My name is Patthy... Bondgirlpatthy

Bem - vindos ao meu cantinho virtual . A "casa" está sempre aberta à todos que queiram vir aqui ler e comentar meus posts. Este blog não tem compromisso jornalístico portanto não tem compromisso com a imparcialidade. Mas o meu compromisso com a democracia continua. Aqui toda opinião é importante e respeitada. Fiquem à vontade, a "casa" é de vocês. Voltem sempre q quiserem . Um beijo com muito carinho e obrigada.


terça-feira, 25 de outubro de 2011

James Bond brasileiro é Ouro no Pan de Guadalajara

Na noite do último dia 24 de outubro, o patinador artístico Marcel Stürmer de Lajeado – RS deu um verdadeiro show de superação, elegância, perfeição e beleza ao se apresentar ao som de uma seleção de músicas da trilha sonora de James Bond na prova final da Patinação Artística masculina, programa longo (onde além dos movimentos obrigatórios o patinador escolhe quantas vezes e quais serão os movimentos de sua coreografia).
Mas nem tudo foram flores para o patinador que teve seus patins e roupas roubadas na porta do prédio onde mora no Rio Grande do Sul ás vésperas de embarcar para o México.
Ele poderia ter desistido da competição, mas não o fez. Seguindo o exemplo de James Bond nos filmes, seguiu em frente e foi recompensado






De patins novos, recém amaciados e um impecável traje inspirado nas roupas de 007 em preto e cinza, Marcel executou com perfeição e habilidade seus movimentos ao som de um medley de trilhas de James Bond que tinha desde o tradicional James Bond Theme até o empolgante Bond 77. Uma apresentação que, segundo os comentaristas do portal Terra, foi tão impecável quanto um Sean Connery, Roger Moore ou Pierce Brosnan nos filmes. No que particularmente concordei por um aspecto: Além dos movimentos da patinação, Marcel “incorporou” 007 simulando na pista movimentos e poses clássicas do personagem, incluindo ao final o tiro da Gun Barrell executado duas vezes para encerrar sua apresentação.




Após se apresentar Marcel telefonou para a amiga, atleta de tiro, Janice Teixeira que conseguiu apenas a nona colocação em sua modalidade.
A escolha do personagem e da música ocorreu a partir de uma conversa via Twitter com um amigo que havia assistido ao último capítulo de Insensato Coração e comparou uma das cenas exibidas na ocasião aos filmes de James Bond e disse ao patinador que ele (Marcel Stürmer) poderia simular a cena porque era o 007 brasileiro. Não fosse isso, Marcel teria escolhido o hip – hop. Em entrevista ao portal Terra ao final de sua apresentação, disse:
"Estou muito feliz. Realmente a conquista foi de superação. Não poderia ter escolhido personagem melhor para interpretar do que o 007, James Bond. Minha realidade era muito difícil quando eu cheguei aqui, do assalto, sem meus patins, meu material que treino todos os dias e sem minha roupa. Tive uma enorme desestrutura emocional com tudo isso", comparando - se com 007.
Com certeza essa história da vida real renderia um ótimo enredo para um próximo filme de James Bond.


PS: Dedico este post a meu amigo Gustavo Gossen que me passou essa notícia via Twitter. Obrigada Guri.





