My name is Patthy... Bondgirlpatthy

Bem - vindos ao meu cantinho virtual . A "casa" está sempre aberta à todos que queiram vir aqui ler e comentar meus posts. Este blog não tem compromisso jornalístico portanto não tem compromisso com a imparcialidade. Mas o meu compromisso com a democracia continua. Aqui toda opinião é importante e respeitada. Fiquem à vontade, a "casa" é de vocês. Voltem sempre q quiserem . Um beijo com muito carinho e obrigada.


quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

É com você Lombardi... Adeus Silvio

Ontem mal tive tempo de entrar na internet. Prá falar a verdade, nem entrei pois estava muito cansada quando cheguei da aula de natação e, após almoçar, como de costume, descansei assistindo o DVD do seriado 24 horas que comprei recentemente duas temporadas. Enquanto isso, minha mãe tinha ido ao banco e lá ela soube na fila de uma notícia que não só abalou o Brasil mas a mim também.
Chegando em casa, ela disse que Lombardi, o misterioso e famoso locutor de Silvio Santos havia falecido. E pensou que eu já soubesse de tudo pela internet.  Liguei a TV no programa da Sônia Abrão que sempre dá notícias desse tipo quase que no momento em que ocorrem. E estava lá a triste notícia bem na minha cara.
Senti um vazio imenso, parecia que tinha perdido alguém. Afinal, desde pequena, acostumei - me à aquela voz forte e inconfundível e também à curiosidade de saber se essa voz tinha de fato um rosto humano e como era esse rosto. Curiosidade esta que em 1992 começou a ser desfeita, na ocasião em que fui numa caravana feita pela escola onde eu estudava o ensino médio assisti a uma gravaão de "Passa ou Repassa" ainda no comando de Gugu Liberato. A gravação foi feita nos estúdios antigos da Ataliba Leonel e correu bem, foi divertidíssima. Quando estávamos indo embora, ouvi uma voz familiar falando alguma coisa para um dos funcionários do SBT. Pensei: "Será o Lombardi ou alguém imitando?" Minutos depois, um homem aparece na porta como que a olhar algo na rua e volta, calado. Muito rapidamente, em seguida, a voz "conhecida" recomeça a falar e para segundos depois. Desencanei por completo e nem mesmo comentei o fato com minhas colegas.
Anos se passaram e um dia fui assistir a uma gravação do Silvio Santos com minha mãe numa caravana, desta vez nos estúdios da Anhangura, onde fica atualmente o SBT. Nesse dia, vi claramente Lombardi em pé, diante de seu microfone do lado do auditório que não era tão focalizado. Nos intervalos, Lombardi brincava, cantava, era um show à parte. Estou sentindo muita falta dele que assim como foi um mistério enquanto viveu, partiu sereno e discreto sem despertar no dia seguinte. Não vai ser fácil não ouví - lo mais falando seu "Oiiiiiiii Silviooooooooo", mas sua lembrança, ainda que breve, ficará no meu coração.
E o Lombardi agora vai descansar.

domingo, 15 de novembro de 2009

Missão Smithers

Sexta - feira passada, a Comunidade 007 Brasil teve uma missão especial, entrevistar o ator Jeremy Bullock, que  fez 3 filmes de James Bond como Smithers, assistente de Q. Nossa equipe foi recebida por ele no hotel Renassense em São Paulo. O bate papo correu fácil como se estivéssemos recebendo em nossas casas um velho amigo que vem nos visitar. Entre uma brincadeira e outra, e com paciência, Bullock respondia perguntas e "testava" um a um para ver quem de nós poderia um dia atuar em Hollywood. Resultado: mico geral. A entrevista será disponibilizada em muito breve pelo youtube. Ao final de tudo, fomos presenteados com fotos dele em cena como Smithers autografadas com carinho. E não posso deixar de agradecer não só o carinho de nosso "old pal" Jeremy "Smithers" Bullock mas também a colaboração única e preciosa de nossa amiga Mary que foi a intérprete dele e também de nossa amiga Fabi "Chewie", Relações Públicas, primeira dama do Conselho Jedi São Paulo e responsável oficial pela agenda de Jeremy Bullock no Brasil. Obrigada amigas, vocês não existem, Maravilhosas como sempre. E claro, nosso agradecimento especialíssimo à Jeremy Bulock e sua digníssima esposa e assistente. Que façam uma ótima viagem de volta e um dia regressem para nos visitar. Thanks a lot Smithers.

Uma última coisinha: Ontem, durante a primeira sessão de autógrafos de Jeremy Bullock na Jedicom SP 2009 eu estava tirando fotos do stand dele, aí ele me viu de longe e acenou para mim. Fiquei feliz por ser reconhecida, respondendo seu aceno, disse: Hi Jeremy. Um cara mto legal e "very very funny"








quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Viva Roger Moore

Estou aqui hoje escrevendo para homenagear uma pessoa que admiro muito pois foi através dela que conheci um dos meus personagens favoritos do cinema. Muitas pessoas que me conhecem sabem que comecei a gostar de James Bond por mero acaso, ainda muito pequena.
Estou falando de Roger Moore. Embora ele não seja meu Bond preferido, gosto muito do seu jeito de interpretar o personagem. Ele deu novas características que ainda eram um pouco ausentes no 007 interpretado por Sean Connery (esse sim um de meus dois atores preferidos no papel). A elegância ao se vestir com qualquer tipo de roupa, não só o tradiconal smoking. Aliás Roger Moore aproximou 007 de um guarda roupa bem mais comum, usava roupas que remetiam ao dia a dia do homem inglês. Moore também incorporou outra marca no personagem. O delicioso e sofisticado bom - humor com tiradas que nem sempre são compreensíveis do grande público. A gana e a paixão com a qual ele trabalhava e claro, o fato dele ser inglês, de falar com tanto charme e aqueles olhos azuis que parecem inocentes mas são provocantes  brincando com essa mistura de sensualidade e inocência.
Roger Moore, ao contrário de outros atores sempre sentiu orgulho em ter feito os filmes de James Bond mesmo que numa época de pouco sucesso.
Mas Roger Moore não é só um grande ator, também é um homem de bom coração. Dedica seus dias à campanhas da UNICEF ajudando crianças carentes, usando além do dinheiro, sua fama e prestígio. para realizar suas boas ações. E por seus méritos, a Rainha Elizabeth concedeu à ele o título de "Sir" por todos os serviços prestados, seja atuando nas telas do cinema, no teatro e na caridade. Feliz Aniversário Sir Roger Moore, vida longa e feliz. Receba hoje e sempre ao menos um pouco daquilo que você dedicou ao seu próximo e também do carinho de quem o admira por tudo que fez e ainda faz. Beijos.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Minha Madrinha do Céu

Para quem não sabe, hoje além do dia da criança e Descobrimento da América é também o dia de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil. Para mim, Ela também é minha Madrinha. Eu tenho aqiui na Terra a minha madrinha Lia q me batizou e que também é minha tia. Mas além disso, sou consagrada à Nossa Senhora Aparecida desde o dia do meu batismo por isso A chamo de "Minha Madrinha do Céu.



