My name is Patthy... Bondgirlpatthy

Bem - vindos ao meu cantinho virtual . A "casa" está sempre aberta à todos que queiram vir aqui ler e comentar meus posts. Este blog não tem compromisso jornalístico portanto não tem compromisso com a imparcialidade. Mas o meu compromisso com a democracia continua. Aqui toda opinião é importante e respeitada. Fiquem à vontade, a "casa" é de vocês. Voltem sempre q quiserem . Um beijo com muito carinho e obrigada.


segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Meu primeiro texto no papel

Você que sempre prestigia este meu espaço, lê e comenta meus textos ou ainda que passa aqui para dar um alô, seja você meu amigo, meu parente  ou meu leitor "por acaso" por causa de uma pesquisa despretenciosa já viram o quanto escrever me faz feliz e o quanto eu gosto disso. E também percebe que a atualização não é frequente por eu escrever quando estou inspirada e ser tão parcial. Além do meu carinho, meu muito obrigada e meu beijo quero compartilhar algo muito especial que me aconteceu.
Tenho amigos muito queridos que conheci no meio "nerd" no bom sentido (sim sou nerd e sou muito feliz por isso). E entre esses amigos está o querido Adriano Siqueira, o Lord Dri, grande escritor de contos de vampiros e criador da fãzine Adorável Noite, autor de dois livros muito bons. Ele foi e ainda é um dos grandes incentivadores deste blog e nos conhecemos desde 2003.
Lendo por anos tanto a fãzine dele quanto o blog resolvi arriscar e mandei para ele um conto de vampiros e espiões simples, escrito do jeito que sei.

Capa da fãzine Adorável Noite nº 36 foto: Fabiana Ferreira/Hope Olander
Site: www.adoravelnoite.com Adriano Siqueira
 
Meu conto, A Joia da Condessa,  foi selecionado para a edição deste mês da fãzine Adorável Noite mal acreditei quando ele postou a notícia no seu blog para muitos leitores. Eu, alguém simples que nunca publicou nada em papel, que apenas lê e escreve porque gosta e que por vezes foi "podada" na criatividade quando na escola a professora achava o texto muito grande. Eu tão perto de grandes escritores e sob o julgamento de leitores de Adriano Siqueira, para mim um grande escritor de elegância literária e sensibilidade exemplares. Momento único para mim!

Meu conto publicado
Para quem quiser ler não só o meu mas todos os contos é só baixar a fãzine através do link abaixo:
 
http://www.overmundo.com.br/banco/fanzine-adoravel-noite-36

 Boa leitura. E como diria meu querido "vampirinho", tenham uma adorável noite!

 
 
 
 
Meu amigo Adriano Siqueira criador da Fãzine Adorável Noite e eu na 5ª CON 007

 

 
 

sábado, 30 de novembro de 2013

Olê olê olê olê Tite Tite




Tite comandando o Corinthians em Yokohama - Japão

Alguém já ouviu falar em Adenor Leonardo Bacchi? Se você não sabe quem é esse cara, com certeza nunca leu um jornal de esportes e nunca assistiu a um jogo do Corinthians nem pela TV nem no estádio e nem ouviu no rádio. E se eu te disser que esse cara é Gaúcho, tem 52 anos. É casado com a srª Rose, de quem sempre fala com muito amor (inclusive em algumas entrevistas). Ainda não adivinharam? Tá, acabarei com o mistério. Estou falando de Tite, um dos maiores senão o maior técnico da história do Sport Club Corinthians Paulista.
Ele chegou ao clube pela primeira vez em 2004 e permaneceu até a chegada da famigerada MSI (aquela "empresa" do Kia Joorabichian) em 2005, fator importante para sua saída. Nesta primeira passagem, infelizmente, Tite não conquistou títulos pelo Corinthians.
Cinco anos depois Tite retornou em outubro de 2010.
Tite retornou para revolucionar como revolucionaram os pioneiros de 1910 e gravar seu nome in the level, para sempre nas gloriosas páginas da história do time do Parque São Jorge.
De um jeito todo dele, a história vitoriosa começou com o título do Brasileirão de 2011. Mas as surpresas melhores ainda estavam por vir. Toda a mística em torno do "fim do mundo" incluiria fatos impossíveis de acontecer. Entre eles, na piada sem nexo de anti - corinthianos que dizia que seria um fim de mundo total o Corinthians conquistar a até então inédita Libertadores da América, ainda mais que um revés aconteceu. A eliminação frente ao Tolima da Colômbia ainda em 2011, fato que quase custou o emprego de Tite.
E se não fosse o pulso firme do então presidente Andrés Sanchez diante de pressões e críticas da torcida e de conselheiros, essas belas páginas históricas não seriam escritas. E o que dizer da perplexidade dos adversários, bom... achar fim de mundo algo assim, porque não, afinal na visão deles os corinthianos "nunca serão".
Erraram feio duas vezes: o mundo não acabou e o Corinthians tornou - se em 4 de Julho campeão da Libertadores da América.na mesma ocasião de uma grande descoberta científica, uma partícula que seria a origem da vida no Universo.
De certa forma foi mesmo um fim de mundo até porque os campeões anteriores a 2012 não foram invíctos e o Timão não sofreu nenhuma derrota.
Até li no Facebook de um amigo que ele aguardou até o fim o símbolo do Playstation durante a transmissão e mal acreditou quando viu que era verdade e não um game jogado por um corinthiano no seu videogame.
A propósito, mais uma vez obrigada aos Colorados por terem mandado o Tite para comandar o Corinthians. Foi essa a legenda que coloquei em uma das fotos quando visitei a Libertadores no Memorial do Corinthians pela primeira vez alguns dias após a conquista.