Video da apresentação: Portal Terra
















sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Feliz Bond Day


Gun Barrell by Maurice Binder
Mesmo que com um dia de atraso (ontem eu saí) quero desejar à todos um Feliz Bond Day.
Dia 6 de outubro de 1962 estreiava em Londres o filme 007 Contra o Satânico Dr No, estrelando Sean Connery no papel do agente secreto do MI-6, James Bond, personagem que surgiu em 1953 nos livros do jornalista inglês e ex- combatente da Marinha Britânica Ian Fleming.
Devido ao sucesso dos livros era inevitável que um dia o espião saísse do campo literário e ganhasse as grandes telas de cinema por todo o planeta.
Não vou me apegar a detalhes de seleção para a escolha do elenco, trilha sonora, embora o The James Bond Theme de Jonh Barry tocado por Monty Norman e sua Orquestra seja uma das mais belas canções do cinema, uma obra prima, acompanhadas por uma abertura que já traz o tom de total inovação,  nem mesmo sobre a adaptação do roteiro do filme, afinal todo fã de 007 pode achar essas informações muito facilmente (e com detalhes mínimos) em sites e livros especializados no assunto.  Falando do filme, vemos James Bond em sua primeira aventura onde ele tenta destruir os planos de Dr No, um misterioso cientista que busca a total destruição do programa espacial norte americano.
Cheio de cenas empolgantes de ação misturada com um toque de sensualidade por conta das Bond Girls, mulheres que 007 seduz e ao mesmo tempo o seduzem. Bond é um personagem que veio romper com tudo que era conhecido no cinema em termos até de linguagem.
Foi por exemplo em Dr No que aconteceu uma ousadia muito grande na parte sensual dos filmes. Em uma cena, Ursula Andress sai do mar  apenas de biquini branco com duas conchas nas mãos e cantando despreocupada, para um instante retirando os óculos de mergulho enquanto é observada por Sean Connery que descansa sentado na areia. Para os padrões da época foi um espanto geral. A beleza de Ursula e o olhar penetrante (e devastador) de Connery em direção à ela foram o impulso para que os filmes de 007 fizessem sucesso desde o início.


Ian Fleming



As filmagens desta cena foram acompanhadas muito de perto por Ian Fleming em pessoa. Ele se impressionou ao constatar  como tinha se tornado grandiosa a sua obra desde que ele vendeu os direitos para a dupla de cineastas Albert R. Broccolli e Harry Saltzman. Além disso, como milhares e milhares de homens em todo o mundo (e muito antes deles), impressionou - se com a beleza exótica de Ursula Andress, deixando esta obsrervação  registrada em um outro livro de sua autoria.
Este primeiro filme de Bond demonstra uma sofisticação incrível em todos os sentidos. Além de imprimir suas características mais conhecidas, suas famosas frases e locações paradisíacas, também traçava a personalidade de James Bond como o smoking sempre impecável, o paladar refinado e a vodka martini batida não mexida, além é claro, da parte que mais me encanta e faz suspirar (inclusive escrevendo o post): a beleza e seu jeito charmoso, sexy e único de seduzir o público feminino, mexendo com o imaginário de cada uma das fãs que tem. Já dizia Raymund Chandler numa análise perfeita: "James Bond é o que todos os homens gostariam de ser. E o que todas as mulheres gostariam de ter embaixo dos lençóis". Concordo totalmente.
Eu sempre gostei do personagem desde pequena. Não sei explicar. Ele me conquistou. Houve um tempo que eu não tinha com quem conversar sobre isso. Mas há 9 anos encontrei pessoas que não só compartilharam esse gosto comigo como também me deram muitas dicas e informações. Sem falar das notícias que cercam esse mundo tão maravilhoso que existe há 49 anos nas telas do cinema.
E, aproveitando quero homenagear um amigo que nunca homenageei em meus posts sobre 007, corrigindo assim uma injustiça que cometi ao longo dos anos. Ele é um guri que não é jornalista mas que através do seu blog James Bond Brasil sempre nos mantém informados sobre 007 em primeiríssima mão. Esse texto é para você querido amigo Marketto. Um fã que é a cada dia referência até para a imprensa profissional. Quando "crescer" quero ser igual à você (acho que te disse isso em algum lugar risos). Abaixo uma foto nossa de quando nos conhecemos nas comemorações do centenário de Ian Fleming. Para mim, além de ser um grande privilégio não poderia haver ocasião mais apropriada do que esta.