Minha própria vida já é um milagre. Quando eu nasci, tive complicações muito sérias, minha mãe me disse que eu fiquei entre a vida e a morte. E graças às orações de toda minha família, especialmente de minha avó, católica fervorosa e também dos cuidados médicos e principalmente do amor inabalável de minha mãe eu sobrevivi e estou aqu. Cheguei a ser "batizada" no hospital pois era quase certo que eu não escaparia. Mas meu coração é forte eu sobrevivi. No dia 13 de junho de 1975 eu entrava na igreja para ser batizada e além do batismo, o padre ergueu - me diante da imagem de Nossa Senhora Aparecida e me consagrou à Ela. Eu nunca consegui chamá - La de Nossa Senhora, sempre A chamo de Madrinha. Foi assim que minha mãe me ensinou desde pequena. Na igreja ela sempre me dizia: "vai ver a sua Madrinha".Aos três anos andei pela primeira vez por um milagre atribuído à Ela, Nossa Senhora. Paguei promessa de minha avó aos treze anos entrando de branco da cabeça aos pés na Basílica Nacional em Aparecida - São Paulo.  E a Lia, minha madrinha aqui da Terra, não chamei de madrinha nunca. Primeiro por não me ensinarem e depois, sei lá por que motivo. Mas também a amo muito. Depois de adulta, minha Madrinha do Céu fez muitas coisas por mim como curar meus olhos de um micro estrabismo e miopia. Entreguei - Lhe meu último par de óculos. Não sei se você que lê essas linhas acredita em tudo que eu disse ou não. Deixo aqui acima de tudo uma mensagem de Fé e de que milagres existem, basta acreditar. E para minha Madrinha do Céu, mesmo sem às vezes merecer, peço humildemente a Sua Bênção.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Rio de Janeiro capital do esporte

Hoje o mundo soube que em 2016 os jogos olímpicos serão na cidade do Rio de Janeiro. Eu fiquei feliz com a notícia mas ao mesmo tempo fiquei com medo.
Sabemos que o Brasil enfrenta problemas com segurança, educação, saúde, transporte, cultura, trabalho e a vinda de um evento tão grandioso quanto os Jogos Olímpicos requer que melhoremos (e depressa) a nossa estrutura e nossa imagem perante o mundo.
Podem falar o que quiserem aqueles que dizem que não gostamos do nosso país e que vivemos detonando tudo que é feito aqui.mas a verdade tem que ser dita.
Nosso povo é injustiçado, trabalha muito por um salário miserável, pagamos impostos caríssimos sem retorno. Vemos nos jornais e na TV a roubalheira correndo solta. E para completar, até bandido vira astro de cinema como se fosse um pobre coitado. Graças à DEUS o Oscar nunca premiou filmes como "Cidade de Deus", "Carandiru" e outros tantos. Falo tudo isso porque ainda tenho esperança que o Brasil seja um país sério e digno. Quanto aos jogos, vale a festa e o oba oba mas não se pode esquecer de trabalhar duro para que os jogos de 2016 sejam o pontapé inicial para nosso país ter uma fama melhor perante o mundo possibilitando uma vida digna para aqueles que aqui vivem, nós. E cabe a todos fiscalizar e colaborar para que isso aconteça.

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Giulia Moon e o maravilhoso mundo de Kaori





Os vampiros são seres que causam no ser humano os mais diversos sentimentos. Causam fascínio e seduzem pois são criaturas de aparência sensual e bela. Seus gestos de extrema elegância e delicadeza. Nos despertam curiosidade pois a vida sombria e misteriosa nos fazem imaginar a todo momento o que se esconde por trás de cada um que fica encoberta pela escuridão da noite. Causam medo e excitação. Quem não gosta de um pouquinho de perigo para tornar as coisas mais emocionantes? E os calafrios que as vítimas dos vampiros sentem quando eles ficam perto do pescoço preparados para morder? O coração acelerado a ponto de sair pela boca. E sempre conhecemos os vampiros como homens lindos e extremamente sedutores, elegantemente vestidos com roupas do século XVIII. Com aparência de juventude eterna.





Ontem isso mudou um pouco. Foi lançado em São Paulo o romance "Kaori Perfume de Vampira", de Giulia Moon. Minhas primeiras impressões sobre Kaori, uma vampira oriental que vivia no Japão derrubaram muitos dos mitos sobre os vampiros. Kaori é uma delicada japonesa muito humilde, traços finos como uma bonequinha de porcelana. E além da delicadeza e sedução de Kaori, fazemos uma agradável viagem pela cultura milenar do Japão.





Giulia Moon nos prende como uma vampira prestes a morder mais uma vítima. Mas não usa os dentes, apenas as palavras que nos hipnotizam e aguçam nosso desejo para descobrirmos os mistérios do perfume de Kaori.





Sucesso amiga, você merece. Um beijo enorme. E que Kaori seja tão marcante quanto é o seu perfume .

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Parabéns meu amor por seus 99 anos




Aposto que vocês leitores pensaram q endoidei de vez estando eu com 34 anos me apaixonar por um senhor de 99 anos de idade. De certa forma sim. Mas calma que vou esclarecer as coisas para ninguém ficar pensando bobagem.
Ele não é um senhor qualquer, está em minha vida há 29 anos. Esse senhor, a quem chamo de meu eterno amor tem o nome de Sport Club Corinthians Paulista.
Nossa, quantas alegrias você me deu como os campeonatos Paulistas, as copas do Brasil, os Rio São Paulo, as Taças de Juniores e o campeonato Mundial que tantos contestam por nos invejar. Para mim só importa nós, não me importa o falatório a não ser para fortalecer o que sinto.




Mas você sabe o que mais me orgulha: sua histórias de luta. Não foi fácil chegar onde você chegou.
E mesmo sendo famoso e amado também por outras pessoas nada continua sendo fácil não é?
Recentemente passamos por uma grandes provações: as perdas da Libertadores em 99, da Copa do Brasil de 2008 e a queda para a série B. Mas nem isso nos separou e nem nos separará. Nosso amor é eterno. E juntos superamos todos eles. Tudo passa e você permanece eterno. É uma honra e um orgulho defender sua bandeira nas águas que tantos campeões formou. Frequentar sua casa e lá me cercar de amizade, carinho e amor.



Meu coração é eternamente seu. Parabéns e obrigada por existir para alegrar minha vida.




segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Fãs de Gugu sejam bem - vindos à Record


Em primeiro lugar quero esclarecer que tudo que vocês lerão a seguir não passará da visão apaixonada de uma fã e também que abrirei uma excessão de comentar algo sobre televisão já que este blog não segue linha jornalística nenhuma, mesmo "fofoca news" mas que o fato merece por sua importância na história da tv brasileira. Dito isto, vamos ao que interessa.`

Pontualmente às 20 horas de ontem, 30 de agosto, começou uma nova era na carreira de Gugu Liberato e também de novos hábitos por parte dos fãs. A canção "Pintinho Amarelinho" ganhou uma versão mais dançante para se adequar à abertura de um programa de televisão. Entrava no ar o "Programa do Gugu". Com algumas novidades e quadros clássicos que ele comandava desde o SBT. Mas não vou me ater a tantos detalhes que jornalistas certamente publicarão. E é claro que gostei muito do programa até porque tinha o que mais eu queria ver: Gugu.

E fiquei surpresa com as atitudes dele no palco. Embora Gugu já seja um veterano na TV, ontem senti que ele estava como um menino que acabava de dar os primeiros passos. Seguro, contente, com um brilho no olhar de quem quer ver tudo dar certo. Estava muito à vontade com a platéia e as câmeras mas tinha também o nervosismo da estréia. Natural .