Eu e a taça Libertadores da América em 2012

Em dezembro do mesmo ano, manhã de domingo, corações pulsando e o Corinthians em busca de mais um troféu, o Mundial de Clubes. Eu não estava no Japão e muito menos dentro do coração do Tite mas com certeza, ele e eu compartilhávamos um mesmo sentimento. Vencer!
Um jogo tenso naquele 16 de dezembro. Meu coração quase saiu pela boca. E no fim de tudo o segundo título Mundial onde Tite foi considerado o melhor técnico do mundo, Cássio e Guerreiro o primeiro e terceiro melhores jogadores segundo votação no site da FIFA respectivamente.




E em 2013 mais dois títulos. Um Campeonato Paulista e uma Recopa Sulamericana. Mas no Brasileiro desse ano não rendeu o esperado. Foi decidido em comun acordo que o ciclo de Tite se encerra a partir do fim desta partida que agora se inicia diante do Internacional.
De minha parte quero agradecer a tantas alegrias, tantos motivos para vibrar e ser ainda mais Corinthiana (se bem que corinthianos vivem de Corinthians mas cá prá nós bando de loucos, como é delicioso zoar os adversários não é mesmo? - risos). Dizer à você Tite, que você é um cara competente mesmo que muitos não concordem com seus métodos. E como se isso não bastasse,  tem muito charme e por que não dizer que sua aparência faz bem aos olhos das Corinthianas. Uma trajetória de 271 jogos que fazem de você o melhor técnico de todos os tempos. à você que sempre chamei carinhosamente de "guri" com o mesmo carinho que uso esse apelido para amigos gaúchos, um até breve. Beijos e obrigada por tudo! Esse texto é minha "homenagembilidade" à você e espero um dia te conhecer pessoalmente. Espero ver sua história gravada no Memorial do clube através de um objeto que eternize sua passagem vitoriosa.








 

sábado, 5 de outubro de 2013

From Ian Fleming, Albert Broccolli e Harry Saltzman with love

Ian Fleming, Harry Saltzman e Albert Broccolli foto: 007 Magazine
 
 

Hoje é um dia especial. Em 1962 a exatos 51 anos o primeiro filme de 007 no cinema. Estou muito feliz porque além de muita emoção tanto nas telas do cinema quanto nas páginas de um livro também trouxe muita coisa boa para minha vida.
Eu queria por instantes poder conversar com Ian Fleming, Albert Broccolli e Harry Saltzman para lhes dizer tanta coisa...
Dizer que a cada vez que leio um livro com alguma estória de James Bond sou transportada para um mundo mágico e perfeito, não sinto o tempo passar. É como estar em boa companhia e nunca querer partir. Imaginar aventuras emocionantes, junto com ele salvar o mundo e no final receber como recompensa o final feliz com meu herói.
E cada vez que eu vejo um filme é como se por alguns instantes não houvessem problemas, sentir o coração disparar com a beleza sedutora de James Bond. Beleza que encanta, aprisiona e perturba. E também com a ação de quem sempre salva o mundo viajando pela história verdadeira e a fictícia que se misturam. Aprender coisas "chatas" da maneira mais legal. Se interessar por política sem perceber e sempre querer cada vez mais.
Sinto tanta coisa boa que saio leve. É algo que não se compreende mas se sente lá no fundo da alma e que faz tão bem.
E como é bom fazer amigos, encontrar com outras pessoas que se identificam comigo e que entendem esse sentimento. Sair numa tarde de fim de semana e ir para uma livraria. Para falar de livros e de filmes (e nos intervalos falar amenidades e bobagens, procurando uma brecha para o assunto principal sempre estar em pauta). E nunca se cansar. Sempre querer mais, sentir saudade assim que a reunião se encerrar.
Tanto a agradecer, tanto a dizer para vocês e não poder encontrar.Um brinde shaken not stirred! Happy a Bond Day! Nobody does it better e Bond é para sempre. O resto vocês já sabem...

