My name is Patthy... Bondgirlpatthy

Bem - vindos ao meu cantinho virtual . A "casa" está sempre aberta à todos que queiram vir aqui ler e comentar meus posts. Este blog não tem compromisso jornalístico portanto não tem compromisso com a imparcialidade. Mas o meu compromisso com a democracia continua. Aqui toda opinião é importante e respeitada. Fiquem à vontade, a "casa" é de vocês. Voltem sempre q quiserem . Um beijo com muito carinho e obrigada.


segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Para John Barry

Hoje os Bondmaníacos tem um motivo para chorar. Faleceu o compositor que embalou muitos dos filmes do agente secreto, John Barry. Suas canções maravilhosas eternizaram - se no coração de todos nós.
Bastava um filme de Bond começar e lá estavam os inconfundíveis acordes dele ecoavam.
Reconhecidamente um dos maiores compositores do cinema, Barry não se restringiu apenas aos filmes de Bond, também aventurou - se por filmes como Em algum lugar do passado,  Entre dois amores, King Kong, Dança com Lobos entre outros. Como fã de Bond estou profundamente triste porém o que me conforta um pouco é saber que John Barry continua vivo através dos acordes de suas canções. Obrigada por tudo John Barry. Deixo como homenagem carinhosa à você a canção do filme de Bond que eu mais gosto na voz de Shirley Bassey que tão brilhantemente a interpretou.

sábado, 8 de janeiro de 2011

A Rede Social, um filme envolvente e interessante

Dessa vez fui ao cinema sem aquela escolha planejada, tipo "vou assistir tal filme tal dia no cinema x no shoping y". De última hora eu decidi que iria assistir ao filme A Rede Social que conta a história real do empresário Mark Zuckerberg, criador do site Facebook. Tudo começa em Harvand, universidade em que Mark estudava. Bem, não vou contar aqui a história do filme até porque o mundo inteiro sabe dela e quem viu o filme também.
Vemos que é possível se vencer pela inteligência e criatividade, não é preciso apelar a subterfúgios como reality shows e fama repentina que um dia acaba.
 E outra coisa: Todo mundo tem a imagem de que uma pessoa que lê, que não frequenta baladas para aparecer e tem conversas interessantes que fogem do mundinho das fofocas não pode ser legal, capaz de ter amigos, namorar, etc. São sempre vistos como solitários convictos e chatos
O filme mostrou que aquele que é tachado pejorativamente de "nerd" não é diferente das "pessoas legais". Até o criador do Facebook passou por isso mas vejam a ironia do destino:  tem muito "baladeiro legal" aí que usa a ferramenta criada por um nerd para marcar suas festinhas e também paquerar aquele/aquela gatinho (a). E mesmo assim, o nerd é visto de nariz torcido pela sociedade em várias partes do mundo.
 De certo modo, eu também sou um pouco nerd e nem por isso deixo de ser feliz e ter vida de gente "normal". Todos que são como eu também é um pouquinho como Mark Zuckerberg.  Pode até não ser tão rico e gênio do jeito que ele é mas somos capazes de conversar sobre assuntos simples e complexos sem "fazer feio" diante das pessoas consideradas "normais". Basta querer ouvir. Quanto ao filme, vale muito a pena, principalmente para quem utiliza o Facebook conhecer um pouco do cara que o criou. Termino dedicando este texto aos meus amigos do Facebook e à Mark Zuckerberg que permitiu tantos encontros e reencontros através do seu site. Thanks Mark!


Mark Zuckerberg criador do Facebook
Foto: Página pessoal de Mark Zuckerberg no Facebook