Depois de tanto tempo trabalhando um só lugar que tornou - se praticamente a extensão da sua casa, onde tudo e todos são conhecidos, uma mudança total não é moleza de encarar. E justamente por esse motivo cometer a única coisa que certamente será alardeada pela imprensa: o fato de ter se referido ao seu novo programa como sendo o antigo chamando "Programa do Gugu" de "Domingo Legal". Isso foi um prato cheio. Puxa, tanta coisa para ser dita e comentada e hoje vejo uma notinha num jornal de São Paulo que menciona esse fato quase como principal destaque. Ninguém quis e nem vai querer saber o que Gugu estava sentindo ontem enquanto estava no palco, as horas que antecederam enquanto se preparava em seu novo camarim na Record. Nem ao menos um desejo de "boa sorte".

Hoje na Band tem CQC, um programa que também adoro assistir, que me tornei fã e certamente Gugu irá para o "top five" que aponta as cinco gafes mais absurdas da TV na semana. Mas lá é normal verem apenas isso. O que não é normal é a imprensa não tratar como deve ser tratado, um momento de mudança histórica. Felizmente para Gugu, a Record e os fãs (novos e antigos) existirão três lugares na internet onde esse "errinho" passará despercebido por serem lugares escritos por fãs por ter a visão dos fãs: este blog e mais dois lugares. O blog do Gugu Liberato (escrito por um fã) e o fã clube virtual oficial Planeta Gugu cujos links estão na sessão "Visite também" . É isso então que queria falar. E quero reinterar meus votos de boa sorte e sucesso ao Gugu deixados ontem.

domingo, 30 de agosto de 2009

Depois de tanta espera Gugu estréia hoje na Record. Boa sorte Gugu!



Depois de tanta espera, finalmente hoje às 20 h estréia o Programa do Gugu na rede Record. Estou muito feliz e ansiosa, afinal é um momento muito aguardado na carreira do Gugu. Vai ser o primeiro de muitos domingos que verei Gugu em outra emissora que não seja o SBT.


Acompanho a carreira dele desde o começo e estava muito acostumada à associá - lo com a emissora de Silvio Santos. Fico pensando também no que se passou no coração de Gugu e de fãs como eu nesses dias que tudo começou desde a assinatura do contrato com a nova emissora no dia 25 de julho. Eu estou ansiosa confesso. Parece até que sou eu que vou estreiar. De certa forma pois pela primeira vez não colocarei no 4 mas no 7 para assistir ao artista q tantas vezes alegrou meus fins de semana. Desde o Viva a Noite até o Domingo Legal que continua de outra forma e em outro lugar, com outro nome. Sei que terá novidades e estou curiosa para saber quais. E o que será que Gugu está pensando nesse momento? Será que está nervoso, ansioso como naqueles dias longínquos do começo de carreira? Eu só sei que nada será igual mas que mesmo assim, como sempre estaremos de certa forma, juntos. Boa sorte Gugu, estou torcendo por seu suceso mesmo que você nunca saiba disso. Afinal, como diz a sua música "Sorria para a vida", se estamos juntos tudo fica mais feliz. Um beijo.







domingo, 16 de agosto de 2009

Muitas emoções pelo telefone celular

Estou ainda tentando acordar de um sonho maravilhoso. Tudo começou quando meu grande amigo e irmãozinho Gustavo, lá de Porto Alegre RS falou que iria ao show do "Rei" Roberto Carlos no Gigantinho. Até aí nada demais. Fiquei feliz por ele ter ido e ter dividido essa alegria comigo. Só um detalhe: Moro em São Paulo e ontem estava em casa.
Aí é que queria chegar. Estava navegando na internet e meu celular tocou. Era um torpedo dele dizendo que Roberto Carlos estava no palco cantando "Proposta". Respondi o torpedo achando que isso era tudo. Cinco minutos depois, o celular tocou novamente. Era o Gustavo. Tudo que me disse foi: "Queria dividir uma coisa contigo". Concordei e de repente estou debulhada em lágrimas incontroláveis. Do outro lado da linha Roberto Carlos cantando "Cavalgada". Tive a sensação que Roberto cantava apenas para mim. Ao terminar a música e os intermináveis aplausos dirigidos ao "Rei", a ligação foi finalizada. Mais alguns minutos e nova ligação. Gustavo e eu cantamos juntos trechinhos de "Namoradinha de um amigo meu", sucesso da época da jovem guarda.
Foi um presente tão maravilhoso que é impossível explicar o que senti. Provávelmente só duas pessoas na Terra, Gustavo e eu, são capazes de compreender tamanha dimensão do que aconteceu nem o próprio "Rei" nem ninguém. Tem coisas que não se explica, apenas sente. E só uma amizade movida por tanto carinho e por tanto amor fraternal é capaz de realizar algo tão bonito. Obrigada Guri obrigada por tudo anjinho, estou sem palavras diante de tanto carinho. Um beijo.

