My name is Patthy... Bondgirlpatthy

Bem - vindos ao meu cantinho virtual . A "casa" está sempre aberta à todos que queiram vir aqui ler e comentar meus posts. Este blog não tem compromisso jornalístico portanto não tem compromisso com a imparcialidade. Mas o meu compromisso com a democracia continua. Aqui toda opinião é importante e respeitada. Fiquem à vontade, a "casa" é de vocês. Voltem sempre q quiserem . Um beijo com muito carinho e obrigada.


quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

De volta aos anos 80

Jogo Genius, um clássico dos anos 80. Esse da foto é meu

Como a maioria das pessoas de mais de 30 anos, vivi intensamente aquela época gostosa da Infância 80. Vi todos os programas de televisão, acompanhei a moda mesmo sem seguí - la à risca, etc. Sou do tempo do programa infantil apresentado por palhaços e loiras e no domingo tinha o "Domingo no Parque" e mais tarde a Zebrinha do Fantástico (que só teve isso de Fantástico) falando os resultados da loteria esportiva quase relinchando. Uma época que se podia sair na rua com os brinquedos para mostrar aos amiguinhos no dia do Natal. Os meninos com Playmobill, Autorama. As meninas com as Fofoletes, as enormes casas da Barbie. E meninos e meninas com os jogos sensação da Estrela como Banco Imobiliário, Detetive, Cara a Cara... Tempo em que o filme da moda era E.T., o público queria desvendar o assassinato de Odete Roitmann  No sábado todos gritavam bem forte, bem alto, bem animado Viva a Noite, dançando ao som de Dominó, A - Ha e Menudo.
E o videogame da moda Atari, que eu não tive mas joguei e muito nas férias que passava na casa de primos.
E eu consegui a magia de voltar a viver essa época ontem. Fui até a galeria 7 de Abril à procura de um boneco do palhaço Bozo fabricado pela Estrela. Eu tinha esse boneco, sou uma "amiguinha" do Bozo. Adorava o palhacinho. Só que procurei e não consegui achar: ainda. A busca não terminou..
Em compensação, pesquisando de loja em loja eu fiz uma verdadeira viagem ao passado. Nas lojas estavam sendo vendidos (de segunda mão é claro) a maioria dos brinquedos que tive ou que já brinquei na casa de meus primos. Foi algo que não tenho como explicar. Parecia estar em outra dimensão. Me emocionei em ainda mais ao ver um sonho de consumo que eu tinha e nunca realizei: o Robô Arthur, que era um robô de controle remoto que você podia comandar a longas distâncias. Me conformo em apenas olhar para ele já que na época era um brinquedo muito caro e hoje ainda é. Foi bom.
Hoje, na era dos computadores, internet e redes sociais nós podemos resgatar sentimentos que envolvem isso e sensações assim  não consta no Google nem podem ser comprados no Mercado Livre. A geração de hoje só vai saber da informação fria e não do que sentimos. Informações dá para pesquisar, constam no Google.
Foi nostálgico, bom, ainda mais em fim de ano em que todos tendem a esse sentimento. Como diria aquele cara da Praça "Tempo bom não volta mais. Saudade de outros tempos iguais".

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Meus 8 anos na Comunidade 007 Brasil

Hoje é um dia muito especial para mim. Fazem 8 anos que entrei na Comunidade 007 Brasil.
Desde muito pequena, sempre fui fã de James Bond. Assistia aos filmes mas não tinha com quem conversar sobre o assunto.
Até que numa tarde em que eu estava vendo TV isso mudou. Estava zapeando canais durante um intervalo de um programa que nem me lembro mais qual é quando parei na MTV no programa Neurônio.
Assisti, me diverti e me cadastrei assim que o programa acabou.
Desde então eu só tenho vivido grandes momentos. Dos quais destaco alguns:
A primeira reunião da C007 que participei. Além de ser tão bem recebida numa atmosfera de carinho e atenção, nunca tinha conversado com ninguém sobre 007, alguém que sentisse as mesmas coisas que eu. Outro momento inesquecível foi a primeira Jedicom, onde conheci Eduardo Torelli e aconteceram coisas hilárias e legais que não dá para inumerar. Foram dois dias de puro encantamento, como num filme.
Teve também a viagem para o Rio de Janeiro em comemoração aos 25 anos do filme Moonraker. Sempre quis conhecer o Rio e aquele fim de semana foi muito especial. A matéria para o jornal Estadão acompanhada de meu gato James Bond a convite do Marcus.
Também o dia em que fui convidada para integrar a equipe da Comunidade pouco tempo depois de me associar.
E na equipe um momento inusitado foi quando conhecemos Jeremy Bulloch, "Smithers". Já contei aqui mesmo neste blog tudo desse dia inesquecível.
Também o dia em que conhecemos os nossos amigos que vivem em outros estados, foi muito legal. A distância diminuiu e o carinho aumentou muito e aumenta a cada dia. Um dos dias mais divertidos foi ter participado do Bondcast Brasil edição nº 3 (antes do reboot). Foi tão divertido participar, tanto quanto ouço. É uma descontração entre fãs de James Bond e mais do que isso, um bate papo entre amigos. Quero repetir a dose qualquer dia.
Sei que não disse muito mas este post é para agradecer à vocês Marcus, Fabio, Marketto e demais associados da nossa Comunidade por toda amizade e carinho e pela confiança de todos esses anos. Juntos por James Bond, unidos pela amizade. Um brinde: shaken not stirred.