Eu e Marketto na 1ª Con 007 em 2008


É muito bom saber que James Bond proporcionou também grandes amizades como esta onde o carinho faz com que as distâncias se encurtem não importando o tamanho delas. E através dessa homenagem que fiz ao Marketto deixo também o meu Bond beijo cheio de carinho aos amigos que conheci por causa de nosso personagem preferido, James Bond. À você Marketto e aos nossos amigos, desejo, mesmo que atrasado, um Feliz Bond Day. Um brinde à nós shaken not stirred.




domingo, 2 de outubro de 2011

Uma Bond Girl entre os Jedis


Fazia um tempão que eu estava devendo escrever alguma coisa aqui sobre um dos eventos mais legais de cultura pop/nerd mais legais que existem no Brasil promovido pelos meus queridos amigos do Conselho Jedi São Paulo. A  Jedicon.
Sempre fui uma pessoa que gosta de ver filmes, ler livros e falar com outras pessoas sobre isso. Mas sabem como é o Brasil: Se não for futebol, fofocas de celebridade, comentar a vida do vizinho  ou noticiário do Jornal Nacional (especialmente de política, tragédias e economia) ninguém quer saber de conversar. Cultura pop então, nem pensar! Discutir temas de livros e filmes não é "normal".
Apesar de sentir falta de falar sobre essas coisas, especialmente James Bond, não achava que existiam outras pessoas que pensassem assim. Até o dia que entrei na Comunidade 007 Brasil no finalzinho de 2002. Foi através dela que finalmente encontrei uma "galera" que tinha tudo a ver comigo e comecei a frequentar eventos para fãs de cultura pop.
A primeira Jedicon que frequentei foi em 2003 junto com os meninos da Comunidade 007. No começo era estranho mas ao mesmo tempo legal. Todo mundo vestido como seu personagem de Star Wars preferido ou mesmo como personagens de outros universos do meio pop/nerd expondo sua coleção pessoal composta de ítens raros ou não tão raros, conversando, dando entrevistas, desfilando e principalmente entre amigos. E o mais importante: sem brigas nem drogas nem bebidas. Uma festa sóbria mas muito legal onde famílias inteiras vão e se divertem.
Tenho muitas recordações boas que vou levar por toda minha existência dessas Jedicons que participei aqui. A de 2003, marcante por ter sido a primeira e ter feito uma exposição junto com os meninos de um grandioso acervo de 007 onde a maioria dos itens era deles e onde conheci Eduardo Torelli que naquele ano lançava seu livro Sexo Glamour & Balas sobre James Bond. Foi na Jedicon que conheci um escritor pessoalmente pela primeira vez na minha vida.
Já a Jedicon de 2009 foi marcante até mesmo um dia antes de começar porque aquele ano conheci Jeremy Bulloch, ator que além de participar de filmes de Star Wars como o personagem Boba Fett
também participou de dois filmes de 007 como o personagem Smithers, assistente de Q. Foi marcante conhecê - lo e poder conversar com ele e no outro dia em meio à multidão dos dois lados da Força representados no evento receber de longe um aceno carinhoso e simpático por ele ter reconhecido você.
Dele ganhei um lindo presente que compartilho agora com vocês.


Foto autografada de Jeremy Bulloch dedicada a mim

São muitas as recordações de tantos anos passados deste evento tão bacana. Não caberiam todas aqui. Mas guardo no coração cada uma delas.
Ontem houve mais uma edição da Jedicom na APCD  (Associação Paulista dos Cirurgiões Dentistas) de São Paulo, Zona Norte, próximo ao Metrô Tietê.
A animação começa logo quando você chega pois ali, acima de qualquer coisa existem amizades muito verdadeiras que ultrapassam gerações. Me lembro que eu quando entrei pela primeira vez numa Jedicon tinha praticamente dois amigos que mal acabava de conhecer pessoalmente e saí de lá conhecendo muitos outros novos amigos.
Por todo canto que olhamos numa Jedicon, além dos stands de Conselhos Jedis de vários estados brasileiros também temos pessoas que não tem a ver com Star Wars mas que são as chamadas "pessoas amigas da Força". Eu faço parte desse grupo há quase nove anos e é uma grande alegria para mim. Tem de tudo. Desde Senhor dos Anéis até fãs de vampiros. Sem contar os Trekkers que dizem "não se bicarem" com Star Wars.
É um evento muito bonito e gostoso de se visitar e também de se expor coleções. Eu já fiz algumas exposições e quem sabe ano que vem volte a expor por ocasião dos 50 anos de James Bond no cinema. Ainda é uma ideia que estou amadurecendo.