terça-feira, 28 de julho de 2009

Comunidade 007 contra o misterioso Japa San

Conto inspirado em fatos reais

Um grupo de amigos fãs do agente secreto James Bond, realizava sua segunda convenção numa famosa livraria da cidade de São Paulo. Todos já tinham contato pela internet e também por telefone e assim se falavam todos os dias pelo menos uma vez. Mas faziam quatro meses desde o último encontro que tiveram pessoalmente.
Estavam todos animadíssimos, tanto pelo evento em si como também para rever os demais. Esse dia ia ser muito especial pois haviam pessoas que viriam à São Paulo especialmente para esta convenção e estes, já fazia um ano que não viam seus amigos.
Na sexta - feira, um vai e vem de e - mails cruzava as fronteiras da internet enquanto alguns desses amigos cruzavam os céus e estradas que levavam à cidade que amanhece trabalhando. Alguns se encontraram antes na noite paulista para se confraternizar e outros aguardavam o que viria na tarde seguinte.
Sábado à tarde, a tão esperada hora chegou. E todos os caminhos levavam à convenção. Corações pulsando de ansiedade e alegria. Aos poucos as pessoas vinham chegando. Cumprimentos calorosos, abraços apertados e beijos cheios de carinho, Conversas animadas sobre James Bond e sobre cinema intercaladas pelas novidades corriqueiras da vida particular de cada um e piadas para descontrair.
Dentro do auditório da livraria, todos acomodam - se e o Mestre de Cerimônias e toda a equipe da Comunidade 007 sobe ao palco e se apresenta . Era um evento muito importante: comemorava – se 30 anos do único filme que teve o Brasil, mais especificamente a cidade do Rio de Janeiro, como cenário. 007 contra o foguete da morte.
E foi aí que o grande mistério começou a se tornar presente. Para explicar melhor, voltemos à antes da entrada da equipe no palco: Eu me preparava para tomar meu posto junto aos rapazes membros da equipe. Ainda estava na platéia quando chegou perto de mim uma figura muito amável e de aparência inofensiva. Traços orientais, vestido com uma jaqueta bem aconchegante que o protegia do frio que fazia em São Paulo e também conferia – lhe um ar misterioso próprio dos grandes personagens de espionagem das telonas. Muito educado e fino dirigiu – se a mim:
-Tenho um material que trouxe para a senhora.
Eu confesso que estranhei o fato dele ter se dirigido a mim como “senhora” só que orientais tem essa peculiaridade de muita polidez e respeito quase submissos. Também confesso que por não estar acostumada ao sotaque oriental não compreendi muito bem. Indiquei o Escritor que estava no evento, muito amigo nosso além de ser nossa principal referência especializada no assunto James Bond. O cidadão nipônico seguiu para a direção do Escritor. Uma das garotas que estavam ao meu lado me perguntou de onde eu conhecia o Japonês. Respondi que não o conhecia e o mistério começou prá valer. Essa Garota, uma de minhas amigas mais queridas me disse:
- Você não entendeu? Ele queria te mostrar o material que trouxe.
Ficamos pasmas, sem entender o fundamento daquela rápida conversa.
Voltemos ao momento em que o evento começou: Fomos nos apresentar brevemente e dar boa tarde aos presentes. Os rapazes e eu, do palco observávamos a todos na platéia e ao mesmo tempo os movimentos do Japonês. Ele sentou – se na cadeira ao lado de minha Amiga e abriu a sua misteriosa maleta. Uma maleta comum, preta, dessas que muitos homens carregam documentos importantes. Ali mesmo começou a escrever uns papéis freneticamente numa velocidade que espantou todo mundo.
Começou o evento com um lindo vídeo de abertura produzido especialmente para a ocasião. O Produtor caprichara. Ficou maravilhoso e encheu os olhos de todos os presentes. Em seguida aos aplausos ensurdecedores que contemplavam a beleza e o requinte do vídeo, assim como os agradecimentos modestos de quem o criou, foi vez do Presidente resumir em breves palavras o significado do evento. Permaneci numa das cadeiras na lateral do palco observando o Presidente. Começou outra palestra.
O Bem Informado começou a falar sobre as últimas novidades que cercavam o mais novo filme da série. Contou coisas inéditas e surpreendentes. Depois de sua palestra, Bem Informado abriu espaço para perguntas sobre as notícias. Eu fiz a primeira pergunta e ele respondeu. Era uma pergunta simples que ele não demorou a responder. E na platéia, perguntas “choviam” e todas eram respondidas com detalhes e simpatia. Aí o Japonês, que não parava de anotar começou a perguntar, argumentar. E ouvido com paciência, começou a dar “ar de sua graça”. Outros perguntavam sempre interrompidos pelo simpático e misterioso cidadão.
Em seguida foi minha vez. Como voz feminina oficial eu tinha que falar das Bondgirls. O material era pouco e por isso mesmo minha parte seria rápida. Fiz a palestra dando o meu melhor. Quando encerrei, o Japonês me disse que uma Bondgirl, Holly Goodhead, continuava trabalhando em meio aos foguetes e naves, que estava bem viva. Agradeci sem saber se era ou não verdade. O fiz mais por cortesia do que por qualquer outro sentimento. Aquilo tudo me confundiu ainda mais.
O Produtor em seguida assumiu o microfone. Sua parte, junto com o Jornalista, falava amplamente sobre trilha sonora. A palestra foi a melhor de todas, a mais ampla e detalhada mas não ficou chata. Ao contrário, faltou só virar um grande baile temático com músicas de 007. Esse assunto, por ser o mais polêmico (música é como religião, política ou futebol, questão de diferentes pontos de vista e gostos) porém o menos discutido. Juntamente com essa parte também englobou – se “special effects”, esse tema sim, debatido amplamente. Bem, o fato é que a dupla de palestrantes deu um show e, novamente o “bombardeio” de perguntas e respostas.
Enquanto a palestra “rolava”...
... nosso misterioso Japonês continuava a escrever seus papéizinhos. Vez em quando balbuciava algo sobre o assunto em questão sem perder a concentração naquilo que fazia. Após a palestra do Produtor e do Jornalista, pausa para um documentário que resumia tudo que foi dito até aquele momento. Num certo instante, o Presidente veio sentar – se a meu lado no palco e de lá, assistíamos ao documentário.
Quando acabou o DVD, começava um bate papo entre o Escritor, o Mestre de Cerimônias e o Convidado Especial. Nessa hora, é que o Japonês se mostrou sem revelar sua identidade real. Eu fui para a platéia e de lá acompanhei o bate papo. Quando cheguei para tomar meu lugar na primeira fila, o cidadão entregou – me um papel com um site. Igual aos demais que havia escrito e entregue à outras pessoas. Neste papel, escrito com uma letra de mão meio grande e desalinhada havia a seguinte “mensagem”:

http://www.danielcraigisnotbond.com/

http://www.google.com.br/

Enter.

Daniel Craig is not Bond
Depois click traduzir a página

Um verdadeiro mistério que não conseguimos resolver porque esses “santinhos” são a nossa única coisa deixada pelo Japonês. Guardei o meu papel como recordação de um grande mistério por enquanto não resolvido.
Voltando ao bate papo: Escritor não conseguia argumentar uma única vez sem ser interrompido com os chamados de “Senhor Escritor, senhor Escritor”. Escritor, mesmo em momentos que não podia ser interrompido, jamais se negou a responder as perguntas e a contra – argumentar sobre os assuntos ali debatidos.
Antes do encerramento, sorteio de brindes para o grande público. Claro que nesse momento, o Japonês aproveitou – se para distribuir sua “mensagem” e também recolher nossos e – mails pessoais sabe – se lá prá quê.
Ao fim de tudo, depois do vídeo de encerramento que o Produtor fez tão brilhantemente quanto o primeiro e dos agradecimentos gerais, o cidadão saiu sem ninguém saber quem ele era, nem mesmo o nome.
Alguns dias depois, telefonei para Escritor e Mestre de Cerimônias. Ao falarmos sobre nosso grande mistério, soube apenas que a tal mala foi entregue e depois desapareceu em algum lugar próximo à livraria. E que um dos conteúdos seriam DVDs mas ninguém afirmou com certeza. Quem encontrou a tal mala provávelmente é o único no mundo que sabe o que se esconde por trás do mistério de Japa San.

FIM, até o próximo mistério.
I will return.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Viva o dia do homem, o mais belo dia do ano que insiste em ser esquecido


Pouca gente sabe. Mas hoje é um dia que deveria ser lembrado pela sociedade, especialmente por nós mulheres. Não temos esse hábito porque esse dia não é divulgado e deveria ser. E muito. É dia internacional do homem, não do ser humano mas da pessoa do sexo masculino. Se dizem que as mulheres foram reprimidas por séculos, enclausuradas em suas casas, sem direito a opinião e totalmente submissas aos homens, não pensem que eles também não tiveram sua repressão. De certo vocês já ouviram a famosa frase "homem não chora". Desde pequenos, os meninos são instruídos a reprimirem seus sentimentos, suas dores. São forçados a serem corajosos com isso "demonstram sua masculinidade".
Paremos para pensar um pouco: o homem tem sentimentos, tem um coração no peito que nos aquece e nos acolhe com carinho, é capaz de gestos delicados como oferecer flores, ouvir, nos fazer sentir especial e única naquele momento em que está conosco, seja este homem um irmão, um pai, um amigo ou um marido. Somente com um olhar são capazes de nos dizer tanta coisa... Com um abraço deles nos esquecemos do porque estamos tristes para precisar de um abraço ao mesmo tempo que a lealdade deles, pouco divulgada, nos diz a verdade e não somente aquilo que queremos ouvir.
E o mundo? O que seria do mundo sem eles? Seria triste pois não teriam risos provocados por suas brincadeiras. Seria só pois não teria a amizade e a união incondicional que eles conservam. Seria silencioso porque não teríamos suas vozes lindas para ouvir seja torcendo por seu time de futebol, seja trabalhando ao telefone. É muito agradável sermos atendidas por alguém com uma voz linda não é meninas? Dizendo "eu te amo" ou "como você está linda". Fora que eles são, cada um do seu jeito belos, dignos de admiração e contemplação que nos fazem suspirar. São apaixonantes. Quero dizer à todoos os meus amigos, tios, primos que os amo muito e agradecê - los por todo carinho e por deixarem minha vida e o meu "pequeno mundo" cada vez mais belo. Um beijo carinhoso no coração de cada um.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Em 9 de julho de 1932 começou a liberdade paulista