Dedicado com carinho à todos os associados e à equipe da Comunidade 007 Brasil. Amo vocês!!!


terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Missão dada é missão cumprida: Tropa de Elite 2 é o filme nacional mais visto de todos os tempos

Demorou muito mas finalmente o povo brasileiro entendeu o que é o cinema nacional realmente empolgante e de ótima qualidade. E tenho o grande orgulho de ter contribuído ao menos um pouco com o êxito alcançado por Tropa de Elite 2 indo assistir ao filme pagando meu ingresso, mesmo de meia entrada. Valeu e como.
Só que o êxito deste filme sensacional não começou agora. Começou na verdade com o filme "Lula o filho do Brasil" onde se mostra a tragetória sofrida porém vitoriosa de um retirante que por seus méritos se torna operário, sindicalista e por fim atinge o posto mais alto do país, a Presidência da República. E esse mesmo filme está cotado para ser o primeiro longa brasileiro a ser agraciado com o Oscar de melhor filme estrangeiro. Um filme como deve ser. Para sonhar com dias melhores e não para se lamentar ou não entender nada.
A semente para os novos rumos do cinema nacional pós Mazzaropi estava plantada. Em 2007 já rendeu seus primeiros frutos: E que frutos! Finalmente, depois de tantos filmes ridículos só para o fã ver seu artista predileto na tela grande, estórias que ninguém entende e também estórias que infelizmentem fazem o mau triunfar sobre o bem ou mesmo quando do nada se fazia alusão ao sexo para salvar o interesse pelo filme. Surge um visionário chamado José Padilha, diretor e cineasta de trabalhos polêmicos e resolve  adaptar de um livro com relatos verdadeiros a história do BOPE do Rio de Janeiro.
Quem não ouviu a expressão "Pede prá sair", "Tá com medinho seu 02" e outras ou nem ouviu falar de  Capitão Nascimento, com certeza estava fora de qualquer roda de assunto sobre cinema.
Este filme mostrou a que veio e construiu o herói brasileiro com "alma" hollywoodiana que tanto precisava existir. Principalmente para mostrar que dentro da nossa dura realidade ainda podemos confiar em alguém para nos proteger do mal nem que seja apenas no filme.
E esse ano José Padilha em "Tropa 2" mostra que depois do tráfico de drogas ter sido combatido no Rio  ele faz de tudo para tentar combater a corrupção. E este é um inimigo bem maior e mais difícil. Ao fim do filme, dá a entender que ainda resta esperança e que todos da sociedade tem que lutar juntos para vencer esse inimigo.
Aliado ao sucesso do primeiro filme e o enredo atual e realista é que Tropa 2 bateu semana passada a casa de 10 milhões e 400 e poucos mil espectadores que como eu foram ver um filme brasileiro bom de verdade, batendo Dona Flor e seus dois maridos depois de 32 anos de liderança de bilheteria. Vibrei como vibro a cada gol do Corinthians. E quero que nunca mais ele seja ultrapassado. O Brasil tem tudo para ter um cinema de qualidade. Agora é aguardar o DVD  e curtir muito o sucesso de vendas que com certeza o filme terá. Faca na Caveira!


sábado, 4 de dezembro de 2010

Sem palavras para descrever tantas Emoções

Inicio este post sem saber com que palavras começar. Não pude escrever antes porque estava sem internet. A única coisa que posso lhes assegurar é que semana passada dia 27 de novembro vivi uma noite inesquecível quando fui ao show do Roberto Carlos no Corinthians.
Como diz na própria música dele "eu conto os dias conto as horas prá te ver" ou mesmo o trecho de uma outra "...cartas já não adiantam mais quero ouvir a sua voz"
Para uma fã do Roberto Carlos que aprendeu a existência da música ainda pequena ouvindo os LPs de vinil sem entender o significado das letras é um momento único.
Meu coração disparou quando a platéia começou a cantar para ele "Como é grande meu amor por você". Nem sei como consegui cantar porque logo as lágrimas cairam. Chorei por amor. Chorei para dizer o quanto amava aquela pessoa que mesmo sem saber era parte de minha vida.
Roberto entrou e a magia aconteceu. Como toda fã do "Rei" que se preze imaginei que ele cantava só para mim. Sentia minha alma ser acariciada por cada canção de amor, me imaginava nas letras das músicas. Coisa bem de fã. "Detalhes tão pequenos de nós dois são coisas muito grandes prá esquecer..." exatamente como a letra. Era como estar hipnotizada por uma atmosfera de amor.



Outro momento emocionante foi quando ele cantou "Lady Laura" em homenagem à mãe que falecera esse ano no dia 18 de abril, um dia antes do aniversário dele. Pelo telão reparei a fisionomia tristonha do "Rei" e naquela hora queria tanto poder fazer alguma coisa para consolá - lo.
Me diverti também com as canções da jovem guarda. Muito engraçadas e com um ritmo bom de dançar.
E o final emocionante com a música "Amigo" tendo seu refrão parcialmente trocado para a letra adaptada pela torcida Corinthiana durante a série B e também a aparição do filho dele, Dudu Braga fingindo tocar trompete e vestindo uma camisa do Corinthians por baixo do paletó azul da orquestra RC9.


O retorno da rosa roubada

Deixei o melhor para o finalzinho e vou explicar porque. No começo da década de 90 ganhei uma pétala de uma das rosas que o Roberto Carlos joga para o público. Uma conhecida me deu. Por anos guardei em minha carteira como um amuleto, uma relíquia.
Há 5 anos atrás fui roubada, levaram embora minha carteira com tudo dentro. Refiz documentos, dinheiro acabei conseguindo mas a rosa que estava esfarelada num saquinho não recuperei. Nossa! Como aquilo me fez sofrer a ponto de meu coração se entristecer a cada vez que via a cena do "Rei" jogando as rosas nos especiais da Globo.
Na saída do show, vi um rapaz com uma das rosas. Não tive coragem para pedir. Minha mãe então pediu sem a menor cerimônia. Ele tirou uma pétala e me deu. A emoção foi tamanha que chorei de novo. De alguma forma eu recuperei a minha rosa que um ladrão desalmado levou. Um rapaz de boa alma que nem sei quem é me "devolveu" o que tinha sido tirado de mim.
Foi uma noite cheia de detalhes impossíveis de esquecer e de muitas emoções.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Série 24 horas se especializa em "prever o futuro" da política da vida real

AVISO IMPORTANTE: Este texto não defende nem acusa ninguém é apenas uma constatação de fatos coicidentes. Os políticos brasileiros citados figuram apenas como panorama atual e não existe comparação política de qualquer natureza em relação  ao presidente norte - americano.






