 teve início a Revolução Farroupilha liderada por Bento Gonçalves. Essa revolução tornou o estado do Rio Grande do Sul independente, de fato, do resto do Brasil com governo e moeda próprios por 10 anos. E como as demais revoluções do país, visavam a liberdade. Um detalhe interessante é que a conhecida Guerra dos Farrapos ocorreu ainda no tempo do Império.
Mas não estou aqui para dar aula de História, e embora goste dessa matéria, reconheço que na maioria das vezes a história que aprendemos na escola é muito chata e massante porque infelizmente não passa de ficar decorando datas.
Eu conheço um pouco de cultura gaúcha embora ninguém da minha família tenha nascido no Rio Grande do Sul. Desde pequena sempre adorei comer churrasco. Também conheci meio por alto o chimarrão (que já experimentei, mesmo num copo e apesar de amargo é gostoso) e também ouvi o vaneirão, uma música muito alegre por sinal. E claro, o pilche (o traje gaúcho masculino) que é muito bonito e elegante. E o traje feminino também é maravilhoso, um lindo vestido longo, desses que se usa em novela de época
 
 
Com o passar dos anos, tomei contato com essa cultura tão rica e diferente, primeiro quando um primo resolveu fugir de casa e foi parar no Rio Grande do Sul e um funcionário do hotel que ele estava completou a ligação. Foi a primeira vez que brevemente ouvi o sotaque gaúcho, bem diferente e muito charmoso. Foi uma travessura do meu primo que inclusive voltou para casa dias depois desse telefonema
Desde esse primeiro acontecimento, passou - se mais um tempo até que através da internet conheci e fiz amizade com uma gurizada legal pelas redes sociais e sites de fóruns para fãs de personagens e artistas.
O povo gaúcho é muito alegre, simpático e receptivo com todos.
Fazem amizade fácil e tem um carinho muito grande com amigos e familiares.
 
 


 
Descrição do pilche (traje) gaúcho

 
Além disso, eles preservam sua cultura e se valorizam muito. Coisa que os outros estados, principalmente São Paulo não fazem. Por isso mesmo é que acabam se destacando em várias áreas da sociedade brasileira.
Falando de meus amigos gaúchos, demorei a me acostumar com eles. As expressões que usam bem diferenciadas tornam sem dúvida uma conversa divertida e bem ritimada já que eles mesmos dizem que "falam cantando". Aí vão algumas das expressões que eu aprendi ao longo da convivência com meus amigos lá do Rio Grande do Sul:
 
Dar uma pedrada = paquerar
Ti = muito usado no lugar da expressão você (ex: este presente é para ti = este presente é para você)
Deu nos dedos = ficou bravo
Bergamota= a popular mexirica também conhecida como tangerina
Tomar um chimas ou matear = tomar chimarrão
Gurizada= turma, galera de amigos
Bah= interjeição típica
Capaz= entendo como o equivalente de pode ser, provávelmente
Tchê= essa dispensa apresentações pois é muito conhecida por ser usada na frase "Barbaridade tchê" que indica espanto
 
Se errei alguma perdoem.

 
 
 
Casal em traje típico saboreando churrasco e chimarrão
 E outra tradição gaúcha é a roda de chimarrão, normalmente realizada após o almoço em que todos dividem a cuia e tomam do mesmo mate é um sinal de companheirismo e amizade eterna. Eu não tenho chimarrão e nem cuia mas quero dividir esse texto com meus amigos Filipe, Gustavo, Marcos, Júlia, Zeca, Seu Cláudio, Dª Elena, Gabi, Wianey, Dª Jussara e Marcelo como se estivéssemos numa roda de chimarrão dividindo do mesmo mate. Recebam meu carinho e amizade todos os dias

sábado, 11 de agosto de 2012

Já chegou o Disco Voador na Bienal do Livro

Edgar Vivár autografando meu livro
Eu sempre gostei muito de ler, tanto é que não posso ver nada escrito "dando sopa" que logo estou lendo, às vezes sem perceber. 
E desde que descobri a Bienal do livro em sua 14ª edição, nunca mais fiquei sem ir. Esta é minha 8ª visita a uma Bienal do livro.
A edição deste ano me reservou algo incrível. Como parte das comemorações pelos 40 anos de carreira de Roberto Gomez Bolaños foi lançado o livro "Chaves a História Oficial Ilustrada" pela editora Universo dos Livros com uma tarde de autógrafos do Edgar Vivár, o Sr. Barriga que está no Brasil para uma turnê de shows pelo país e a sessão de autógrafos. Vale lembrar que o mesmo livro foi lançado no México em fevereiro, mês que coincide com o aniversário de Chespirito.
Como eu ia dizendo, a Bienal estava lotada como de costume. E vários autores, atores e artistas com palestras e sessões de autógrafos. E entre eles, um chamava a atenção pela quantidade de público. Por onde você olhasse, tinha sempre uma pessoa com uma camiseta ou algo que lembrasse o Chaves.

Estava muito ansiosa, desde casa. Depois de tanto tempo ia realmente ver muito de perto alguém que acompanho e admiro a tantos e tantos anos. Preparei uma carta pare ele, em português mesmo, dizendo o quanto gosto de Chaves e quanto eles todos são importantes na minha vida.
Chegando lá, logo me enturmei na fila pois vi duas pessoas que conheço através do Fã Clube Chespirito Brasil, Danny e Tiago "Mestre Linguiça". Brincávamos com frases e piadas clássicas de Chaves como se todos fossem vizinhos de porta.

Fã Clube Chespirito Brasil invade o stand do Universo dos Livros na Bienal






Danny e eu já homenageamos Chespirito no Ibirapuera em fevereiro

Até candidato à Prefeitura de São Paulo passou por lá e foi devidamente "zoado". Aliás, parabenizo os editores de reportagem do SPTV da Rede Globo que conseguiram "eliminar" fãs de Chaves de uma reportagem de agenda de candidato, sendo que no stand do Sr Barriga estava um ótimo número de pessoas para fazer uma belíssima reportagem. A vocês meu aplauso de pé por fazerem o "impossível".


Cecília Lemes, dubladora da Chiquinha. Muito emocionante

Dubladoras também marcaram presença e vi bem de pertinho a queridíssima Cecília Lemes, a Chiquinha da segunda fase da personagem de Maria Antonieta de Las Nieves. Emoção muito forte. Obrigada Cecília, por tudo...
Quando chegou o "Disco Voador", digo, Edgar Vivár, meu coração disparou e eu travei, nem chorar consegui. Nosso contato foi rápido. Entreguei a carta e depois de receber o autógrafo cumprimentei com um aperto de mão pois a fila tinha que andar. Mas não faz mal porque além da foto e do autógrafo, tudo que sempre quis dizer à ele está escrito na carta. Também pedi que ele mandasse um beijo para o Chespirito.
Esse dia está para sempre registrado em fotos, texto, no autógrafo do livro e principalmente no meu coração. Um barriga para o Sr Beijo, melhor dizendo, um beijo para o Sr Barriga. Te quiero mucho!




Este é o meu livro
"Barriga do Sr Autógrafo"