My name is Patthy... Bondgirlpatthy

Bem - vindos ao meu cantinho virtual . A "casa" está sempre aberta à todos que queiram vir aqui ler e comentar meus posts. Este blog não tem compromisso jornalístico portanto não tem compromisso com a imparcialidade. Mas o meu compromisso com a democracia continua. Aqui toda opinião é importante e respeitada. Fiquem à vontade, a "casa" é de vocês. Voltem sempre q quiserem . Um beijo com muito carinho e obrigada.


sexta-feira, 25 de julho de 2014

Para minha mãe


 

"Tenho às vezes vontade de ser novamente um menino e na hora do meu desespero gritar por você". Claro que esta frase não é minha mas sim de Roberto Carlos, um cantor que você me ensinou a admirar. A música  foi feita para a mãe dele, Laura Moreira Braga, mais conhecida como "Lady Laura", justamente por causa da música que começa com esta frase. Minha mãe não se chamava Laura mas foi e continuará sendo, com certeza uma lady, uma Rainha.
E hoje, alguns dias após Deus mandar busca - la  para estar com Ele na eternidade, eu me permito tomar posse da canção para homenagear (em público) a pessoa mais importante que tenho na vida: minha mãe. Esse texto é para você mãezinha querida. Se puder, leia aí de cima.
Desde que me entendo por gente, ela sempre esteve ao meu lado em todos os momentos da minha vida, mesmo que por muitas vezes distante por causa do trabalho, sempre fomos unidas.
Não tenho vergonha de mesmo adulta ter saído com ela para me divertir, inclusive ela conheceu meus amigos. Além de tudo uma excelente companhia também, tanto que às vezes até me esquecia que ela era mãe pois também éramos amigas. Éramos não, somos... mesmo em sua ausência
Quando eu era adolescente lá no século passado, era muito cobrada por minhas "amigas" de escola porque tinha uma postura diferente delas e também por sempre valorizar minha mãe enquanto elas sempre diziam "minha mãe é chata". Eu não sou mãe mas essas mesmas meninas devem ser e com certeza e hoje devem escutar dos filhos coisas semelhantes ou piores daquelas que falaram para mim e com certeza nessas horas se lembram de mim.  Espero que nenhuma delas sinta, tão cedo, o que sinto hoje.
Outra coisa, todos temos uma "mãe com açúcar" e eu também. A minha mãe era uma mãe com açúcar porque muitas vezes deixava pra  lá pequenas travessuras pois fingia não ver coisas que certamente outras mães enxergariam de longe.
Como todo relacionamento entre mãe e filha ela brigava comigo quando estava errada. Lógico, tudo para meu próprio bem, não existe idade para você se educar, consertar erros. E o mais importante, não repetí - los. A diversão não precisa ser "rebelde" para ser legal, você pode ser bem humorado e divertido sem entrar em encrencas e ter más companhias.
E como prova disso, minha mãe e eu tínhamos nossas brincadeiras para descontrair. Uma era a minha favorita "Perguntas idiotas respostas cretinas" que lembra o saudoso humorista Francisco Milani, o Seu Saraiva ,único personagem legal que tinha no  Zorra Total, onde alguém fazia uma pergunta numa situação óbvia e ele dava uma resposta bem absurda. E a outra é quando uma das duas via que cometeu uma idiotice completa e a outra lembra cantando uma música de um antigo comercial da Fotótica que uma burrinha de óculos cantava "Me apaixonei por você meu amor" e em seguida um bom dia no sentido de "acorda e veja o que você disse" (ou fez).  Eram momentos muito divertidos.
E claro que tinha aqueles momentos de se falar sério, onde a amiga "saía de cena" para entrar a mãe que aconselha, corrige, exige respeito.
Minha mãe é a pessoa que mais amo no mundo. Foi uma pequena grande mulher.
Se pudesse queria que ela fosse eterna para eu ter sempre pertinho de mim. Sei que infelizmente isso é impossível e por mais que se tenha amigos e outros familiares que amo NADA substitui o que sinto por minha mãezinha. Te amo, você é o grande motivo de eu existir, Que bom que Deus te escolheu para que através de você eu viesse ao mundo. Obrigada por tudo, por me dar a Vida! Queria você aqui comigo mas não se preocupe, nossa família e amigos estão me amparando para eu tentar caminhar sozinha apesar da dor.  "Bença" Mãe. Descanse em Paz!
 Esses dias recebi de meus familiares e amigos muitas mensagens e entre elas deixo uma que minha grande amiga Mary Farah escreveu em seu Facebook dizendo tudo que eu mesma queria dizer e não tive forças. Obrigada, amiga.
 