A série 24 horas que conta a saga de Jack Bauer, agente da UCT em aventuras cheias de adrenalina. Ela  não se especializou apenas em ganhar prêmios importantes como o Emmy e colecionar fãs pelo planeta (fãs como eu por exemplo)
Não se trata da megaprodução com cenários riquíssimos em detalhes nem do roteiro impecável dos criadores Joel Surnow e Robert Cochran e tampouco de seu formato único "real time".
Ela tem uma outra curiosidade que merece ser observada aqui:  Por duas oportunidades ela  "previu o futuro" da política na vida real. Explico:
Na primeira temporada exibida em janeiro de 2007 nas tvs Fox (Brasil) e Globo a estória era evitar o atentado do presidente David Palmer interpretado por Denis Haysbert,o primeiro  "presidente" negro dos EUA. Pouco depois, os próprios americanos elegeram um presidente negro na vida real Barack Obama. O fato foi até comentado se transformando numa grande brincadeira.
Na sétima temporada da série exibida pela tv Fox (Brasil) em abril de 2009 e pela tv Globo em fevereiro de 2010, 24 h já dava os primeiros sinais de que poderia "prever o futuro" novamente, não nos EUA como aconteceu em sua temporada de estréia., mas no Brasil.
Tudo começou em 01 de março de 2009, um ano e sete meses antes do primeiro turno das eleições presidenciais quando a então Ministra Chefe da Casa Civil Dilma Rousseff foi escolhida pessoalmente pelo presidente Lula para ser sua sucessora em Brasília.
Passado esse período, a segunda "previsão do futuro político" feita por 24 horas aconteceu com a eleição da primeira mulher presidente do Brasil  de forma definitiva no último domingo dia 31 de outubro.  No seriado, a "presidente" Allisson Taylor, interpretada por Cherry Jones era a primeira mulher norte - americana a "assumir o poder" na Casa Branca.
24 horas faz parte daquele seletíssimo grupo de obras totalmente ficcionais que se transformaram em realidade.

David Palmer

Barack Obama

Allisson Taylor



Dilma Rousseff

Quero deixar aqui uma pergunta para meus leitores fãs de 24 horas que já assistiram à 8ª temporada da série: qual será a próxima "previsão do futuro político" embutida pelos criadores?







































































































sábado, 16 de outubro de 2010

"Rei" Roberto Carlos será enredo em 2011

O "Rei" Roberto Carlos recebeu mais uma homenagem pelos seus 50 anos de carreira. Sua escola do coração, Beija Flor de Nilópolis prestará no carnaval de 2011 uma grande homenagem contando um pouco (na verdade uma boa parte) da vida e da carreira do "Rei". É a segunda vez que Roberto tem sua vida contada na passarela do samba já que na década de 80, a Unidos do Cabuçu, também do Rio fez uma linda homenagem.
Segundo pessoas que já tiveram sua vida cantada pelos enredos das escolas de samba na maior ópera popular a céu aberto do mundo, esta é uma homenagem única até porque, na maioria das vezes o próprio homenageado  tem a oportunidade de ver e curtir tudo o que foi feito para ele.
Como fã de Roberto Carlos eu também me sinto mais do que homenageada. Abaixo assistam o vídeo do samba oficial que irá contar as "emoções" da vida do "Rei" desde sua infância em Cachoeiro do Itapemirim - ES até os dias de hoje. O desfile também contará com a presença de "amigos de fé" e de familiares como o filho Dudu Braga, o Segundinho na bateria da escola.
Com certeza este desfile será um momento único na vida não só de Roberto Carlos mas também na vida de todos que gostam dele. E já adianto que nos dias de Momo, meu pavilhão carnavalesco em 2011 terá três cores: O preto e o branco da Gaviões e o azul da Beija Flor. E viva o "Rei".
Quero agradecer à uma pessoa muito especial que me enviou o link com o vídeo. Meu amigo de fé e irmãozinho do coração Gustavo Gossen. Valeu guri. Esse post é inteiramente dedicado à você.




 

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Portal da Comunidade 007 will return



Depois de um longo e tenebroso inverno, o portal da Comunidade 007 Brasil voltou com tudo. Ontem dia 07/10/2010 no sugestivo horário de 0:07h era colocado no ar o novo portal.
Numa versão bem mais discreta e limpa com matérias interessantes, com sessões de fácil acesso tanto na área livre quanto na restrita e também já na nova versão Beta.
E para Bondmaníacos que morem fora do Brasil ou falem inglês fluente há uma versão "In English" com matérias diferenciadas.
Esse trabalho é fruto de uma longa e incansável busca pela qualidade e praticidade, sem deixar a beleza e o requinte de lado. Parabéns Marcus, Fabio, Fernando, Marketto, Giu, Rafa e Bruno por esse trabalho primoroso. Tenho muito orgulho de estar ao lado de vocês nessa nova etapa da nossa Comunidade. E aproveito para também convidar meus leitores a visitarem este portal cujo link é este:
Para se inscrever na lista de discussão coloque seu e - mail na caixa do Yahoo! Grupos à direita deste blog logo abaixo do perfil