Se hoje você lê essas linhas que escrevo é porque alguém morreu para que isso fosse possível. Para aqueles que não me compreendem ou que não são paulistas eu explico. Havia a ditadura militar que proibia à todos no país de se expressar livremente, até notícia era censurada. O povo paulista, em 25 de janeiro de 1932, na Praça da Sé começou uma série de atos civis e batalhas sangrentas contra o governo de Getúlio Vargas e o regime ditatorial. Surgiu, tempos depois aqueles que seriam símbolo de uma história, o MMDC, formado por jovens civis e militares paulistas. Este nome foi escolhido a partir das iniciais dos jovens mortos em combate em uma das batalhas: Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo. A batalha "decisiva" para que ocorresse essa revolução eclodiu em 9 de julho de 1932. Os heróis combatiam com uniformes humildes, pouquíssima munição, armamentos e transporte obsoletos mas acima de tudo, não perdiam a fé e a coragem na luta pelos seus ideais. O restante do país estava contra São Paulo e por isso tinham mais recursos, tudo de melhor pois tinham o apoio do governo. São Paulo tinha apenas a sua cara e coragem e seu povo que se doou por inteiro materialmente e espiritualmente pela causa. A batalha foi perdida mas esta derrota não foi em vão porque dois anos depois, uma nova constituição foi promulgada dando um pouco mais de liberdade ao povo paulista e também aos brasileiros.
Hoje para mim, esses valorosos soldados veteranos são um exemplo de heroísmo e coragem. Sinto - me orgulhosa toda vez que deles me recordo e que por causa deles que deram sua própria vida posso ter minha liberdade. À eles, minha eterna gratidão e minhas lágrimas cheias de amor diante de seus corpos tombados no campo de guerra.


No Obelisco do Ibirapuera repousam os valorosos soldados de 1932
OBS: Na foto acima, visto com muita honra e orgulho uma réplica da farda usada pelos revolucionários.

sábado, 4 de julho de 2009

Tributo à Michael Jackson




No último dia 25 de junho, o mundo foi pego de surpresa com a morte de Michael Jackson. Muito foi dito nos últimos dias, homenagens de todas as formas foram feitas pelo mundo e por blogueiros de todo tipo de estilo e assunto. Além de surpresa, fiquei tão arrasada q não consegui sequer criar algo simples para escrever. Assim como eu ficava paralisada de medo quando era criança toda vez que assistia o clipe Thriller, fiquei paralisada criatvamente pelo choque e a tristeza da notícia. Michael, à você com muito carinho esta homenagem: "Who ´s Bad"?

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Ao meu amigo Edu


Sempre pensei que escritores e leitores tinham um relacionamento frio, enterrado nas páginas de um livro. Que eram pessoas distantes, separados por dois mundos que assim permaneceriam. Quando lemos algo, nos sentimos próximos aos escritores mas basta fechar o livro ou encerrar a leitura que rapidamente nos afastamos dessas pessoas.

Mas um dia, para minha surpresa, tudo mudou. Lendo o livro Sexo Glamour e Balas sobre James Bond, mandei um e - mail para o autor comentando com ele meus pontos de vista e elogiando o trabalho de uma pessoa até então desconhecida para mim fora daquele "ambiente" dos livros e artigos. Após poucos dias, me surpreendi ao abrir minha caixa de e - mails e ver que ele me respondeu. Só que não uma resposta fria, preparada por uma máquina produtora de resposta automática mas sim uma resposta pessoal, carinhosa, preparada para mim. Fiquei muito feliz pois aquele dia os universos se aproximaram de verdade. Quase que em seguida conheci pessoalmente. Era a primeira vez que via um escritor assim tão pertinho. Estava nervosa e tímida mas logo ficamos amigos pois foi tão carinhoso comigo, tão doce como um conto de fadas. Inesquecível! Participei depois de vários momentos de sua vida literária mas dessa vez de forma diferente, mais próxima, mais amiga e torcendo por seu sucesso também na vida pessoal. Você chegou na minha vida de uma maneira inusitada e mágica e nada mais justo do que homenagear você da mesma maneira que um dia nos conhecemos: através das letras, ainda que as minhas não sejam tão elaboradas como as suas. Feliz Aniversário Edu meu amigo querido. E que este "livro" chamado Amizade que escrevemos juntos à quatro mãos com muito carinho e amor nunca receba o seu capítulo final. Te amo muito.














terça-feira, 23 de junho de 2009

Que tempo "bão sô"... Pena "qui num vorta"

Sábado passado foi um dia de voltar à minha infância, aos bons tempos em que as escolas faziam aquelas festas juninas legais, cheias de brincadeiras, prendas, a eleição de "miss" e "princesas" caipirinhas e claro, o tradicional casamento caipira e também a quadrilha com a música do Mário Zan.
Nossa, como eu gostava daqueles tempos em que minha avó todos os anos fazia um vestido novo e diferente para mim. E minha mãe fazia minhas trancinhas e me arrumava toda bonitinha para dançar a quadrilha. Por duas vezes eu participei do "miss caipirinha". Em 1983 fui eleita 1ª princesa, tive faixa e tudo. Não fiquei triste por não ser a miss, afinal, uma amiga minha, a Andréia, ganhou por justiça. Sua roupa era bem mais bonita e as tranças maiores e mais grossas do que as minhas. Tudo bem, me diverti muito. De uns tempos prá cá, muita coisa mudou. A festa junina que é autenticamente brasileira, embora sua origem remota dizem que era norte - americana daqueles bailes confederados do Sul durante a Guerra Civil. Eu disse que a coisa mudou pois tudo isso se perdeu, dando lugar ao cowntry e aos rodeios. Não se toca mais Mário Zan ou "Cai cai balão". Agora toca - se esse sertanejo romântico e não existem caipirinhas mas sim cowgirls, vestidas quase como os homens com calça, camisa, cinto e chapéu. Felizmente, no nordeste ainda existe a quadrilha tradicional, só que o povão parou de dançar. Grupos profissionais é que dançam. Festas em escolas são raras. Clubes fazem shows que nem lembram Santo Antônio, São João e São Pedro.

De certa maneira matei a vontade de dançar de novo, revivi meus dias de 1ª princesa. Aqui na rua de casa, a vizinhança se reuniu e fez uma festa nos moldes de outrora com fogueira . Teve comida típica caipira, quase todo mundo vestido à caráter, música adequada, tudo. E a quadrilha foi dançada no meio da rua. Haviam poucos homens que não tinham vergonha de dançar e por isso a quadrilha teve "casais" femininos. Foi divertido.