"Querida M.
Perdoe meu egoísmo neste momento muito difícil. Mas eu queria que você ainda estivesse aqui.
Mas eu também sei que, se dependesse exclusivamente da sua vontade, provavelmente você não teria ido.
Quero que você saiba que farei o q...ue puder pra ajudar a Patthy.
Sei que sempre gostou muito de mim e a recíproca também sempre foi verdadeira...
Eu sempre esquecia seu nome verdadeiro, porque pra mim, o apelido "M" era mais do que perfeito. Não só pela Patthy gostar tanto de James Bond e ter sido através desse personagem que eu as conheci, mas porque você teve sempre dentro de você a mulher que a "M" representou no cinema. Claro que eu nem me dei conta também que é a primeira letra do seu nome, mas eu sou desligada nessas coisas e você sempre vai ser a M.
Você deixa muitas saudades pra todos nós....Descansa em paz e mais uma vez, obrigada, M.
"Méry"
 

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Jack Bauer está de volta para viver um novo dia


 

E lá se vão quatro anos desde que vimos Jack Bauer pela última vez levando um tiro à queima – roupa na sua última aparição na oitava temporada de 24 horas. Uma interrogação ficou no ar: o agente durão da UCT morreu? O que aconteceu com ele?
Não! Ele está vivo e pronto para mais um dia com explosões, tiros e adrenalina a mil. Preparem – se para acompanhar mais essa saga.
Depois de quatro anos, o agente federal, Jack Bauer agora não trabalha mais para o governo, virou um fugitivo da justiça americana que precisa voltar ao combate para impedir um ataque terrorista contra o presidente dos EUA, James Heller (William Devane), seu ex-chefe e ex-sogro. Para isso, Bauer deixa seu esconderijo rumo à Londres, atrás de sua fiel escudeira, Chloe O’Brian (Mary Lynn Rajskub), que está trabalhando com um grupo de hackers.  O problema é que a CIA, liderada por Steve Navarro (Benjamin Bratt), está na cola de Jack e promete infernizar a vida do agente. Esta temporada é uma ótima pedida para quem também gosta de outro JB, o James Bond 007, já que a trama reúne ação e Londres numa combinação deliciosamente explosiva!
 
 
Jack e Chloe em ação Foto: Divulgação/FOX
 
Foi uma ausência sentida por todos os fãs, inclusive por mim, mas valeu muito a pena esperar. 24 horas Live Another Day estreiou este ano em 6 de maio no Brasil no Canal FOX e a temporada se encerrou ontem, dia 17.  
Agora chegou a vez dos “sem TV a cabo” acompanharem a próxima temporada que me parece ser mesmo a última, será? Nunca se sabe quando Jack Bauer nos surpreenderá de novo.  A série estreia neste domingo dia 20 depois do tal Fantástico.  A exemplo do que fiz na ocasião em que a Globo exibiu a oitava temporada, não lerei nem conversarei com amigos ou qualquer pessoa que já tenham acompanhado no canal pago ou mesmo no exterior. E peço a essas pessoais mais uma vez que, por favor, não me contem nada por nenhum meio de comunicação. Pode ser que algo escape aqui ou ali, mas se eu perceber passarei reto e não farei comentários até que a série termine na Globo. Aproveitando, pessoal do “plim plim”, não cortem cenas da série, por favor.
Que bom que você está de volta Jack Bauer!
 
Post dedicado à Kiefer Sutherland, Mary Lynn Rajskub, John Cassar, toda equipe de 24 h e a meus amigos também fãs da série Marketto, Rildon e Filipe Grassi.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 

 

domingo, 13 de julho de 2014

Eu na Copa do Mundo no Brasil (parte 2: as aventuras de uma Bond Girl no Expresso da Copa)


Dificilmente em minha vida verei novamente um dia como aquele 09 de julho. Nunca imaginei que iria sentir tão de perto as emoções de uma Copa do Mundo, ainda mais na cidade que nasci e também no estádio do meu time do coração e sem precisar viajar para lugar nenhum. Queria ver apenas a movimentação das torcidas a caminho do jogo.
Ao chegar à estação Santana, percebi “4 Messis” apressados para pegar o metrô. Tudo ainda estava calmo, nem parecia Copa do Mundo. Fui até a estação da Luz.