 
 
 

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Obrigada por tudo MTV

Logo MTV Brasil site MTV Brasil
Hoje é um dia que muitos não vão esquecer. É o dia da despedida da MTV Brasil canal 32 UHF na TV aberta. Muito se falou sobre isso nesses últimos meses na imprensa e na internet.
Ainda me lembro de um tempo há 23 anos atrás em que essa emissora passava clipes quase 24 h por dia e os seus artistas contratados nunca foram apresentadores, cantores, atores, jornalistas mas um tipo único "importado" lá da terra do Mickey Mouse, todos os artistas eram VJ´s, independente do tipo de programa que apresentavam pois todos tinham a música como tema central. Outra particularidade curiosa: o endereço da MTV Rua Professor Afonso Bovero no bairro do Sumaré foi um dia a sede da TV Tupi, primeiro canal de televisão do Brasil inaugurado em 1950 por Assis Chateubriand.
Muitas vezes a programação dela era, para mim, alternativa na TV aberta quando acabavam os desenhos legais e também outros programas interessantes e mesmo zapeava e parava nela durante intervalos  de programas de outras emissoras. E uma marca registrada eram os horários alternativos e maratonas de reprises dos programas que impediam as pessoas de perder seu programa preferido por causa de outras obrigações no mesmo horário.
E foi numa dessas reprises que a MTV se tornou realmente parte da minha vida e marcou para sempre a minha história particular. Algo lindo, uma "tatuagem" invisível mas que faço questão de exibir.
Era dia 17 de dezembro de 2002. Uma tarde fresca e preguiçosa. Estava em meu quarto assistindo uma novela chamada Alcançar uma Estrela que passava nas tardes do SBT. A novela entrou no intervalo e eu zapeei a TV inteira. Quando chegou no canal 32 só vi um cara vestido de mulher, uma feiura de dar medo mas divertida, uma caricatura da moda do que eram as mais belas mulheres dos anos 60. Cazé Peçanha era essa "mulher" e comandava um game show entre dois fãs de James Bond vestidos de smoking, lindos e elegantes. Eu também fã do agente secreto britânico não voltei a ver a novela naquele dia . E assisti. Não torci por nenhum dos dois, não os conhecia e "brinquei junto" respondendo as perguntas. Estava só, não tinha por companhia nem mesmo meu saudoso gato siamês James Bond, companhia constante nessas tardes deliciosas.
Até que fui bem, acertei quase todas as perguntas numa época em que não tinha com quem conversar sobre esse assunto. Durante o programa o Cazé perguntou a ambos como o público de casa tinha que fazer para entrar no grupo que era a Comunidade 007 Brasil e também perguntou sobre a admissão de mulheres. Um dos rapazes respondeu de um jeito tão lindo e gentil que jamais esqueci essas palavras: "O que seria de James Bond se não fossem as Bond Girls".
Ao terminar o programa não perdi tempo, entrei na internet e fiz o meu cadastro. E escrevi para contar minha história para eles e tirar umas dúvidas. Fui atendida com cordialidade e simpatia. Tive minhas dúvidas esclarecidas e minha história como fã valorizada. E a primeira vez que nos vimos na reunião de fãs numa livraria meio acanhada mas acolhedora fui recebida de um jeito tão carinhoso e tão livre de preconceitos que nunca vou esquecer.
Quase 11 anos se passaram desde aquele 9 de janeiro, dia da primeira reunião. Hoje sou amiga pessoal daqueles "agentes" e sou feliz, ainda mais feliz. Obrigada MTV  por tudo, obrigada Cazé Peçanha. Por causa de vocês fiz amigos para uma vida inteira. Não vou mais poder assistir ao canal nem de relance pois não tenho TV a cabo mas estejam onde estiverem jamais vou esquecer o que fizeram por mim.

domingo, 1 de setembro de 2013

Corinthians um amor cheio de emoções



Quando penso no Corinthians o meu coração dá um salto e dispara de tanto amor e alegria só por saber que ele existe e está aí há 103 anos sendo amado por uns mais afortunados e ignorado por outros nem tão afortunados assim e, ao menos que queiram se dar uma segunda chance, jamais saberão o que significa realmente um amor cheio de emoções .
Desde os meus cinco anos que sei o que é isso. Nunca experimentei um sentimento como esse por outro que não fosse o Timão. E nem quero experimentar pois o amor com emoções é o que me basta para ser feliz para sempre como a mocinha no final de um romance açucarado de banca de jornal.
Confesso que nunca fui aos jogos no estádio, temo a violência mas mesmo não indo é como estar presente pois meu coração sempre está com eles, vibrando e sofrendo, querendo ajudar. Mas vontade de assistir a um jogo não me falta e um dia se Deus permitir vou ver um jogo na nova Arena e vibrar em paz com uma vitória do time.
O Parque são Jorge é minha segunda casa. Cada dia que vou lá é como se fosse o primeiro dia.
Uma emoção sempre. Uma grande honra carregar o escudo do clube que amo no maiô a cada aula. Lá é a casa onde mora meu coração, um lugar que me traz alegrias e me faz bem. Onde pratico esporte e me divirto também encontrando e convivendo com pessoas legais.
Fica impossível descrever todas as emoções que vivo sendo Corinthiana pois esse texto nunca terminaria por isso vou destacar apenas as mais recentes.
A final da Libertadores foi tão emocionante que nem consegui ver, estava muito nervosa, tremi muito e por isso resolvi apenas ouvir. Estava mesmo com medo de morrer. Quando saiu o título eu vibrei, chorei de emoção e no dia seguinte quando acordei achei que era um sonho mas que bom que esse sonho se tornou muito real! Já a final do Mundial, lá no fundo da alma eu sempre tive a certeza absoluta de que seria nossa e foi mais tranquilo. Mesmo assim apenas ouvi por precaução enquanto tomava meu café da manhã. E a Recopa que veio depois eu "nem senti". Vibrei, mas como vibraria como em um jogo normal.
Já dizia a canção: "Ser corinthiano é ir além de ser ou não ser o primeiro". É algo que só quem é entende e um sentimento muito especial, diferente de tudo. Só sei que é gostoso sentir isso. Quando chegar o dia em que partirei eu quero que uma bandeira do Corinthians cubra meu corpo e me acompanhe em meu repouso eterno.
Obrigada Corinthians por existir, por me fazer sorrir e chorar. Por eu ser feliz. Te amo e sempre te amarei na alegria e na tristeza por todos os dias da minha vida. Feliz Aniversário meu eterno amor.