Obs: Foto do novo design do portal:  Marcos Kontze (Marketto) - Equipe C007BR seção News

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Neto o comentarista camisa 10 do rádio e da tevê




O craque Neto comandando o programa Esquenta ao lado de Ivan Drago
Amigos e leitores, ontem vivi um dos dias mais felizes que poderia viver como torcedora do Corinthians.
Depois de tantos anos de espera e tentativas sem sucesso, finalmente conheci o Neto. Fui na rádio Transamérica onde ele apresenta o programa "Esquenta" das 13:00h às 15:00h todos os domingos.
Quando Neto chegou, foi simpático com todos os torcedores que estavam lá para conhecê - lo. Não resisti e agradeci à ele pelo título de 1990, uma emoção que ninguém que torce pelo Corinthians esquece jamais.
Foi muito legal passar o dia na rádio com ele. Estou acostumada a ouvir não só o Neto mas também toda equipe de esportes da Transamérica. Alguns acompanho até desde o tempo em que trabalhavam em outra emissora. Pessoas que são parte do meu dia a dia e que ontem me fizeram me sentir em casa. Além do Neto, também conheci o Ivan Drago que é um jovem jornalista muito competente naquilo que faz. Além de ser uma gracinha. Outra pessoa que conheci lá foi o técnico Wagner Benazzi, ex treinador da Portuguesa. Ele só tem cara de bravo mas é uma simpatia também. Ele estava sendo entrevistado.
Parecia que eu estava na minha casa rodeada de gente querida.
O Neto é daquele jeitão mesmo que aparece na TV. Divertido, brincalhão, simpático e com o público é muito carinhoso. O típico amigão sabem?

Wagner Benazzi é entrevistado em ambiente descontraído, marca registrada do programa Esquenta



O craque Neto e o ouvinte corinthiano João que também foi conhecê - lo


Quero agradecer esse dia inesquecível para uma pessoa muito legal, a produtora Talita Jacote. Um amor de menina, adorei te conhecer também. Obrigada pelo presentão adiantado em plenas vésperas de Centenário Corinthiano. E, Neto, obrigada por tudo, por sua causa eu só vejo jogos na Band, você tá de brincadêra é um baita comentarista!


Eu e o ouvinte Mozart felizes ao ver nosso ídolo em ação






Corinthianos, não preciso nem explicar não é?

Obrigada por tudo Talita Jacote
Momento inesquecível
















segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Bienal do Livro, o Hopi Hari dos leitores apaixonados por livros



Esta foi minha sexta visita à Bienal do Livro de São Paulo, desde que descobri esse evento na edição de número 15 que não perco uma. Para mim, estar naquele lugar é muito bom, é como estar num grande parque de diversões. Já estive em várias bienais onde não só os livros, mas os acontecimentos foram inesquecíveis. Em 2000 quando fui, no mesmo dia estava lá o ex - jogador do Corinthians Marcelinho Carioca numa tarde de autógrafos de um livro que ele preparou especialmente para crianças com dicas de exercícios, comportamento e alimentação para prática do futebol. Outra bienal inesquecível foi a de 2004 pelo que não aconteceu. Explico: Naquele ano o clássico personagem de Ziraldo, o Menino Maluquinho estava completando 25 anos. Adoro aquele personagem mas eu fui à bienal e não levei meu exemplar do livro para o Ziraldo autografar, fiquei muito triste quando descobri que meu livro não estava comigo e o Ziraldo estava lá, que raiva!


Senhor Livreiro



E ontem essa bienal ficará marcada para sempre entre as inesquecíveis porque além de me divertir com a bienal pude comprovar pessoalmente o sucesso de dois amigos meus Giulia Moon e Adriano Siqueira, dois autores brasileiros que, muito antes de Stephenie Meyer e Crepúsculo virarem moda, já escreviam seus contos e livros usando vampiros como tema central. (Quem quiser conferir o trabalho deles é só ir no link Visite também e procurar os blogs).
Meus amigos Adriano Siqueira (Lord Dri) e Giulia  Moon

Só não gostei de uma coisa nesta bienal: muita gente para ver pouco stand. Mesmo nessa era digital ainda existem pessoas que como eu adoram folhear livros de papel. Poderiam ter pensado melhor. Fora isso, foi um passeio muito legal.
Lord Dri autografando seu conto
Meu amigo Lord Dri
















      

sábado, 24 de julho de 2010

Comunidade 007 Brasil em: A volta do Misterioso Japa San

Estava em casa e liguei para minha Amiga paa conversar um pouco com ela. De repente veio a bomba pelo telefone.
- Você sabe quem me ligou - disse ela- O Japa San.
Fiquei perplexa pois minha Amiga não sabia como ele havia conseguido o telefone da casa dela.
Depois do choque da notícia, fui pensar nos dias anteriores ao telefonema dele para minha Amiga.
O cara, muito do esperto descobriu meu Twitter pessoal. E o mais grave de tudo neste blog. Me mandava comentários anônimos sobre Daniel Craig  num outro post só que o comentário não era dirigido à mim mas a uma "Senhora Gabriela". Mais um mistério que, sinceramente me deixou ainda mais confusa. Esta "senhora" não escreve neste blog, quem escreve sou eu. Porque raios o Japa fez a comentários dirigidos à ela tanto no blog quanto no meu Twitte que nem falava sobre cinema naquela ocasião . Comentáro direcionado novamente à tal "Senhora Gabriela".Até apaguei. Não entendi, de verdade.
Minha Amiga também contou para o Presidente que segundo ela, ficou sem saber o que falar. Fico imaginando o que diria o Escritor se o Japa San descobrisse o telefone da casa dele. De certo, ficaria doido!
Eu contei por e - mail para o Mestre de Cerimônias. Creio que ele ficou perplexo também porque no e - mail que me mandou nem mencionou o assunto. Qual será a finalidade do Japa ao fazer uma campanha anti Craig até mesmo quando o assunto não é esse? Eis mais um mistério para a Comunidade 007 desvendar.
 Fim.
I will Return