Uma particularidade que a Jedicon teve sempre foi a cobertura da imprensa que não está acostumada a cobrir eventos de fãs. Por vezes também algumas emissoras como a TV Cultura costumam dar destaque enviando seus profissionais como a simpática Gabi do programa Pé na Rua voltado ao público teen. Ela estava perfeitamente vestida de Princesa Léia .





Além da presença da imprensa também podemos notar que vários escritores sempre comparecem para divulgar seus livros. Geralmente pessoas como Renato Azevedo, Giulia Moon, Georgette Sillen, Adriano Siqueira e tantos outros, por não serem famosos nem estrangeiros, não tem muito espaço na mídia tradicional. Com muito esforço e amizades, essas pessoas divulgam e são conhecidas graças aos seus blogs e a esses eventos onde comparece um público formados por fãs e amigos .


São muitas as coisas diferentes que vemos numa Jedicon como também crianças que mal eram nascidas quando George Lucas criou esse verdadeiro fenômeno atemporal . Essas crianças aprendem desde o básico sobre os filmes mas também técnicas de duelos de sabre de luz ou apenas brincam livremente duelando entre si mas sem violência. Tudo fica só na encenação e brincadeiras.

A cada ano que passa, a Jedicon fica cada vez melhor independente da qualidade dos filmes. O pessoal a cada ano se supera em criatividade e perfeição e promove a união de amigos em torno de um divertimento saudável e familiar. 

Amizade e criatividade são sem dúvida os maiores lemas que a Jedicon leva ao grande público através de seus organizadores e participantes. Na parte criativa, além das fantasias clássicas que representam fielmente os figurinos originais dos filmes vemos adaptações que são ousadias "permitidas" que acabam tornando uma atração à parte. Exemplos claros disso são as versões femininas ou modernas dos personagens e algo que particularmente chamou a atenção este ano: uma versão do personagem Boba Fett mais elegante, usando terno. Inclusive venceu o concurso de colsplays de vilões Star Wars (categoria Dark Side). Pessoalmente achei um luxo e muito criativo. Se Jeremy Bulloch, o intérprete do personagem original tivesse visto, certamente ele ficaria orgulhoso da criatividade brasileira. Eu adorei, ficou uma mistura mais que perfeita de Star Wars com James Bond. Vejam essas fotos que vocês vão entender.





E na parte da amizade não há palavras para definir. Amigos que vemos em todo ou quase todo evento. Uma amizade que veio da magia da sétima arte e o gosto pela cultura pop/nerd onde apenas "brincamos de sermos felizes" com pessoas que nos entendem...












...e encontros memoráveis entre amigos da "vida normal" do nosso dia a dia num lugar de fantasia onde seria inimaginável encontrá - los. São coisas que só uma "balada" como a Jedicon é capaz de proporcionar




Em todos esses anos que participo de tudo isso, só posso e devo agradecer  ao Conselho Jedi São Paulo, especialmente ao casal amigo Marcelo e Fabi. Obrigada por tudo de verdade. Para mim é e sempre será uma grande honra ser uma Bond Girl entre amigos Jedis. Queridos, de todo meu coração, os amo muito. E desejo que a Força esteja com vocês. Um grande Bond beijo. Amo vocês!

Nota: Obrigada Marcelo por permitir o uso da imagem do cartaz da Jedicon 2011