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Making Of Bondcast 14

Tela do Skype durante a gravação Foto: Istagram Marketto (@marketto007)

Desde a primeira versão do Bondcast Brasil que estreiou em 4 de Junho de 2007 e ainda era feito por outra turma, sempre ouvi e comentei absolutamente todos os programas, afinal é um programa instrutivo, divertidíssimo e muito legal mesmo. Simplesmente AMO ouvir e dar boas e sonoras risadas nos momentos em que mais se parece um stand up bondiano recheadíssimo de trocadilhos e tiradas homéricas! E até hoje sinto falta desses primeiros Bondcasts. Rafa, Bruno e Fernando, além de sempre ouvir, estar lado a lado na primeira formação da equipe sendo a única menina e tratada com carinho mas sem distinção ou superproteção foi inesquecível. Esse texto meus queridos também é dedicado à vocês. E a turma nova só fez crescer e evoluir o padrão. O que era bom ficou melhor ainda, parabéns Sergio (apresentador) e Miguel (editor) dois grandes talentos que vieram e não deixaram dever a ninguém.
Para os que não sabem, cheguei a participar da versão anterior no episódio 3 e também durante a 1ª CON 007 onde o tema era o Centenário de Ian Fleming, primeiro e único realizado totalmente ao vivo (este ainda se encontra disponível entre os "clássicos") já o outro, foi retirado do ar assim como toda a primeira fase do programa por questões relacionadas com a lei de direitos autorais.
Em 2010, o Bondcast teve um reboot. E após este reboot já tiveram 13 episódios publicados em que foram abordados filmes em ordem cronológica, games e até "erros" nos filmes de James Bond no episódio chamado 007 Contra o Pulo do Tubarão (Bondcast 006 desta temporada).
Sempre ouvi e escrevi dizendo o que gostei e comentando algo que achasse interessante.



Lembrete que deixei em minha mesa



 

Tanto fiz que recebi um convite muito carinhoso do amigo Carmona para participar da gravação sexta - feira dia 28 de Junho. Ironia ou sorte, o tema do Bondcast dessa vez seria Ian Fleming, o criador de James Bond, esmiuçando sua vida e livros.
Novamente eu, falando de Fleming, a exemplo do que aconteceu no evento do centenário de seu nascimento.
Me preparei estudando sobre "O Calhambeque Mágico" um livro que descobri aos 10 anos e que a partir daí povoou meus sonhos de infância. Coisas do destino.
Às 21:30 h entrei no Skype para gravar. Estava nervosa, confesso, mas como estava entre amigos logo fiquei calma. Achei que fosse mais difícil mas tudo não passou de um enorme bate papo desses "de botequim" como disseram os meninos ou na sala de casa bem à vontade.
Antes da gravação, conversas descontraídas e corriqueiras.
E quando começou a gravar ainda parecia um bate - papo descontraído. A gravação começou às 22:00h e terminou à 1:00h.
Acredito que se não fosse o relógio do computador jamais saberia que o tempo passou! Só tenho a agradecer pelo carinho e a amizade de sempre e dizer que os amo muito e que para mim é uma honra ser amiga de vocês. Fazer esse Bondcast com vocês e falar de Ian Fleming foi tão maravilhoso quanto assistir a um show ao vivo do Roberto Carlos (já assisti a 2 shows falando nisso, ambos me deixaram muito emocionada). Lindas e carinhosas palavras de vocês, obrigada Carmoninha, Giu, Serginho e Marketto, sem palavras para definí -los. E Miguel, obrigada pela paciência e por editar tão brilhantemente esse que para mim é o melhor podcast do planeta. "nobody does it better", já dizia a canção de Carly Simon, tema de "O Espião que me Amava".
Abaixo deixo o link para meus leitores que nunca ouviram poderem baixar e ouvir o Bondcast 14 que já está no ar.





http://www.comunidade007brasil.com.br/homolog/BondCast/Bondcast_0014_Ian_Fleming.mp3

Layout BC 0014 portal Comunidade 007 Brasil

domingo, 26 de maio de 2013

E viveram felizes para sempre


Altar ecumênico
 


Casais elegantes e apaixonados
 
Maio está terminando. E além de ser o "meu mês" e mês das mães também é o mês das noivas. Não sei a origem disso mas o fato é que noivas de qualquer religião, posses ou cultura, noivas preferem mesmo se casar neste mês. Datas muitas vezes são bastante concorridas.