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Série especial Brasil na Copa 2010

Quinto jogo Holanda 2 x Brasil 1 - Quartas de final - último capítulo da série

Hoje preferia não colocar ponto final nesta série mas infelizmente aconteceu o que nem o resto do país  e nem eu queríamos. O jogo pode ser resumido de duas maneiras, em primeiro e segundo tempo. Calma leitores, não pirei nem fiquei burra não. É que realmente a divisão foi essa pelo futebol apresentado por ambos os times.
No primeiro tempo só deu Brasil, ataques rápidos e desarmes inteligentes. Acompanhado por um gol de Robinho após ter tido um primeiro gol anulado. Parecia que seria uma goleada, mas só parecia. Kaká que não fez gols nesta Copa continuou com seu zero a zero particular, mesmo chutando duas vezes na trave enquanto Júlio César segurava todas lá no gol.
No segundo tempo a Holanda dominou tudo, fazendo jus à fama que adiquirira em outras copas. Com cautela e paciência conseguiu abrir o marcador num vacilo de Júlio César e de toda a zaga. E isso fez com que ela crescesse em campo. Não foi difícil fazer o segundo gol e acabar com o sonho do hexa brasileiro. Para completar, além do gol derradeiro, Felipe Melo perdeu a cabeça e chutou o holandês em suas "partes baixas"  sendo expulso com razão por conta disso. E essa expulsão desestabilizou tudo de vez. Foi a pá de cal. Só resta encerrar esta série e seguir a vida à espera de 2014. Quanto à Copa continuarei acompanhando pois quero ver quem leva a taça para casa e colocar os placares no meu álbum de figurinhas que já está completo. Sobre Copa nos falamos em 2014. Até lá se Deus assim quiser.

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Série especial Brasil na Copa 2010

Quarto jogo Brasil 3 x Chile 0 - Oitavas de final

Hoje não pude acompahar a transmissão do jogo pela televisão pois saí. Mas isto não quer dizer que eu não tenha acompanhado. Acompanhei pela rádio Transamérica. Uma emoção que eu já tinha vivido em 2002 quando acompanhei todos os jogos (incluindo a final) pelo rádio. Mas, voltando ao presente e ao nosso papinho.
As imagens foram completamente desnecessárias para que eu percebesse a vontade de vencer e a bravura durante o jogo. O Chile, um velho "freguês" que ultimamente só perdia para nossa seleção provou ser muito fraca. Até Valdívia que já passou pelo futebol paulista ficou "apagado" em campo não lembrou sua época áurea jogando no Brasil. Nivelou - se por baixo como eus compatriotas.
Já o Brasil, posso resumir a atuação do time nas palavras do locutor Éder Luiz durante a transmissão. Um show em campo. Os gols saíram dos pés de Juan, Luíz Fabiano e Robinho com pedaladas e tudo. Falar mais o que? Seja vendo, seja ouvindo, hoje foi um passeio do Brasil na Copa, um passeio com estilo no campo liquidando os chilenos. Até o próximo jogo.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Série especial Brasil na Copa 2010

Terceiro jogo Portugal 0 x Brasil 0

Neste nosso terceiro papinho sobre a Seleção vou falar de um jogo onde, principalmente os goleiros se destacaram. No primeiro tempo Nilmar mandou uma bola na trave, não fosse a eficiência do goleiro português teria aberto o placar. Situação que se repetiu no segundo tempo quando Cristiano Ronaldo mandou uma bomba nas mãos de Júlio César que salvou com um salto preciso de um elegante felino e tocou na bola com os dedos. Aliás, Júlio César não foi valente apenas por essa e por outras defesas realizadas mas por ter jogado "no sacrifício" porque estava com ataduras nas costas para proteger a costela.
Mas as ataduras não impediram as travas das chuteiras de um jogador português que o acertou em cheio rasgando até a camisa que precisou ser trocada.
As duas seleções já classificadas, ao meu ver fizeram praticamente um "treino de luxo"  onde a decisão era para ver quem seria o primeiro e o segundo lugres no grupo "G". Classificações conseguidas de maneira antecipada. Os adversários sairão do grupo "H" que jogam neste momento simultâneamente.
E nas padarias festa e alegria em dobro  com pães e média quentinha para brasileiros e portugueses que nem tiveram um golzinho para comemorar. E para finalizar, apenas uma nota sobre o Dunga e seu criticado modo nas entrevistas coletivas. Mesmo eu que o critico porque ele não foi técnico de clube antes de vir para a seleção, devo reconhecer sua humildade ao pedir desculpas para o povo brasileiros por ter proferido palavrões ao microfone e não só isso mas melhorar sua postura e responder sem ser estúpido as perguntas da imprensa que como ele está na África fazendo seu trabalho. Nisso, nota dez. Espero que ele continue com essa coerência de comportamento. Até o próximo jogo.

