My name is Patthy... Bondgirlpatthy

Bem - vindos ao meu cantinho virtual . A "casa" está sempre aberta à todos que queiram vir aqui ler e comentar meus posts. Este blog não tem compromisso jornalístico portanto não tem compromisso com a imparcialidade. Mas o meu compromisso com a democracia continua. Aqui toda opinião é importante e respeitada. Fiquem à vontade, a "casa" é de vocês. Voltem sempre q quiserem . Um beijo com muito carinho e obrigada.


terça-feira, 26 de março de 2013

Comunidade 007 Brasil 12 anos e muitos momentos inesquecíveis






 
 
A Comunidade 007 Brasil  completou exatos 12 anos de atividades ontem. Somos muito mais do que um simples fã clube. Somos, como nosso próprio nome diz, uma comunidade de fãs do agente secreto James Bond 007 no Brasil. Para ser um de nós só precisa ser fã de 007, mais nada.
Foi assim que eu comecei e quem lê meu blog já conhece minha história então pularei essa parte, certo? Quem não conhece procure os posts sobre 007 que na maioria eu conto como conheci e entrei na Comunidade.
Este ano resolvi relembrar alguns dos momentos inesquecíveis que vivi dentro da Comunidade 007.
 
 
 
O primeiro deles foi a viagem para o Rio de Janeiro em 3 de julho de 2004. O passeio foi para comemorar os 25 anos da estreia do filme 007 contra o Foguete da Morte, estrelado por Roger Moore. A cidade maravilhosa foi escolhida para essa comemoração justamente porque algumas localidades serviram de cenário para uma aventura meio "espacial" do agente britânico. Eu sempre quis conhecer o Rio que conhecia de novelas, filmes e reportagens e essa viagem não poderia surgir num momento tão único como aquele onde eu praticamente acabava de conhecer fãs de James Bond que se tornaram meus amigos. Foi um fim de semana memorável que me deixou lindas lembranças para toda vida. Fica aqui meu carinho aos amigos tão maravilhosos quanto o Rio de Janeiro e meus eternos agradecimentos pela hospitalidade. Dois beijos em cada um de vocês, adorei tudo e um dia quero voltar.
 Só lamento não ter encontrado Roger Moore por lá mas não saí sem fazer minha homenagem à ele. Na foto ao lado, a reprodução quase fiel de uma cena do filme entre Roger Moore e Loius Chiles no morro do Pão de Açúcar. Deu medo, confesso, mas meu amigo e também o amor pelo personagem 007 me deram coragem para que essa foto saísse assim tão linda. Como diria o próprio James Bond, foi um labour of love.
Outro momento inesquecível aconteceu em  dezembro de 2006. Com a saída de Pierce Brosnan, o ator Daniel Craig assumiu o papel de 007. O filme 007 Cassino Royale era cercado de expectativas não apenas por isso mas também porque finalmente o primeiro livro escrito por Ian Fleming iria ser adaptado para o cinema. Quase tudo era novo e esse filme, diziam, seria um recomeço para um herói quase esquecido pelo tempo, lembrado apenas por fãs ardorosos.
Era 11 de dezembro de 2006. Noite em São Paulo. E eu que adoro cinema, assisti pela primeira vez na minha vida uma pré estreia de um filme apenas para convidados e imprensa ao lado de meus amigos da Comunidade 007 Brasil. Na época eu fazia parte da equipe do portal e também recebi convite para ver o filme antes de todo mundo. E depois, uma festa temática noite adentro como eu jamais vi, com direito até a vodca martini preparado ao estilo 007 (não bebo mas o visual das taças estava lindo, de encher os olhos).