Ontem assisti por curiosidade uma cerimônia muito interessante e bonita aqui mesmo na praça do bairro, um casamento comunitário. Casais que já viviam juntos há muito tempo compareceram com famílias inteiras, incluindo filhos para oficializarem a união. Noivas vestidas de todas as cores, incluindo o tradicional branco, lindas e sorridentes. Noivos igualmente impecáveis e lindos trocaram juras de amor diante do Juíz de Paz e eram também abençoados por representantes de várias religiões. Uma espécie de "altar" sem imagens ou símbolos religiosos, apenas flores e também um lugar preparado com bolo cenográfico e taças de champanhe para a tradicional foto e um fotógrafo contratado para registrar esses momentos. Além de milhares de celulares e câmeras digitais, das pessoas presentes e padrinhos dos noivos, tudo como manda o figurino.




Frei Maciel abençoa os casais Católicos


Daminhas de honra


Haviam políticos para fazer seus discursos. Não sei para que. Essa parte foi chata mas felizmente pouco.E claro que música não podia faltar. O tenor Rinaldo (revelado por Raul Gil) cantou vários clássicos românticos da música internacional acompanhado pela banda da Polícia Militar que organizou tudo. E como cantou lindamente, trazendo um toque sofisticado não só à cerimônia mas também à praça de um bairro de gente simples que luta no dia a dia para viver bem e feliz.


O tenor Rinaldo

Já assisti a muitos casamentos, incluindo dois casamentos reais (pela TV) mas esse, de fato foi muito diferente e ao mesmo tempo tão igual aos outros. Diferente por não ter um casal apenas mas vários e igual porque ali havia o principal, mais importante do que qualquer registro: o Amor.
Desejo que todos os casais sigam construindo a história de amor que um dia começaram juntos e que todos eles tenham todo o tempo do mundo para serem felizes e que Deus os abençoe e proteja nesta caminhada.




Um dos casais




Casal posa para foto em bolo cenográfico



Cerimônia civil











 
 
 
 
 


 










 



quinta-feira, 18 de abril de 2013

Essa novela é mesmo "do balacobaco"!

Logo da novela Balacobaco Arte: R7.com

Confesso que comecei a assistir essa novela por osmose porque estava acompanhando "Máscaras" pela Record, uma novela até boa, diferente, que mais parecia um filme policial mas muitas vezes sua trama se confundia um pouco. Durante a última semana propagandas introduzidas não só nos intervalos mas também em todos os outros programas da emissora anunciavam uma nova novela que iria ser "do balacobaco".
Balacobaco estreiou numa quinta - feira, 4 de outubro de 2012, com uma audiência baixa mas aos poucos a estória escrita por Giseli Joras foi me conquistando. A trama conta a trajetória da arquiteta Isabel (Juliana Silveira),  que vê sua vida desmoronar após enfrentar uma série de dificuldades. A situação é agravada quando sua irmã, Teresa (Juliana Baroni), morre enquanto pratica pesca submarina. O responsável pelo acidente é o inescrupuloso Norberto (Bruno Ferrari). Após a morte da irmã, Isabel, então, recebe a missão de revelar a sobrinha Taís (Letícia Medina) sobre sua paternidade. Assim, a menina inicia a busca pelo pai biológico.
O caminho de Isabel  se cruza com o de Eduardo (Victor Pecoraro), dono de uma agência de turismo ecológico, seus projetos começam a desandar em função das armações do sócio Norberto, seu irmão de criação. Ao perder tudo, se aproxima de Isabel, dando início a uma conturbada relação. (fonte: R7.com site da novela Balacobaco: http://entretenimento.r7.com/balacobaco/)
Além dessa trama central tem também as divertidíssimas gêmeas Paranhos Dóris (Roberta Gualda) e Diva (Bárbara Borges), filhas da trambiqueira Cremilda (Solange Couto) que se envolvem em situações de arrancar o fígado de tanto rir. Também não faltam os "amigos" Breno (Léo Rosa) e Patrick (Thierry Figueira) que fazem de tudo para conviverem com artistas. E também não falta aquele pastel exótico que você só encontra na pastelaria Stromboli do simpático Osório (André Mattos) que além de ter sabores diferentes ainda vem com mensagens otimistas, ou não, escritas por sua filha Violeta (Simone Spoladori). E enquanto você come o pastel, ouve pela rádio Ampola a voz aveludada do divertido locutor canastrão Plínio (Rodrigo Phavanelo).
E também tem romances de suspirar como o de Eduardo e Isabel e ação de tirar o fôlego para impedir Norberto de realizar seus planos maléficos. Sem falar que os atores são um deleite para o público feminino, tem cada gato!
É uma novela com todos os elementos de uma boa trama feita para se assistir bem relaxado e esquecer da dureza da vida real pelo menos por alguns instantes.
A trama já está nas últimas semanas e pelo menos para mim vem provando a cada capítulo que realmente faz jus à sua propaganda e a seu nome. Essa é uma das tramas que com certeza já entrou para sempre na galeria das minhas preferidas e que quando terminar mesmo vai deixar muita saudade.
Dedico o texto à todos que fazem parte dessa novela que me deu muitas horas de diversão. E fica um conselho aqui: as boas estórias existem em vários canais é só procurar o que mais lhe agrada.