domingo, 20 de junho de 2010

Série especial Brasil na Copa 2010

Segundo jogo: Brasil 3 x Costa do Marfim 1

Neste episódio de nossa série especial, vamos conversar tocando em muitos pontos. Para começar, em relação ao primeiro jogo, o Brasil teve uma melhora em relação ao  primeiro jogo contra a Coréia do Norte.
Atribuo essa melhora principalmente ao fato de que o nervosismo da estréia passou, aquela ansiedade que dá quando toca o Hino Nacional num primeiro jogo de Copa do Mundo. Hoje posso afirmar que o Brasil foi mais Brasil na bola e na raça.
Mesmo sabendo que o mundo inteiro estava de olho em cada lance, em cada jogada, os jogadores brasleiros pareciam estar bem mais à vontade em Soccer City. E isso tudo que falo aqui é provado porque o primeiro gol brasileiro não demorou a sair.
De um passe de Kaká ´para Luiz Fabiano saiu o gol canarinho. E poucos minutos depois, o mesmo Luiz Fabiano fez o segundo gol. Na rua em que moro, vuvuzelas ensurdenciam sem parar. Para falar a verdade, odeio vuvuzelas. Dão dor de cabeça, mas voltando ao jogo...
Os brasileiros jogando pareciam aquela molecadinha que joga bola na rua demarcando o gol usando chinelos.
Já Costa do Marfim se preocupava em bater e desestabilizar a seleção. Era uma pancada após a outra e o árbitro demorou muito para tomar atitudes.
Só que o Brasil não desistiu de conquistar seus três pontos. Elano marcou mais um golaço. Após isso, um dos marfinenses bateu na canela dele com tudo e ele saiu carregado.
Kaká, cara de bom menino perdeu a cabeça e foi expulso quando tomou dois cartões amarelos. Drogba provocou o tempo todo e conseguiu o que queria, tirar Kaká do próximo jogo. E para não sair em branco ainda fez seu golaço deixando Júlio César sem ação, tamanha a velocidade do seu chute.
E com esse resultado, o Brasil se classifica antecipadamente para a próxima fase. Aguardemos o adversário que sairá do grupo da Espanha. Até o próximo jogo.

terça-feira, 15 de junho de 2010

Série especial Brasil na Copa 2010

Durante a Copa do Mundo, a cada jogo envolvendo o Brasil o blog apresentará uma série de comentários meus. Aqui não existirá puxação de saco, tiração de sarro nem "patriotismo" mas uma análise totalmente imparcial de tudo o que eu vi na partida. Não sou jornalista, apenas torço para o Brasil e tenho também meu time do coração. Recomendo acompanharem os jogos pelas TVs Globo e Band e também pela Rádio Transamérica FM de São Paulo (100,1)

Dedico esta série de posts à duas pessoas muito especiais: meu priminho Anthony (10 dias de vida) e meu amiguinho Stefan (2 anos) que vivenciam à sua maneira a primeira de muitas Copas de suas vidas

Primeiro jogo Brasil 2 x Coréia do Norte 1

Minhas primeiras impressões da Seleção nesta Copa foi de um jogo razoável, visto que o adversário não era um time tradicional em Copas.
O primeiro tempo foi bastante sofrível. O time não conseguia se movimentar e demonstrar o porque de ser não só o participante que esteve em todas as Copas como também o detentor de mais títulos (5 no total).  A cada ataque esboçado, os coreanos pareciam uma muralha pois fechavam todas as brechas por onde o ataque canarinho poderia iniciar jogadas de perigo de gol. 
 Isso começou a mudar no segundo tempo. Por pouco não marca um de falta. Tirou tinta da trave. Mas parece que aquilo foi um sinal porque Elano deu um passe muito bom para Maicom e ele marcou um golaço. Os coreanos por um momento sentiram a pressão e ficaram batendo cabeça. Robinho deu um passe para Elano que marcou o segundo gol numa distração mínima dos adversários que deixaram uma brecha que foi muito bem aproveitada.
Com isso, o Brasil passou a melhorar ainda mais, comandar o jogo e dominar a Coréia.
Mas quando tudo parecia ser perfeito, num vacilo de zaga da Seleção saiu o gol dos coreanos que comemoraram muito essa façanha porque para eles, fazer um gol numa seleção tão tradicional como a brasileira, mesmo na derrota, já é um motivo de glória.

Até o próximo jogo

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Copa do Mundo uma celebração

Hoje começou mais uma Cópa do Mundo lá na África do Sul. E embora o Dunga não leve os melhores jogadores, torço pelo hexa apesar dele. Eu também por simpatia torcerei para a seleção dos Estados Unidos porque desde pequena nutro simpatia por esse país, seu povo e cultura. Nunca neguei nem escondi de ninguém. Em minha mesa tem uma bandeira americana, na minha opinião, uma das, senão a mais bonita do mundo estéticamente. Não dá para eu ser falsa só porque é Copa. E não serei.. Vou acompanhar e torcer para o Brasil  evidentemente por uma questão de localização e documentação. E por simpatia torcerei e acompanharei os Estados Unidos, se bem que no jogo de estréia ficarei meio dividida pois o primeiro jogo será contra a Inglaterra, pátria de James Bond e de Lady Diana, dos quais sou fã. 
Outra coisa que gosto em Copas é que o brasileiro faz um carnaval divertido onde enfeita ruas e se fantasiando de pariotas. Eu também entro um pouco nessa "onda" mas não esqueço meu time do coração. Para mim o Corinthians vem antes da seleção. Acredito que no fundo a maioria faz o mesmo, ainda que não torçam pelo mesmo time que eu. Só não admitem. E nem fico cega diante dos problemas que assolam nosso país. Quanto à  isso, sou bem resolvida. Tanto que decorei a janela do meu quarto com uma bandeira do Corinthians do lado esquerdo (o lado do coração) e também uma do Brasil do lado direito.
E também já escolhi por onde acompanhar a Copa: pela TV Band que para mim tem a melhor cobertura da Copa e tem o craque Neto como comentarista e também pela rádio Transamérica FM 100,1 em São Paulo pois gosto muito da narração empolgante do Eder Luiz e de toda sua equipe.



