My name is Patthy... Bondgirlpatthy

Bem - vindos ao meu cantinho virtual . A "casa" está sempre aberta à todos que queiram vir aqui ler e comentar meus posts. Este blog não tem compromisso jornalístico portanto não tem compromisso com a imparcialidade. Mas o meu compromisso com a democracia continua. Aqui toda opinião é importante e respeitada. Fiquem à vontade, a "casa" é de vocês. Voltem sempre q quiserem . Um beijo com muito carinho e obrigada.


quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Música Suave

Como já falei diversas vezes e quem me conhece já sabe, sou muito fã do "Rei" roberto Carlos. Desde muito pequena, escuto as músicas dele e gosto. Tenho alguns LPs, CDs e dois boxes com CDs remasterizados das décadas de 60 e 70.
Há algum tempo descobri um programa na rádio Nativa FM de São Paulo (95,3) apresentado pelo filho do Roberto Carlos, Dudu Braga que só toca os sucessos da carreira do "Rei" das 5:00h às 6:00h da manhã. E todos os dias, meu celular é programado para despertar nesse horário para que eu ouça o programa e durma novamente.
Hoje não foi diferente. O telefone tocou no horário programado, liguei o rádio e ouvi o programa. Entre as músicas foi tocada  "Música Suave" cuja letra está no final deste post.
Estava com muito sono e adormeci momentâneamente, por alguns minutos e tal qual é descrito na música, sonhei que dançava com Roberto Carlos. Me senti flutuando e feliz. Foi maravilhoso! Uma pena não ter sido verdade, mas não estou triste não. Amanheci feliz com o coração leve e a alma repleta de amor.

Para quem não conhece, a letra completa da música:



"Música Suave"
Composição: Roberto Carlos / Erasmo Carlos


Ainda bem que tocou
Essa música suave
Eu posso dançar com você
Como no passado


Dançando assim
Eu tenho você nos meus braços
E posso sentir seu corpo macio
Seu peito desse jeito
Apertado no meu peito

E seu rosto colado no meu
Me convida a dizer
Coisas que as outras pessoas
Não devem saber

Me abrace mais forte
Não se importe com os outros casais
Que bom se essa música
Não terminasse jamais

Me abrace mais forte

Não se importe com os outros casais
Que bom se essa música
Não terminasse jamais




















 
 
 

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Ratinho, palmas prá você


Ratinho e eu em 01/11/2004
 Comecei a assistir o Ratinho por mero acaso. Em 1997 passava no canal Gazeta/CNT a novela Alcançar uma Estrela que eu gostava muito de assistir às 17:30 h mais ou menos. Por isso pegava o finalzinho de um programa chamado 190 urgente, precussor daquilo que apelidei de "tragédia news", que são noticiários vespertinos que só mostram tragédias, bandidos, etc mas de uma forma, no meu modo de ver exageradamente sensacionalista. A nova versão desse tipo de programa foca mais em enchentes e desabamentos .
Mas por que eu que odeio telejornal de qualquer tipo por conta do ritmo lento, confuso e nada prático, preferindo me informar das notícias por escrito ou ouvindo rádio que traz a notícia completa, clara, na medida, sem enrolação e no ritmo acelerado iria me atrair justamente por um dos primeiros "tragédia news" da tevê brasileira? Óbviamente que não foi pelo ritmo que é o mesmo dos demais programas nem por outros dos fatores que reprovo citados aqui mas por seu apresentador. Um cara bonachão que esbravejava com um cacetete desses usados pela polícia feito de borracha meio mole e um bule amassado que "apanhava" cada vez que ele criticava governantes e leis. E fazia de tal forma cômica que eu me divertia tanto ou até mais do que se estivesse assistindo um ótimo programa de comédia ou também um filme de Mazzaropi que aliás é também o grande ídolo deste apresentador que noticiava divertindo.
Em setembro de 1997, o apresentador que já era famoso em Curitiba - Paraná, onde a TV CNT tinha a sua sede, transferiu - se para a TV Record, canal 7 de São Paulo. Na época, as novelas da concorrente Rede Globo, canal 5, dominavam completamente a preferência do público. A Record arriscou - se corajosamente trazendo para sua programação nacional um tal de Ratinho para ser uma opção na tevê aberta para o público que não gostava de ver novela.
A aposta deu tão certo que Ratinho logo no primeiro mês já atingiu a vice liderança. O programa trazia básicamente a mesma fórmula do antigo 190 da CNT com algumas coisas como apelos, realização de sonhos, exames de DNA e resolução de pequenos acordos na presença de advogados. Em 1998 o programa Ratinho Livre ganhou ainda mais popularidade e notoriedade.
Em 1998, depois de uma polêmica saida da Record, Ratinho é contratado pelo SBT e estréia o Programa do Ratinho, mudando apenas de nome por uma questão legal mas mantendo o formato do anterior.
Após passar algum tempo fora do ar, desde 2006, Ratinho voltou à TV apresentando atrações que não fizeram muito sucesso e também ocupar horários que nada tinham a ver, Ratinho volta em 2009 com seu programa, ainda em horários absurdos. Em 2010 Ratinho volta ao horário que o consagrou, onde está até hoje.
É um tipo de artista único, que informa, diverte, cobra e até alfineta a concorrência de uma maneira muito particular.
Uma história minha para encerrar. Quando da ocasião desta foto que vocês vêem aí ao lado quando fui num programa dele, ao abraçá - lo, ele mesmo disse para a moça que estava distraída com a máquina na mão: "Tira a foto logo aí pô". Ela bateu a foto mas morreu de vergonha da brincadeira do Ratinho. E é por essas e outras que hoje, no dia do aniversário do Ratinho bato palmas para ele. Por ser tudo que é e ser único naquilo que faz. Um beijão prá você Ratinho, sucesso e muitos anos de vida.



segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Ronaldo deixa o Futebol

Observação: Post originalmente publicado em meu blog do Lance Activo 2.0 MI-6 Corinthiano

Olá Corinthianos, eu poderia falar como sempre faço em meus posts aqui (MI-6 Corinthiano Lance Activo 2.0) sobre o jogo diante do Paulista, só para constar que comentei alguma coisa, ficou 0 a 0. Só que a notícia que corre no mundo esportivo desde ontem é o anúncio da aposentadoria de Ronaldo Fenômeno.

Vou dizer uma coisa aqui que sei que muitos num primeiro momento não concordarão comigo: Para mim Ronaldo parou de jogar já no finalzinho de 2009 quando começaram suas contusões contínuas. Tanto é que ele próprio tinha conversado com Andrés Sanchez e comunicado que pretendia parar. Sanchez pediu a Ronaldo que reconsiderasse sua decisão pensando na disputa da Libertadores e das outras competições. Ronaldo acatou as ordens do presidente alvi - negro.
Em 2010 Ronaldo jogou sempre "no sacrifício", quando não era por excesso de peso era por estar fora de forma ou contundido. E foi levando até onde foi possível. Já em 2011 nessas primeiras partidas, Ronaldo não mostrou um bom desempenho, como dizem na gíria "andou em campo". Seu corpo já cansado pelo esforço de tantos treinos, jogos, pelo excesso de peso e pela idade já avançada para a prática esportiva não suporta mais.
E para completar a conversa, a truculência de agressores de seres humanos que se valham do escudo do Corinthians para justificar seus atos inconcebíveis só antecipou ainda mais essa aposentadoria. Fora o caso de Roberto Carlos que vai jogar no exterior não só pelo dinheiro oferecido como também por sua própria segurança. Mas, voltando ao Ronaldo....
Lógico que ele fará falta em campo mas o time não tem que depender dele para sempre. Outros grandes ídolos já pararam como Sócrates, Basílio, Biro Biro, Casagrande, Neto, Ronaldo Giovanelli (o goleiro de 1990) mas o Corinthians continua.
Quem sabe melhor o que eu disse são os santistas, muitos lêem este blog (MI-6 Corinthiano Lance Activo 2.0), comentam, tiram sarro mas hoje vão concordar comigo.
Para os de mais idade que viram ninguém menos que Pelé, o maior de todos em campo, com certeza devem ter temido um pouco pelo futuro do Santos quando ele parou mas Pelé virou lenda do esporte mundial e não joga mais só que o Santos Futebol Clube continuou e continuará para sempre.
Fiz esse comparativo apenas para mera ilustração, para mostrar que o Corinthians pode ter perdido o Ronaldo assim como o futebol também deixará de contar com ele mas tanto a prática do futebol quanto o Corinthians continuarão mesmo sem Ronaldo (só um parênteses, não se compara ninguém a Pelé quando o assunto é jogar futebol) É apenas um ciclo que se fecha. Obrigada Ronaldo pela sua história como um todo. E tenha uma vida feliz daqui para frente.