terça-feira, 26 de março de 2013

Comunidade 007 Brasil 12 anos e muitos momentos inesquecíveis






 
 
A Comunidade 007 Brasil  completou exatos 12 anos de atividades ontem. Somos muito mais do que um simples fã clube. Somos, como nosso próprio nome diz, uma comunidade de fãs do agente secreto James Bond 007 no Brasil. Para ser um de nós só precisa ser fã de 007, mais nada.
Foi assim que eu comecei e quem lê meu blog já conhece minha história então pularei essa parte, certo? Quem não conhece procure os posts sobre 007 que na maioria eu conto como conheci e entrei na Comunidade.
Este ano resolvi relembrar alguns dos momentos inesquecíveis que vivi dentro da Comunidade 007.
 
 
 
O primeiro deles foi a viagem para o Rio de Janeiro em 3 de julho de 2004. O passeio foi para comemorar os 25 anos da estreia do filme 007 contra o Foguete da Morte, estrelado por Roger Moore. A cidade maravilhosa foi escolhida para essa comemoração justamente porque algumas localidades serviram de cenário para uma aventura meio "espacial" do agente britânico. Eu sempre quis conhecer o Rio que conhecia de novelas, filmes e reportagens e essa viagem não poderia surgir num momento tão único como aquele onde eu praticamente acabava de conhecer fãs de James Bond que se tornaram meus amigos. Foi um fim de semana memorável que me deixou lindas lembranças para toda vida. Fica aqui meu carinho aos amigos tão maravilhosos quanto o Rio de Janeiro e meus eternos agradecimentos pela hospitalidade. Dois beijos em cada um de vocês, adorei tudo e um dia quero voltar.
 Só lamento não ter encontrado Roger Moore por lá mas não saí sem fazer minha homenagem à ele. Na foto ao lado, a reprodução quase fiel de uma cena do filme entre Roger Moore e Loius Chiles no morro do Pão de Açúcar. Deu medo, confesso, mas meu amigo e também o amor pelo personagem 007 me deram coragem para que essa foto saísse assim tão linda. Como diria o próprio James Bond, foi um labour of love.
Outro momento inesquecível aconteceu em  dezembro de 2006. Com a saída de Pierce Brosnan, o ator Daniel Craig assumiu o papel de 007. O filme 007 Cassino Royale era cercado de expectativas não apenas por isso mas também porque finalmente o primeiro livro escrito por Ian Fleming iria ser adaptado para o cinema. Quase tudo era novo e esse filme, diziam, seria um recomeço para um herói quase esquecido pelo tempo, lembrado apenas por fãs ardorosos.
Era 11 de dezembro de 2006. Noite em São Paulo. E eu que adoro cinema, assisti pela primeira vez na minha vida uma pré estreia de um filme apenas para convidados e imprensa ao lado de meus amigos da Comunidade 007 Brasil. Na época eu fazia parte da equipe do portal e também recebi convite para ver o filme antes de todo mundo. E depois, uma festa temática noite adentro como eu jamais vi, com direito até a vodca martini preparado ao estilo 007 (não bebo mas o visual das taças estava lindo, de encher os olhos).




 


 Outro momento feliz teve importância por algo até simples porém difícil de acontecer pela distância. Foi a primeira vez em que pessoas que não moram em São Paulo participaram de um evento. Nem todas essas pessoas estavam presentes mas a grande maioria delas. Aconteceu em 2008. E não poderia ter acontecido em um dia mais apropriado para Bond maníacos se encontrarem e conhecerem do que o dia em que se comemorou o centenário de nascimento de Ian Fleming. Pessoas amigas, unidas por causa de um gosto em comum porém de diferentes origens culturais, sociais, ideológicas, de todos os cantos do país. E ao vê - los pela primeira vez, me senti tão feliz como se recebesse parentes em minha casa depois de uma longa ausência. A emoção rolava misturada à descontração que mais parecia uma reunião de vizinhos que cresceram juntos do que pessoas que nunca tinham se visto na vida, tendo contato apenas pela internet.








 
Em 2009, uma grande surpresa para nossa equipe estava para acontecer. Através de uma grande amiga fã não só de 007 mas principalmente Star Wars, conseguimos uma entrevista com o ator Jeremy Bullock. Além de fazer um tremendo sucesso nas aventuras de George Lucas, ele também fez três participações pequenas em filmes de 007 como assistente do Major Q. Jeremy estava no Brasil para a Jedicon daquele ano e antes do evento recebeu nossa equipe no hotel para um bate papo bem descontraído sobre tudo, especialmente 007. Foi engraçado e inesquecível para mim pois eu nunca tinha visto um artista estrangeiro de perto.. Uma tarde que nunca mais vou esquecer. Durante a entrevista, Bulloch parecia um de nós, tipo um amigo mais velho que já fazia parte do nosso grupo. Uma experiência única com certeza.
Em 2011 uma CON  inesquecível que marcou não só os 10 anos da Comunidade 007 Brasil como também um salto de qualidade. Desde os primeiros instantes do evento, a emoção era visível nos rostos das pessoas, principalmente da equipe que estava junta desde 2003. Um filme passou não só no vídeo de abertura como também, creio eu, no coração de cada um.
A transição era necessária afinal, precisávamos de gente nova disposta a mostrar seu talento e colocá - la também a serviço dos fãs. Homenagens e uma linda despedida marcou a "passagem de bastão"
 