Só que faz muito tempo que não acompanho a Copa assim de maneira ferrenha sem querer perder e também torcer pela seleção como torço pelo Corinthians. Foi - se o tempo em que isso valia a pena. Em 94 e não porque ganhou mas porque estar na seleção para os jogadores era um orgulho e não como hoje onde para eles tanto fez como tanto faz.
Em 94 tinha o mascote do SBT, o "Amarelinho" adorava ele. Aliás o SBT tinha transmissões divertidas e didáticas com Téo José, Nivaldo Prieto e Orlando Duarte, um grande comentarista. Ah, bons tempos aqueles!





Outra Copa inesquecível foi a de 2002. Acompanhei inteirinha pelo rádio. Uma sensação diferente. E a de 82, a primeira que acompanhei e até pintamos o mascote no tempo em que ainda tinha 6 anos e estudava no Externato São Judas.
Espero que apesar do Dunga e sua teimosia a seleção possa vencer mas não vou fazer nenhum discurso otmista. Esperarei os acontecimentos terminando meu álbum da Copa (sim eu também aderi à essa moda) colando figurinhas e preenchendo as tabelas.



segunda-feira, 26 de abril de 2010

Aí vem o Chaves, Chaves, Chaves

Sábado foi um dia muito especial para mim. Um dia que com infinita paciência e sem muita esperança aguardei que chegasse. Em 1984 começou no SBT o seriado mexicano Chaves. E era bem naquele horário chatérrimo onde as crianças que como eu estudava das 7 às 11 da manhã e que por isso não assistíamos quase programação infantil e começavam os telejornais vespertinos em quase todos os canais. Eu chegava em casa trazida por minha avó e após guardar meu material e tirar o uniforme, me sentava em frente à TV para rir com o Chaves. Minha avó não gosta desse programa até hoje. E também teve uma época que eu levei castigo de uma semana sem Chaves. Cumpri 2 dias, no 3º dia eu coloquei a tomada na tv, liguei e deixava mudo para minha avó não ouvir e contar para minha mãe. E como esta várias histórias de Chaves se cruzaram com minha vida, minha infância. E daí em diante comecei a sonhar com o dia em que conheceria alguém do seriado. Meu preferido sempre foi o Quico.
Não tem nada melhor do que dar boas e sonoras gargalhadas na hora do almoço. Parece que a comida desce melhor com gosto de comida gostosa. Jornal, na banca tem, telejornal tem na TV à noite quando os adultos chegam do trabalho. É só escolher aquele de sua preferência. Hoje em dia também tem internet que transmite os vídeos dos telejornais na íntegra assim que você acessa.  Não quero saber na hora em que estou almoçando do que fez o presidente fulano de país tal nem cotação de dólar e muito menos os muitos acidentes de trânsito, assaltos, etc.
Estou há poucos dias de completar 35 anos mas me sinto muito jovem porque escolhi o lado engraçado da hora do almoço. Porém sem sair do mundo real porque no Chaves há elementos da vida real como o menino rico que leva vantagem, o desempregado que não tem dinheiro para o aluguel, o menino que não tem pai, mãe e nem sequer um prato de comida,. Um seriado para rir e refletir, porque não?
No evento voltei a ser criança. Aquela menininha de camisa branca com o brasão da prefeitura paulista no bolso, saia plissada azul marinho, meias impecávelmente brancas, cabelo amarrado com fitas no estilo maria chiquinha e sapatinhos de verniz preto brilhantes saiu de dentro da minha alma. Chorei na parede do Quico, fui na casa da Pati, pulei a amarelinha da Chiquinha, fui na casa do Quico, tirei fotos com o Chaves, o Seu Madruga e o Professor Girafales. Não dá para explicar com palavras o que senti. Deixarei que as imagens falem por mim. No palco me emocionei ainda mais quando dubladores revelaram seus rostos ainda desconhecidos mas de vozes bem familiares. Risadas e lágrimas torrenciais foram a tradução do que senti.
E finalmente, depois de uma longa espera de tantos anos pude conhecer dois dos artistas que sempre me alegraram. Quico e Senhor Barriga ali próximos brincando, cantando, divertindo a todos. Consegui até tocar neles!!! Inexplicável, sem palavras. à eles quero apenas dizer Gracias por las horas de felicidad. Conocerlos fue una alegria muy grande!

























   


Obs: Esse texto mostra apenas o q senti nesse dia, o resto do ocorrido, cabe à imprensa noticiar. Obrigada

terça-feira, 6 de abril de 2010

Dia do fã, um dia dedicado ao sonho e fantasia

É muito comum vermos nas ruas pessoas com camisas dos mais variados times de futebol indo trabalhar, estudar (quando isto é permitido pela empresa ou escola), andando pelas ruas nas mais variadas direções. Não estranhamos, afinal são torcedores comemorando uma vitória ou aguardando o início da partida do seu time do coração. É uma maneira de "apoiar", de "estar junto" como se cada um também pudesse entrar em campo.
Mas e se de repente você sai na rua e vê alguém vestido como um agente secreto, um capitão que veio do espaço, um cartoon ou anime ou mesmo alguém que carrega na sua bolsa um sabre de luz? Logo vem o estranhamento pois tudo foge do cotidiano. Certamente, essas pessoas seriam apontadas como loucas quando na verdade elas agem exatamente como o torcedor de um time de futebol, só que ao invés de times são seriados e filmes.