O problema era só que muitas vezes as mulheres se atrapalhavam e se esqueciam que uma tinha que ser o cavalheiro. No meu caso, fui a "dama" do par, mas nos enrolávamos de vez em quando nos papéis. Valeu a diversão e a alegria. Pena que, como já disse, os tempos são outros. Já dizia o falecido comediante Lilico: "Tempo bom, não volta mais, saudade de outros tempos iguais".

































quarta-feira, 17 de junho de 2009

Carta para Mazzaropi



Querido Mazzaropi,

É com um pouco de tristeza que lhe escrevo estas palavras. Tristeza por saber que você já não está mais entre nós. Deus quis te levar antes que eu pudesse ter conhecido você em vida e seu maravilhoso trabalho.
Quis o destino que eu fosse ainda muito pequena para entender suas idéias e as mensagens passadas nos últimos filmes de sua carreira.
Minha teimosia no entanto, não deixou que, de certa forma o destino impedisse que eu te conhecesse. Um dia comprei uma revista e li uma reportagem que fizeram a seu respeito.
Após isso, fui à uma locadora de vídeos atrás de um dos seus filmes, aluguei “O JECA MACUMBEIRO” (1970), assisti com bastante atenção.
Dentro de mim, nasceu uma admiração muito especial. Eu não entendia como eu poderia admirar alguém que nunca vi. Mas aceitei esse sentimento e hoje em dia convivo com ele e aceito, apesar das pessoas questionarem o porque de mim te admirar.
Não me contentando em ver um só filme, resolvi que queria assistir a um outro. Novamente na locadora, escolhi o filme “O CORINTHIANO”(1966), que aluguei por mais de uma vez (três, para ser exata). Esse filme marcou minha vida pois nele aprendi o verdadeiro sentido do que é realmente amar o Corinthians, seu personagem, Seu Mané, foi o exemplo de Corinthiano que eu, como também Corinthiana, tive para seguir.
Depois, eu gravei 15 de seus 34 filmes que passou na TV Gazeta aos domingos entre 20/11/94 e 01/02/95. E também gravei o filme “O CORINTHIANO”, que se tornou meu filme preferido. Fiquei feliz em saber, querido “Mazza”, através do apresentador André Luíz de Toledo, que introduzia seus filmes na TV, da paixão que você sentia pelo Corinthians, não só dentro como fora das telas.
Fui a seu Hotel Fazenda na mesma época visitar o museu em sua homenagem mas não tive sucesso. O museu estava fechado para o público. Vi apenas um pequeno stand com poucas coisas suas, mas de nada valeu para a minha pesquisa. As fotos são poucas e quase não têm nada a acrescentar ao que eu já sabia.
Me diverti muito. Mas ainda queria visitar seu museu.
Há dez anos, minha tia me deu de presente de aniversário três dias em seu hotel. Sempre soube que não iria te encontrar mas fiquei feliz em visitar o lugar que um dia você construiu. Voltei lá mais duas vezes, em 2001 e em 2003, quando fui até homenageada pela Câmara Municipal de Taubaté por gostar de você, numa linda cerimônia junto com outros fãs no dia de seu aniversário O diploma está emoldurado em lugar de destaque na minha casa. Fui ao seu túmulo em Pindamonhangaba e nunca pensei que seria tão doloroso estar tão perto e tão longe de você. ,,




Conheci seus amigos João Restiffe e Augusto César Ribeiro que foram sempre carinhosos e maravilhosos comigo. Mesmo assim senti sua falta. Por onde eu passava dava a impressão de que ia te encontrar. Mas não ia. Nosso encontro ficará para uma outra oportunidade, para quando Deus quiser. Até um dia, descanse em paz.

PS: Esta carta-texto está guardada no arquivo de correspondências e homenagens à Mazzaropi no “MUSEU MAZZAROPI”, em Taubaté-SP desde o dia 01/05/99, para ser publicada neste blog passou por adaptações de atualização. Data original da carta: São Paulo 20 de abril de 1999 16:02:16



Observações.: Algumas informações do texto estão incorretas. Mazzaropi fez 32 filmes e não 34. O filme “NADANDO EM DINHEIRO” foi produzido em 1953 e não em 1952. Os filmes “O JECA MACUMBEIRO” e “JECÃO, UM FOFOQUEIRO NO CÉU” foram produzidos em 1974 e 1977 e não em 1972 e 1970 respectivamente, de acordo com informações da jornalista e historiadora Rosimeire dos Reis, responsável pelo “Museu Mazzaropi ”.



















































terça-feira, 9 de junho de 2009

Um ano sem meu gato James Bond

Ainda lembro como eu ganhei você. Foi amor à primeira vista. Como esquecer seus lindos olhinhos azuis me olhando e eu te segurando no meu colo. Você era tão pequenininho, tinha apenas 3 meses e quando voltávamos para casa não ouvi sua voizinha o tempo todo e pensei que você fosse mudo mas não me importei. Quando cheguei em casa, ouvi seu primeiro "miau" que era apenas "mi", você ainda não miava. Eu estava muito feliz e comecei a pensar num nome prá te dar. Foi quando eu recordei de meses antes de saber que ganharia você de presente tinha assistido ao filme do 007 que estava em cartaz, "007 Permissão para Matar". Thimothy Dalton interpretava o personagem principal e eu me impressionei pela beleza dos olhos azuis dele. Olhei prá você e lembrei pois seus olhos azuis eram idênticos e decidi te chamar de Bond... James Bond, aproveitando também para homenagear James Bond, um personagem que sempre gostei, mesmo bem antes de você existir. Esse foi só o começo da nossa história, dos nossos 18 anos de amizade e muito amor, provando que um gato ama seu dono sim, igual à um cão e sabe agradecer e retribuir. Apenas são independentes. Lembro de tanta coisa legal, de tantos momentos felizes (e tristes também) que estivemos sempre um ao lado do outro dividindo tudo.










Eu com você e sua irmã Francesca num dos nossos momentos no quintal


Você pequenininho deitado em minha barriga no frio, ou enfiado nos meus bolsos ou naquela bolsinha amarela onde eu antes guardava as roupinhas da minha Barbie e da minha Susi. Afinal você cabia por ser pequenininho. Lembro também de quando você finalmente conseguiu aprender seu nome. Eu estava vendo um filme do seu xará, 007 contra Goldfinger. Era de tarde. Ainda assistia em fitas gravadas do vídeo k-7. Alguém do filme falou numa determinada cena "...James". O volume estava alto e você ouviu. Veio "atender" quem "chamou" miando. Te peguei no colo e coloquei - o ao meu lado. Terminamos de assistir aquele filme juntos. Teve também o dia que te dei um pouquinho de danoninho de tuti - fruti, tanta coisa.









Nós no jornal "O Estado de São Paulo" numa reportagem sobre fãs de cinema e seriados

Existem três momentos nossos que queria que eu gostaria de dividir também com as pessoas que lerem esse texto. Na verdade, um se resume à dois fatos tristes da minha vida: as mortes do meu padrinho em 1994 e meu avô em 1995. Claro que recebi carinho e consolo vindo dos seres humanos e muito. Mas você também esteve ao meu lado o tempo todo para me alegrar e não saiu de perto de mim, me olhava e tentava brincar comigo para que eu pudesse rir. Graças à sua ajuda eu pude me recuperar da dor causada pelas perdas. O outro momento foi quando eu já fazia parte da Comunidade 007 Brasil. Estava de viagem marcada e malas prontas para ir com meus amigos ao Rio de Janeiro em 2004. À noite, o Marcus me liga dizendo que eu tinha que dar uma entrevista para o jornal "O Estado de São Paulo" pois ele contou sobre você para a jornalista e ela telefonou aqui depois. Dei minha entrevista, falei de James Bond e também de você. No dia seguinte, cedo veio a fotógrafa para terminar a reportagem. Lembra como a fotógrafa gostou de você? Até te fez carinho. Depois viajei para o Rio no mesmo dia à tarde. E quando voltei, a entrevista tinha sido publicada. Você está tão lindo na foto.