 


Os 50 anos da estreia do primeiro filme de James Bond não podia faltar nessa retrospectiva. E uma CON sem precedentes, digna de se comemorar um jubileu de ouro aconteceu. Eu estava passando por um momento particular muito difícil e não sabia se estaria presente mas graças à Deus deu tudo certo. Ver a nova equipe comandando tudo com maestria e talento, repassar a história de um personagem tão famoso e fascinante. Até disputa de quem sabe tudo teve e, mesmo perdendo por muito pouco fiquei feliz por tudo que pude ver e comemorar junto à pessoas tão queridas.
 


 
 
Dias depois da CON em 6 de novembro, esteve no Brasil para um grande evento o escritor Jeffery Deaver, mais conhecido pelo livro O Colecionador de Ossos. Deaver havia sido convidado pelos herdeiros de Ian Fleming para escrever um romance totalmente novo tendo James Bond como personagem. O livro Carte Blanche mostra um 007 mais moderno porém não perde a essência que sempre nos encantou. Uma noite de autógrafos e bate papo marcou o lançamento não só de Carte Blanche mas também de A Janela Quebrada, outro grande romance em outro estilo mas tão emocionante quanto uma estória de James Bond. E mais uma vez, estava eu junto dos meus amigos queridos nessa noite muitíssimo especial.
Jeffery Deaver foi muito simpático comigo e com todos e mostrou - se simples embora muito famoso em todo o mundo. Além de paciente, disposto a quebrar a barreira idiomática que nos separava dele. Jamais esquecerei dele, uma honra conhecer alguém tão especial e poder dividir esse momento com pessoas mais especiais ainda.
 
 
 
 
 
 
 
 
Este é meu presente nesses 12 anos e espero que tenhamos muitos momentos como esses que relatei. E espero que estejamos juntos para festejar cada um deles com um brinde shaken not stirred! Feliz Aniversário Comunidade 007 Brasil! Viva James Bond!


 
 

quarta-feira, 20 de março de 2013

Fórmula perfeita para fazer uma boa redação: receita de miojo e hino de futebol

Não costumo fazer esse tipo de post jornalístico aqui no blog mas hoje não deu para resistir. Estava eu ainda deitada ouvindo as notícias da manhã na Rádio Bandnews FM quando começaram a falar do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio). Um aluno conseguiu metade da pontuação máxima da prova por fazer uma redação brilhante com palavras retiradas do hino do Palmeiras no meio do texto que escreveu sobre o tema "Movimento imigratório para o Brasil no século 21" para testar se o professor que faz a correção da redação lê mesmo tudo que está escrito. Veja o trecho na foto abaixo:
 
 
Redação com trecho do hino do Palmeiras Foto: Site G1
Devo reconhecer, mesmo sendo corinthiana,  que o cara tem excelente bom humor para provar que as pessoas que corrigem redação não lêem o que o aluno tem trabalho de escrever, podando o talento de pessoas que realmente gostam de criar textos.
As redações do ENEM 2013 não são feitas apenas por torcedores de futebol mas por cozinheiros também. Quem não gosta de miojo e nas horas daquela fome nunca fez um pacote? Todo mundo não é? Pois então: A receita do Miojo foi usada por um outro estudante como parte da sua redação.
 
Veja o trecho:


Redação com receita de Miojo Foto: Site G1





 
 
 
Ambos os alunos foram bem pois além de provarem sua teoria ainda comprovam aquilo que eu sempre soube.  e com certeza quem corrigiu a redação do "miojo" queria saber na verdade se o estudante sabia cozinhar a partir de uma receita rápida. E ele sabe sim. Tanto que tirou uma boa pontuação por causa disso.
Alguns professores podam o talento de seus alunos exigindo na redação um número de linhas ou palvras. Por isso talvez que a maioria das pessoas ache a aula de português uma chatisse e redação se torna algo intragável. Falta liberdade para criar.
E vendo essa notícia, lembrei de uma coisa q aconteceu comigo em 1994 durante uma prova de história.
Eu estava cursando o 3º ano do Ensino Médio (2º Grau como era chamado na época) e tinha uma professora de história muito rigorosa na hora de corrigir provas. Em toda a história da escola, nunca um aluno conseguia obter nota A (equivalente a um 10) na matéria dela, nem mesmo a melhor aluna da sala que era também a melhor aluna de toda a escola.