 


 Outro momento feliz teve importância por algo até simples porém difícil de acontecer pela distância. Foi a primeira vez em que pessoas que não moram em São Paulo participaram de um evento. Nem todas essas pessoas estavam presentes mas a grande maioria delas. Aconteceu em 2008. E não poderia ter acontecido em um dia mais apropriado para Bond maníacos se encontrarem e conhecerem do que o dia em que se comemorou o centenário de nascimento de Ian Fleming. Pessoas amigas, unidas por causa de um gosto em comum porém de diferentes origens culturais, sociais, ideológicas, de todos os cantos do país. E ao vê - los pela primeira vez, me senti tão feliz como se recebesse parentes em minha casa depois de uma longa ausência. A emoção rolava misturada à descontração que mais parecia uma reunião de vizinhos que cresceram juntos do que pessoas que nunca tinham se visto na vida, tendo contato apenas pela internet.








 
Em 2009, uma grande surpresa para nossa equipe estava para acontecer. Através de uma grande amiga fã não só de 007 mas principalmente Star Wars, conseguimos uma entrevista com o ator Jeremy Bullock. Além de fazer um tremendo sucesso nas aventuras de George Lucas, ele também fez três participações pequenas em filmes de 007 como assistente do Major Q. Jeremy estava no Brasil para a Jedicon daquele ano e antes do evento recebeu nossa equipe no hotel para um bate papo bem descontraído sobre tudo, especialmente 007. Foi engraçado e inesquecível para mim pois eu nunca tinha visto um artista estrangeiro de perto.. Uma tarde que nunca mais vou esquecer. Durante a entrevista, Bulloch parecia um de nós, tipo um amigo mais velho que já fazia parte do nosso grupo. Uma experiência única com certeza.
Em 2011 uma CON  inesquecível que marcou não só os 10 anos da Comunidade 007 Brasil como também um salto de qualidade. Desde os primeiros instantes do evento, a emoção era visível nos rostos das pessoas, principalmente da equipe que estava junta desde 2003. Um filme passou não só no vídeo de abertura como também, creio eu, no coração de cada um.
A transição era necessária afinal, precisávamos de gente nova disposta a mostrar seu talento e colocá - la também a serviço dos fãs. Homenagens e uma linda despedida marcou a "passagem de bastão"
 
 


Os 50 anos da estreia do primeiro filme de James Bond não podia faltar nessa retrospectiva. E uma CON sem precedentes, digna de se comemorar um jubileu de ouro aconteceu. Eu estava passando por um momento particular muito difícil e não sabia se estaria presente mas graças à Deus deu tudo certo. Ver a nova equipe comandando tudo com maestria e talento, repassar a história de um personagem tão famoso e fascinante. Até disputa de quem sabe tudo teve e, mesmo perdendo por muito pouco fiquei feliz por tudo que pude ver e comemorar junto à pessoas tão queridas.
 


 
 
Dias depois da CON em 6 de novembro, esteve no Brasil para um grande evento o escritor Jeffery Deaver, mais conhecido pelo livro O Colecionador de Ossos. Deaver havia sido convidado pelos herdeiros de Ian Fleming para escrever um romance totalmente novo tendo James Bond como personagem. O livro Carte Blanche mostra um 007 mais moderno porém não perde a essência que sempre nos encantou. Uma noite de autógrafos e bate papo marcou o lançamento não só de Carte Blanche mas também de A Janela Quebrada, outro grande romance em outro estilo mas tão emocionante quanto uma estória de James Bond. E mais uma vez, estava eu junto dos meus amigos queridos nessa noite muitíssimo especial.
Jeffery Deaver foi muito simpático comigo e com todos e mostrou - se simples embora muito famoso em todo o mundo. Além de paciente, disposto a quebrar a barreira idiomática que nos separava dele. Jamais esquecerei dele, uma honra conhecer alguém tão especial e poder dividir esse momento com pessoas mais especiais ainda.
 
 
 
 
 
 
 
 
Este é meu presente nesses 12 anos e espero que tenhamos muitos momentos como esses que relatei. E espero que estejamos juntos para festejar cada um deles com um brinde shaken not stirred! Feliz Aniversário Comunidade 007 Brasil! Viva James Bond!