Nós no programa Late Show da Luísa Mel na Rede TV

O outro momento não foi muito diferente desse, a não ser por ter o alcance maior pois fomos parar na televisão, no programa Late Show da Luísa Mel. Inscrevi você para o ranking dos animais com nomes famosos. Foi selecionado e a equipe veio gravar aqui em casa. Além de você, mostraram também as coisas que eu tinha do 007. Estávamos nervosos e você muito inquieto. Mas foi tudo tão bem que deu certo. No dia que passou, todos aqui em casa ficaram ansiosos e você tirou o 5º lugar. Fizeram uma edição tão linda com os filmes de 007 e sem saberem de nada, usaram até o filme Goldfinger com Connery dizendo "Bond...James Bond". Um dos meninos da Comunidade 007, o Rafinha viu você pela tevê e contou para os outros através da comunidade do Orkut e também nos cumprimentou. Infelizmete, a fita se perdeu quando mudamos. Tentei obter a fita mas não consegui até hoje. Tudo que resta é uma foto tirada da televisão, no momento da transmissão da reportagem . Mas foi legal. O fato é que tanto este quanto outros momentos nossos ficaram para sempre. Principalmente aqueles que as câmeras nunca registraram. Os "brindes" com leite gelado antes de você dormir, o dia que você ficou comigo todo o tempo em que eu estava mal de gripe, tudo foi tão bom. E eu também passei a cuidar de você e te amar mais ainda quando você perdeu a visão por estar muito velhinho. Fiquei ao seu lado, te guiei, orientei da melhor maneira que pude. Fui forte em meio ao sofrimento e como eu prometi, superamos essa fase difícil para nós. Fiz dos meus olhos os seus também para você não ficar perdido e só na escuridão. Até que um dia você foi embora para sempre e me deixou aqui sozinha. Nunca vou esquecer o quanto você me amou, tanto que esperou eu acordar para se despedir. Fui até você, disse bom dia, dei minha mão e te disse "sou eu". Você cheirou e lambeu antes de morrer. Guardou para mim seu último gesto de vida e isso é algo muito especial que está entre nossas lembranças de toda uma vida. Tive o apoio de amigos como o Edu, o Marcus, A Simone, o Cassiano, a Deborah, o Fernando, o Marketto, a Mary, o Rafael e também a orientação e o consolo do Vinícius que esteve ao meu lado e tantos, tantos outros que não dá para colocar pois sempre ficará faltando alguém. Foi bom sua compania esses anos todos. Tenho saudade de te ver, te pegar, te dar carinho. E nesse um ano que estamos separados consegui estar bem. Todos e a Francesca também me ajudaram muito. Você está sempre no meu coração viu miauzinho? Descanse em paz meu querido. Te Amo.




Saudades de você meu lindo






James Bond



* 10/08/1989

+ 09/06/2008





Obs: Obrigada Azhiel por ter me entendido e permitir que eu "roubasse" a foto do Estadão que estava em seu Orkut
































































































































































































































































































































domingo, 7 de junho de 2009

Para meu avô João

Eu aos 4 anos ao lado de meu avô João

Nesta mesma data, em 1995, falecia meu avô João, uma pessoa muito especial para mim pois além de ser meu avô, também foi como meu pai pois ajudou minha mãe a me criar. O texto que se segue foi escrito por meu avô a partir de um sonho que ele teve em 1991. No sonho ele cantava esta música na Basílica Nacional de Nossa Srª Aparecida todo vestido de branco e sendo aplaudido de pé pelas pessoas que lá estavam. Ele acordou emocionado e tudo que conseguiu foi escrever esta música. O texto contém alguns erros de português já que meu avô foi uma pessoa que nunca foi à escola mas aprendeu a ler e escrever por curiosidade com o cunhado. Foi uma pessoa muito trabalhadora a vida inteira. Publicarei o texto da mesma maneira que ele escreveu





Texto original com a letra do meu avô


adeus "bahaia"(Bahia) a minha terra querida
e agora é São Paulo minha terra preferida
onde vim visitar nossa Senhora aparecida

nossa Senhora aparicida e milagrosa que é
ela é a mãe de deus e dos homens e das
mulheres
eu tenho um coração umilde eu não gosto de
vingança toda vida fui assim desde da minha "imfamca" (infância) nossa Senhora aparicida
protetora das criança

nassi na bahia/ e hoje estou aqui nem tantas
cousa que no mundo eu nunca vi nossa
Senhora aparicida Padroeira do brasil


Sonho -30.04.91


João Aquiminio dos Santos














































quinta-feira, 4 de junho de 2009

Essa é para começar o mês rindo à toa

Em 2004 comecei nesse "mundo" do blog. Mal sabia o que era blogar e coisa e tal.
Até que um dia me deparei com um blog muito legal de um grande e queridíssimo amigo e incentivador, autor do blog Pegadas de um Dinossauro do Séc. XXI. Entre outras coisas lá publicadas, ele colocou uma piada de rachar de rir. Leiam a placa da fotografia acima com atenção. Essa postagem é dedicada à você Átila meu querido. Obrigada pela amizade, pelo carinho e incentivo.
Um beijo enorme prá você meu "dino de estimação".


Meu grande amigo e incentivador Átila que me mostrou o "maravilhoso mundo dos blogs"

domingo, 31 de maio de 2009

Valeu Susan Boyle

Hoje pela manhã minha mãe chegou com uma notícia que não gostei nem um pouco: Susan Boyle, grande sensação da internet que desafiou o mundo das aparências ao ousar cantar como Elaine Paige num show de talentos na Inglaterra perdeu a final para um grupo de dançarinos. Fiquei chocada e também imaginando o que estariam pensando meus amigos que comigo compartilharam da torcida pela vitória de Susan e principalmente no dia em que ouvi pela primeira vez essa escocesa cantar.

Confesso que fiquei decepcionadísima com os ingleses que votaram na escolha pelo vencedor do Britan´s Got a Talent (uma espécie de "ídolos" inglês). Só que para mim há tambem a suspeita de manipulação de resultados.
Parem por instantes e pensem comigo, voltem no tempo: Quando Susan pisou naquele palco a primeira vez, foi ridicularizada por sua falta de beleza física, sua idade muito "avançada" para o meio artístico. Ninguém acreditava, a não ser ela mesma. Foi com a cara e a coragem desafiando todos os "padrões normais" e não só calou a boca dos seus críticos como também comoveu um planeta inteiro. Para mim ela sempre vai ser a grande vencedora e espero que Vossa Majestade, a Rainha Elizabeth II um dia faça a justiça de convocar esta cantora, cuja beleza da voz seduz à todos, para cantar também no Palácio Real. Se eu fosse a rainha, não tenha dúvidas q Susan seria chamada para cantar.

quarta-feira, 20 de maio de 2009

O Barco



Surge na calada da noite, belo, sorridente, encantador, gentil. Oferece a mão para q eu desça os três últimos degraus.do barco. A lua ao fundo a te fazer mais lindo para mim. Encantada, te sigo, sem nada temer.
Você, todo de branco como a paz, feliz. Eu, de cor de rosa, cabelos até a cintura, coração pulsando.Forte.
Nada falamos... Afinal não era necessário, estávamos simplesmente hipnotizados um pelo outro, não conseguíamos falar. O olhar dizia tudo. Era um momento mágico, onde existia somente nós dois. Você me abraçava com carinho enquanto íamos andando. Eu tremia toda por dentro ao sentir em minha cintura o seu abraço aconchegante, carinhoso, delicado e protetor. Retribuí cada gesto na mesma medida. E nossos corações batiam juntos, no mesmo compasso. Como explicar essas sennsações tão gostosas e únicas? Impossível. Enquanto nossos olhares se cruzavam, o barco cruzava o imenso mar.Imenso como aquele sentimento q nos unia. Rumava sem destino. Uma música ao longe tocou de repente, uma linda melodia que nos saudava. Começamos a dançar. Eu sentia sua energia por inteiro se misturando à minha própria e,durante horas dançamos aquela música, naquele barco que não se sabia o destino, mas que infelizmente eu sabia que era só um sonho, do qual feliz despertei, ainda recordando tudo que se passou ali.
Dedicado com carinho à Pierce Brosnan
PS: Este texto e o outro q lerão a seguir foram inspirados em sonhos noturnos que tive há alguns anos com Pierce Brosnan.