Chegando lá já comecei a perceber os primeiros sons da torcida argentina e o clima de Copa estava cada vez mais evidente. Nunca vi tanto argentino por centímetro quadrado. Foi muito diferente. Chegavam de todos os lados para pegar o trem que levaria até o local do jogo, a Arena Corinthians, cantando e pulando, alegres, mas sem agredir ninguém. Queriam somente ver sua seleção.

Além dos argentinos também havia holandeses. Mas nem todos vieram da Holanda. Muitos brasileiros, por conta da tradicional rivalidade com a Argentina, reforçaram a torcida holandesa mesmo ainda magoados com a goleada sofrida diante da Alemanha um dia antes. Falei no outro post que já passei da fase “torcedora patriota roxa” faz muito tempo.
Moro no Brasil sim e gosto da minha casa, mas não pratico o patriotismo de ocasião que ocorre de 4 em 4 anos. Também não sou patriota no sentido real da palavra e para mim tanto faz o Brasil ser campeão da Copa ou não. Preferi este ano curtir o clima que envolve o evento além de guardar algumas recordações incluindo o álbum de figurinhas oficial.
Preferi este ano curtir o clima que envolve o evento além de guardar algumas recordações incluindo o álbum de figurinhas oficial.
Voltando a falar do passeio: Depois de me informar, embarquei no Expresso da Copa. Estava com minha tia. Ao chegarmos, dois argentinos vestidos com camisas brancas, faixa transversal vinho (ou grená) com iniciais F.P.F. Eles levantaram prontamente cedendo seus lugares para minha tia e eu podermos sentar. A viagem seguiu tranquila e pontual.
De forma pacífica, argentinos e holandeses (reforçados por brasileiros vestidos de laranja pela rivalidade esportiva de muito tempo) viajavam sem confusão nem violência. As conversas sobre futebol e Copa do Mundo fluíram soltas, num agradável som em um espanhol perfeito, rápido e compreensivo em alguns momentos.
Ao fim da viagem, todos desembarcaram com a mesma alegria, passividade e organização.  Agradeci em espanhol a gentileza dos turistas que me cederam o lugar e disse que eles eram bem – vindos.
    
Em Itaquera, mais cantoria. Sem violência ou agressões. Os argentinos fizeram um cântico provocativo relembrando a eliminação do Brasil na Copa da Itália.
“Brasil, decime que se siente / Tener en casa a tu papá / Te juro que aunque pasen los años / Nunca nos vamos a olvidar / Que Diego los gambeteó / Que Cani los vacunó / Están llorando desde Itália hasta hoy / A Messi lo vas a ver / La Copa nos va a traer / Maradona es más grande que Pelé”
“Brasil, me diga como se sente / Ao ter em casa seu pai / Te juro que mesmo que passem anos / Nunca vamos esquecer / Que Diego (Maradona) te driblou / Que Cani (Cannigia) te vacinou / Estás chorando desde a Itália até hoje / O Messi você vai ver / A Copa vai nos trazer / Maradona é maior que Pelé”
Em resposta, os brasileiros cantavam: “Mil gols/ mil gols/ mil gols/ mil gols/ Só Pelé/ Só Pelé/ Maradona cheirador” que além de exaltar um dos maiores recordes do futebol e também de Pelé, além de lembrar o vício de Maradona com as drogas. Tudo sempre na esportividade, piada. Um duelo lindo de se ver.


OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Uma coisa engraçada aconteceu. Por pouco não ganhei um “titio” argentino. Minha tia e eu estávamos encostadas num cantinho e enquanto eu tirava fotos para guardar de recordação, um cara se aproximou de nós e disse que as mulheres brasileiras eram as mais lindas do mundo. Depois, olhou para minha tia e disse em bom espanhol: “Se pudesse te daria um beijo”. Cá entre nós, ter um tio argentino seria até engraçado e diferente.
E para mim, esta Copa será inesquecível. essas lembranças ficarão para sempre. Histórias que terei para contar.
Herzlichen Glückwunsch zum Titel Deutschland (Parabéns pelo Título Alemanha)
Felicitaciones por el gran partido Argentina (Parabéns pelo grande jogo Argentina)



Post dedicado aos meus amigos Marketto e Nicolás e também ao meu primo Junior, torcedores de Alemanha e Argentina respectivamente.