É claro que as roupas dos personagens são fora do padrão para um passeio ou dia de trabalho e que nem podemos nos arriscar em sermos "personagens" dentro do mundo real. Eu acho estranho a reação da mídia e "psicólogos" que acham que uma roupa faz com que esqueçaos quem somos e passamos a ser outro. Tornando - nos bitolados com assunto tal de filme x ou seriado y. Só que eles não param para verem como cultura os eventos onde por minutos podemos "ser quem quisermos" livres, sem culpa alguma, sem loucura. A mídia e os "psicólogos" acham normal as brigas nos estádios e nas ruas mas não aceitam que os vampiros do Crepúsculo possam conversar com Harry Potter através de fãs fantasiados.
Quero saber qual desses grandes gênios nunca teve na infância uma roupa de super herói, mesmo que improvisada? Mente quem diz que nunca pensou em ser Batman, Superman ou Mulher Maravilha.

E é disso justamente que se trata o Dia do Fã. De homenagear nossos heróis, fazer amigos, brincar com a igenuidade de uma criança mas com perfeição e requinte do adulto. Incentivar a leitura, a ida ao cinema, a cultura.

A versão 2010 do dia do fã foi realizada no dia 28 de março na Estação Ciência em São Paulo. Este evento foi organizado mais uma vez pela revista Sci - Fi News e pelo portal Aumanack e reuniu fãs de sagas de cinema e universos de seriados, sejam clássicos mundialmente famosos ou a "moda" do momento que pode ou não ser daqui há alguns anos um clássico. O evento é recheado de palestras, filmes, interatividade, sorteios de brindes e ao final sempre um lindo e variado desfile de fantasias e coldsplays. Todos os anos eu participo defendendo o universo de James Bond. Este ano, minha personagem foi a bondgirl Tifany Case de um dos filmes estrelados por Sean Connery. Fiquei em 8º lugar no desfile de fantasias e provei que 007 ainda é lembrado e querido nos dias de hoje mesmo após 49 anos encantando gerações nos cinemas em todo o mundo. Seguem fotos do evento. I will return!







segunda-feira, 5 de abril de 2010

"Comi Barriga"

Leitores, há um tempo atrás eu estava muito feliz com as coisas que aconteceram a natação do Corinthians que já publiquei logo de cara aquilo que li. Aliás não só eu mas todo o departamento de esportes aquáticos do Corinthians alardeava "gritos" de "Ahá uhu, o César Cielo é nosso".
A contratação do campeão mundial e medalhista olímpico estava num vai e vem de negociações que surgiram a todo instante e o acerto final não ia tardar, já que tudo dependia de investimentos semelhantes à aqueles que foram feitos quando o Timão contratou Ronaldo Fenômeno.
No último dia 31 de março, a imprensa pegou à todos de surpresa quando anunciou a "bomba": César Cielo acertou com o Flamengo do Rio de Janeiro. Para mim foi um golpe certeiro, fui surpreendida de tal forma que fiquei sem ação e até demorei a postar sobre isso aqui no blog porque nem sabia por onde começar. Sábado, assistindo a TV Gazeta, durante uma transmissão de um jogo do campeonato inglês, eu ouvi a notícia do Cielo novamente e tive a confirmação do fato. Ainda não sei bem o que dizer. Na entrevista do nadador, além da parte financeira, ele afirmou que trocou o PQ São Jorge pela Gávea porque "confiava mais" nos cariocas do que nos paulistas e também pesou o fato da presidente Patrícia Amorim do Flamengo ser ex - nadadora na década de 80, medalhista, recordista e sempre ter nadado pelo clube que preside. Cielo achou que era mais seguro um presidente que realmente sabe como é ser nadador no Brasil no que toca a respeito da parte comercial da coisa. Ele achou que o Flamengo tinha um projeto olímpico "prá valer" visando 2016 e no Timão a coisa era mais ganhar usando a imagem dele como garoto - propaganda. O fato é que eu, além de triste, "comi barriga", traduzindo, dei uma notícia que não foi confirmada. E assim como eu, toda a imprensa profisional também "comeu a tal barriga". Resta lamentar e esperar que um dia, Cesar Cielo dê a alegria de nadar pelo Corinthians. Não foi dessa vez, pena.

domingo, 21 de março de 2010

Ayrton Senna, eterno herói

Se hoje Ayrton Senna estivese vivo, estaria completando 50 anos de idade. Ao longo de sua vida e carreira, Senna foi e ainda é exemplo para os jovens. Não só exemplo de piloto tricampeão que "voava baixo" nos circuitos de Fórmula 1, fazendo - nos vibrar com cada vitória sua nas tardes de domingo embaladas pelo tan tan tan do tema da vitória e por um Galvao Bueno eufórico como cada brasileiro que torcia por ele. Senna também foi uma pessoa muito preocupada com o futuro do Brasil e quase que anônimamente, ajudava pessoas carentes, sobretudo a criançada. Senna deixou um rastro de coisas boas em sua passagem pela Terra, sua semente ainda brota através de seus projetos sociais mantidos pelo instituto que leva seu nome.
De vida pessoal discreta, sabíamos pouco ou quase nada da pessoa por trás do piloto que tanto orgulhou o Brasil e mesmo depois de ausente, continua a nos orgulhar vencendo as barreiras do tempo ao tornar - se o maior piloto de todos os tempos. Um grande esportista que além de amar o Brasil, carregava também a mais popular das bandeiras esportivas por baixo de seu macacão, a bandeira mais bonita, quase centenária. A bandeira do seu Corinthians através de uma camisa branca que ele sempre usava por baixo de toda sua roupa "para dar sorte". Dentro do peito frio do piloto, batia um coração Corinthiano. Hoje, no jogo Corinthians vs Grêmio Prudente, Willian, capitão do time, entrará em campo segurando um capacete comemorativo pelos 50 anos de Ayrton Senna. Homenagem do time que tantas alegrias deu ao piloto em seus momentos de torcedor de futebol.


Saudades Senna, obrigada por tudo. E um Feliz Aniversário esteja onde estiver.