De volta ao Barco

Num dia de rara beleza, reaparece você, como sempre lindo, ainda melhor que da primeira vez. Simples como as pequenas coisas da natureza o q o torna particularmente atraente e mais charmoso. Mais leve, bem mais feliz. Novamente no barco, vamos navegando nas ondas do mar que ritimam com o bater em dueto perfeito de nossos corações. Carinhoso, você me abraça ainda mais forte porém com delicadeza porque sabes de minha fragilidade feminina. Correspondo, feliz. E ainda mais encantada por sua beleza, envolvida por seu amor. Meu coração mais uma vez pulsa forte, ainda mais forte do que antes porque desta vez é certeza de que estamos juntos para sempre. Seus dedos brincam por entre meus cabelos compridos como se fossem meninos levados brincando na praça. Eu, de olhos fechados, quase sem fôlego só sentindo. O sol a nos iluminar como se fosse uma bênção da natureza. E te olho encantada, conrespondendo a cada carinho tb começo a sentir você, seu rosto, suas mãos e perceber o quanto podem ser fortes mas ao mesmo tempo capazes de realizar as delicadezas que tanto amo receber. E passamos horas assim, em carinhos inocentes mas de grande profundidade, chegou a tarde que avermelhou o mar à luz do sol poente. Já exaustos, totalmente inebriados por um sentimento eterno, encosto em seu peito para ouvir o pulsar de seu coração enquanto o meu próprio coração, bate satisfeito por estar ali, com você, neste mesmo barco que continua sem destino certo mas que leva a bordo uma gigantesca onda de amor.Dedicado com carinho à Pierce Brosnan

sábado, 16 de maio de 2009

My way

Como todo sábado, hoje pela manhã, estava ouvindo um programa da Rádio Gaúcha AM de Porto Alegre pela internet chamado Supersábado. Um programa que comecei a ouvir fazem dois anos e alguns meses por recomendação de um amigo muito querido e especial para mim. Nem eu mesma sabia o porque desse programa hoje seria mais especial do que os outros que já havia escutado com tantos assuntos diferentes. A primeira coisa que ouvi não foram as vozes dos locutores Wianey Carlet e Gabrielli Chanas. Não. O primeiro som dessa vez foi algo que parecia renascer, intacto, mesmo depois de onze anos de seu último ecoar. Era um som conhecido, o som da Voz, uma voz calma e ao mesmo tempo sexy, doce e ao mesmo tempo vibrante e forte. Mesmo que por meio de gravações Frank Sinatra ressurgia para encantar novamente com o seu jeito único de cantar, o seu "my way". Me recordo que há onze anos neste mesmo catorze de maio eu não contive as lágrimas. Ouvia de meu LP "Duets", Frank cantando com outros artistas como Aretha Franklin, Julio Iglesias, Bono Vox e tantos outros num tom de despedida.


O melhor ainda está por vir (inscrição da lápide do túmulo de Sinatra)


Ao ouvir uma de minhas prediletas, New York New York fazendo dueto com Tonny Bennett, abracei a capa do LP molhando - a com minhas próprias lágrimas. Esse era o "my way" de me despedir de Sinatra de alguma maneira e até mesmo de desabafar aquela dor tão forte dentro do meu coração. Escrevi um texto mas não publiquei. Sei q imprimi e guardei mas não perguntem aonde pois não encontrei mais. Mistério, sei lá por que. Sei somente que a tristeza tomou conta de mim mas não por muito tempo. Tanto que dois dias depois comprei um CD e uma revista dele para guardar de recordação. Lembro também de ter escrito uma carta ao meu melhor amigo que mora na cidade que tantas vezes Sinatra cantou, New York, New York para contar à ele de minha dor e pesar. E recebi de meu amigo um mês depois uma revista "Veja" onde a capa era Frank Sinatra numa foto preto e branco e o único colorido seus "blue eyes". Guardo até hoje junto com o recorte de uma revista americana que ele também mandou. E hoje, onze anos se passaram, a dor amenizou. Consigo ouvir, ler, olhar fotos. A dor passa mas a saudade fica para sempre mesmo que amenizada vez em quando ao surgirem lembranças como essas que vieram através do som do meu computador hoje de manhã. Frank Sinatra, onde você estiver agora, este é o meu My Way de lhe dizer que estou com saudades mas que um dia quem sabe nos encontraremos A um Passo da Eternidade. Até um dia.

Dedicado à memória de Frank Sinatra

A morte de Frank Sinatra ocorreu em 14 de maio de 1998

Feliz Aniversário Pierce Brosnan

Mais uma vez os bondmaníacos estão comemorando. Mas desta vez não apenas os brasileiros. Hoje Pierce Brosnan completa mais um ano de vida. Aprendi a admirar Pierce quando ele foi escolhido para interpretar o famoso agente britânico. Fora Sean Connery, na minha opinião, Pierce foi o ator que melhor interpretou James Bond.
Ele se aproximou muito do "estilo Connery" que moldou o personagem no cinema. Charmoso, sensual, elegante, sedutor, olhar cativante, sotaque forte e marcante. No começo era uma incógnita mas logo se moldou ao personagem como se sempre tivesse feito só isso na vida. Não é à toa que James Bond veio para a vida de Brosnan quando ele ainda era um garotinho de onze anos indo ao cinema pelas mãos de sua mãe e viu na tela Connery interpretando Bond no filme que consolidou de vez a bondmania mundial: Goldfinger.







O pequeno irlandezinho disse à mãe que queria ser ator e apontou para a tela do cinema. Estava fascinado com a cena da garota morta na cama, nua e coberta de ouro. Cena que impressiona qualquer um até hoje pelo perfeccionismo com a qual Sheena Eaton interpretou. Mesmo hoje em dia confesso que toda vez que vejo, ainda me impressiono. E Pierce também deve se impressionar, mesmo sendo o grande profissional que ele é e que se tornou depois de ter sido influenciado por algo tão inacreditável mas que estava ali, diante de seus olhos.






Acompanhei com muita alegria outros personagens que Brosnan fez. Tantos filmes legais como Detonador em Alta Voltagem, Guerreiro da Paz, Ladrão de Diamantes, O Alfaiate do Panamá, Thomas Crown a Arte do Crime, O inferno de Dante e o surpreendente musical Mamma Mia que mostra um ator que também canta e dança. Pode não ser um Benny ou um Bijörk (do grupo Abba) mas que não mede esforços quando se doa ao exercício da sua profissão. Também não posso deixar de notar sua extrema sensibilidade e coragem ao filmar uma história real da Irlanda, Evelyn, onde demonstrou toda vérvice poética ao atuar. Pierce não é só 007 nem só filmes de ação. Mas é um ator que encanta sempre que entra em cena. Feliz Aniversário Pierce Brosnan. Muitos anos de vida e sucesso. Um grande beijo.


Happy Birthday dear Pierce