 
 

quarta-feira, 20 de março de 2013

Fórmula perfeita para fazer uma boa redação: receita de miojo e hino de futebol

Não costumo fazer esse tipo de post jornalístico aqui no blog mas hoje não deu para resistir. Estava eu ainda deitada ouvindo as notícias da manhã na Rádio Bandnews FM quando começaram a falar do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio). Um aluno conseguiu metade da pontuação máxima da prova por fazer uma redação brilhante com palavras retiradas do hino do Palmeiras no meio do texto que escreveu sobre o tema "Movimento imigratório para o Brasil no século 21" para testar se o professor que faz a correção da redação lê mesmo tudo que está escrito. Veja o trecho na foto abaixo:
 
 
Redação com trecho do hino do Palmeiras Foto: Site G1
Devo reconhecer, mesmo sendo corinthiana,  que o cara tem excelente bom humor para provar que as pessoas que corrigem redação não lêem o que o aluno tem trabalho de escrever, podando o talento de pessoas que realmente gostam de criar textos.
As redações do ENEM 2013 não são feitas apenas por torcedores de futebol mas por cozinheiros também. Quem não gosta de miojo e nas horas daquela fome nunca fez um pacote? Todo mundo não é? Pois então: A receita do Miojo foi usada por um outro estudante como parte da sua redação.
 
Veja o trecho:


Redação com receita de Miojo Foto: Site G1





 
 
 
Ambos os alunos foram bem pois além de provarem sua teoria ainda comprovam aquilo que eu sempre soube.  e com certeza quem corrigiu a redação do "miojo" queria saber na verdade se o estudante sabia cozinhar a partir de uma receita rápida. E ele sabe sim. Tanto que tirou uma boa pontuação por causa disso.
Alguns professores podam o talento de seus alunos exigindo na redação um número de linhas ou palvras. Por isso talvez que a maioria das pessoas ache a aula de português uma chatisse e redação se torna algo intragável. Falta liberdade para criar.
E vendo essa notícia, lembrei de uma coisa q aconteceu comigo em 1994 durante uma prova de história.
Eu estava cursando o 3º ano do Ensino Médio (2º Grau como era chamado na época) e tinha uma professora de história muito rigorosa na hora de corrigir provas. Em toda a história da escola, nunca um aluno conseguia obter nota A (equivalente a um 10) na matéria dela, nem mesmo a melhor aluna da sala que era também a melhor aluna de toda a escola.








Um belo dia essa professora resolve aplicar uma prova em dupla e as perguntas giravam em torno da Abolição da Escravatura no Brasil.Fiz dupla com um colega. Ele, apavorado, precisando de nota, dizia que só sabia a data e quem assinou a lei Áurea, não sabia como descrever com as próprias palavras a assinatura da Abolição incluindo os dois parágrafos da lei.
Minha sorte é que eu estava acompanhando a novela Sangue do Meu Sangue pelo SBT e o último capítulo foi ao ar na sexta - feira que antecedia a prova aplicada na manhã de segunda.
Vendo o desespero do meu colega eu disse: "Você responde a primeira pergunta e depois relaxa, deixa a outra comigo". Dito e feito.  Em minha mente veio a cena da novela onde a atriz  Irene Ravache (atualmente no ar em Guerra dos Sexos como Charlô) no papel de Princesa Isabel reproduziu o momento exato da assinatura da Lei Áurea em todos os detalhes. Escrevi umas 20 linhas relatando tudo e depois entregamos a prova.
Dias depois, na hora do intervalo, meu colega e parceiro de dupla e eu fomos chamados pela melhor aluna da nossa classe pois a professora queria falar conosco. Lembro que ele tinha recebido o recado primeiro e veio me buscar. Juntos, de mãos dadas, nervosos, fomos falar com a professora.
Ela nos perguntou como fizemos para lembrar de tantos detalhes achando que conseguimos tal êxito por causa de suas aulas. Devo alertar que essas "aulas" eram feitas com abreviações que só ela sabia o significado, escritas na lousa acompanhada de uma leitura não muito clara nos livro. E a correção das provas era feita com uma rapidíssima "passada de olho".  Expliquei para a professora sobre a novela e a cena. Recebemos os parabéns e fomos cumprimentados por alunos e professores.
Valeu a pena, obrigada eternamente Irene Ravache, a melhor "professora de história que tive" no colegial