My name is Patthy... Bondgirlpatthy

Bem - vindos ao meu cantinho virtual . A "casa" está sempre aberta à todos que queiram vir aqui ler e comentar meus posts. Este blog não tem compromisso jornalístico portanto não tem compromisso com a imparcialidade. Mas o meu compromisso com a democracia continua. Aqui toda opinião é importante e respeitada. Fiquem à vontade, a "casa" é de vocês. Voltem sempre q quiserem . Um beijo com muito carinho e obrigada.


quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Comunidade 007 Brasil encontra Jeffery Deaver numa noite inesquecível

Desde muito pequena toda minha família me incentivou a ler e a ter o gosto pelos livros, revistas e jornais. Muito especialmente meu saudoso avô João que mesmo sem ler ou escrever de maneira correta brigava com qualquer um que não deixasse eu espalhar os jornais de domingo pela sala e quando ia com ele à banca do Seu Antônio sempre voltava com um gibi novo. O tempo passou, cresci e o gosto pela leitura só fez crescer comigo. Sou doida por livros! Não vivo sem ler um só dia.
Quantas coisas li. E sempre gostei de escritores estrangeiros mas nunca menosprezei os nacionais se o livro era bom e até me tornei amiga de alguns deles além de continuar a ser fã.
 
 
Fui a muitas sessões de autógrafos, principalmente depois que encontrei minha "galera" na Comunidade 007 Brasil. Todas foram especiais mas nenhuma tão especial quanto a de ontem.
Apesar de ler escritores estrangeiros, nunca conheci nenhum deles de perto, seja porque já faleceram (como é o caso de muitos) ou pela distância entre seus países de origem e o Brasil.
E ao lado de meus amigos tão especiais vivi um momento ímpar como leitora. Participei da noite de autógrafos de Jeffery Deaver, escritor norte - americano autor do livro Carte Blanche, novo livro de James Bond, lançado há 3 meses e que com certeza daria um senhor filme e A Janela Quebrada, lançado ontem mesmo com bate papo que antecedeu a sessão de autógrafos.
Como moro um pouco distante do centro de São Paulo fica complicado chegar muito tarde. Pedi que Jeffery Deaver autografasse meus livros antes e ele foi muito solícito. Que surpresa ele me atender antes do previsto com uma delicadeza e uma atenção tão grande. E não só a mim mas a uma outra senhora que também estava lá. Que amor! Nunca me esquecerei dele!
 
Eu e Jeffery Deaver
Jeffery Deaver autografando meu exemplar de A Janela Quebrada
Jeffery também se mostrou paciente comigo. Meu inglês não é fluente e deve até conter muitos erros de concordância pois só sei o básico e não tenho com quem praticar. Apesar disso, consegui dizer à ele que gostei muito de ter lido Carte Blanche, que este livro deveria virar um filme e também que  Ian Fleming sentiria muito orgulho dele ao saber dos novos rumos literários que 007 tomou neste romance totalmente atual mas ao mesmo tempo cheio da sua essência original. Ele ficou feliz e com seu sotaque típico fez questão de me agradecer em meu idioma.
Durante a palestra notei o entusiasmo de um escritor que se dedica inteiramente aos leitores e também alguns pontos em comum entre duas pessoas nascidas sob o signo de touro (ele é do dia 06 de maio e eu do dia 02). Comprovei por exemplo que um livro escrito por Ian Fleming é mesmo atemporal. Jeffery leu o seu primeiro com 8 anos de idade, eu aos 28. Duas épocas distintas, duas gerações. Sem mencionar dois países, EUA e Brasil com costumes e idiomas diferentes. Apesar disso, sentimos a mesma coisa quando tivemos contato com o Bond dos livros pela primeira vez.
Isso só me fez sentir ainda mais vontade de ler "A Janela Quebrada" o quanto antes mas primeiro devo terminar de reler "Cassino Royale".
 
Autógrafo de Jeffery Deaver em Carte Blanche
E os amigos não podiam faltar para dividirmos juntos um momento ímpar como este que foi, sem dúvida, um dos mais maravilhosos. Entre risadas, conversas e muitos debates sobre nosso assunto preferido, Bond... James Bond que contagiou até Deaver que se aproveitou disso para nos perguntar como era o drink preferido do personagem e nos ouvir dar a resposta em coro alto e claro.
Resumindo: foi maravilhoso, único e especialíssimo. Agradeço por ter ido até lá. Obrigada mãezinha. Obrigada Editora Record por esta noite única. Thanks Jeffery Deaver, you are very sweet love e também obrigada ao meu avô que me mostrou o amor pelos livros. Sem palavras para expressar tanta felicidade. E parabéns Fábio por um evento de tão grande sucesso!
 
Entre amigos queridos um momento único dividido
 
Fábio (C007BR) e Bruno (Ed Record)
Jeffery Deaver durante o bate - papo com o público