Um belo dia essa professora resolve aplicar uma prova em dupla e as perguntas giravam em torno da Abolição da Escravatura no Brasil.Fiz dupla com um colega. Ele, apavorado, precisando de nota, dizia que só sabia a data e quem assinou a lei Áurea, não sabia como descrever com as próprias palavras a assinatura da Abolição incluindo os dois parágrafos da lei.
Minha sorte é que eu estava acompanhando a novela Sangue do Meu Sangue pelo SBT e o último capítulo foi ao ar na sexta - feira que antecedia a prova aplicada na manhã de segunda.
Vendo o desespero do meu colega eu disse: "Você responde a primeira pergunta e depois relaxa, deixa a outra comigo". Dito e feito.  Em minha mente veio a cena da novela onde a atriz  Irene Ravache (atualmente no ar em Guerra dos Sexos como Charlô) no papel de Princesa Isabel reproduziu o momento exato da assinatura da Lei Áurea em todos os detalhes. Escrevi umas 20 linhas relatando tudo e depois entregamos a prova.
Dias depois, na hora do intervalo, meu colega e parceiro de dupla e eu fomos chamados pela melhor aluna da nossa classe pois a professora queria falar conosco. Lembro que ele tinha recebido o recado primeiro e veio me buscar. Juntos, de mãos dadas, nervosos, fomos falar com a professora.
Ela nos perguntou como fizemos para lembrar de tantos detalhes achando que conseguimos tal êxito por causa de suas aulas. Devo alertar que essas "aulas" eram feitas com abreviações que só ela sabia o significado, escritas na lousa acompanhada de uma leitura não muito clara nos livro. E a correção das provas era feita com uma rapidíssima "passada de olho".  Expliquei para a professora sobre a novela e a cena. Recebemos os parabéns e fomos cumprimentados por alunos e professores.
Valeu a pena, obrigada eternamente Irene Ravache, a melhor "professora de história que tive" no colegial







segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

And The Oscar Goes To: The James Bond´s 50 th Anniversary

Começo meu post hoje, Domingo, 24 de Fevereiro de 2013  às 12:09 h (horário de Brasília) sem ter a mais remota ideia de quem conquistaria o Oscar na torcida pelas cinco indicações do filme 007 Operação Skyfall. Só uma coisa é certa: teremos um dos momentos mais maravilhosos que um Bond maníaco pode ter. Na grande noite de gala do Oscar James Bond sendo homenageado por seus 50 anos de sucesso no cinema .
Honestamente não me lembro de algum personagem fictício que tenha recebido esta honraria. Sei apenas que do mundo bondiano Albert "Cubby" Broccolli (IM), produtor da maioria dos filmes, recebeu o Prêmio Memorial Irving G. Thalberg, conferido em 1982 por ser considerado um produtor criativo e também de filmes de qualidade. Para se ter uma ideia do valor dessa atribuição, gênios como David O´Selznick (...E o Vento Levou), Walt Disney (Branca de Neve e os Sete Anões) e Cecil B. de Mille (Os Dez Mandamentos) receberam esta honraria em 1940, 1942 e 1953 respectivamente. Só gente boa mesmo cuja obra transcende ao seu criador e passa para a eternidade. Isso já deixa claro que "modas passageiras" que as pessoas falam muito quando explode incontrolável mas depois de algum tempo ninguém se lembra pode até colecionar Óscares "comuns" mas homenagem como esta NUNCA receberão.
 
 
Sean Connery como 007 (1962)


 
James Bond é um clássico mundial. Não importa a época política ou a moda, ele sempre esteve lá e é o espião mais famoso do mundo. A frase "Meu nome é Bond...James Bond"  dita com um charme absolutamente irresistível e a maneira que gosta de seu drink favorito, "vodca martini batido, não mexido " são reconhecidas por fãs apaixonados e não fãs, juntamente com a melodia do James Bond Theme composta por John Barry e tocada por Monthy Norman.  Cabe aqui uma confissão de fã ardorosa Bond maníaca desde os 6 anos de idade: O toque do meu celular é o James Bond Theme desde o primeiro aparelho ( já estou no 3º).
A homenagem de logo mais à noite promete. Estou ansiosa. Além de Adele que cantará o atual tema "Skyfall" que também concorre ao prêmio de "Melhor Canção Original" espera - se uma aparição  dos seis atores que fizeram o papel do agente secreto: Sean Connery, George Lazemby, Roger Moore, Thimoty Dalton, Pierce Brosnan e Daniel Craig , além de Michael G. Wilson, Barbara Broccolli, Hale Berry (007 Um Novo Dia Para Morrer).  Até vestirei a minha camiseta com a Gun Barrell dourada por cima da camisola para  esperar a homenagem...

 
 
 
...já estamos na Segunda - Feira, são 9:45h reinicio meu post depois da cerimônia do Oscar terminada. Bem, para começar, depois de cuidar da minha querida gata Francesca e colocá - la para dormir, fui para a internet onde meus queridos amigos Fábio (Comunidade 007), Sergio (Comunidade 007) e Marketto (James Bond Brasil) fizeram um hangout acompanhados por Thiago, o Tigre comentando o Oscar, alternativa às chatas interferências de José Wilker que considero um ator divertido e ponto.
Durante o hangout acompanhei a cerimônia apenas com a narração de viva voz ou digitada, descrevendo tudo que era exibido pelo canal a cabo TNT.
Como não tenho TV a cabo tive que aguardar a transmissão da Globo que começou depois da exibição de duas atrações que o público não conhecia. Vocês já ouviram falar em Fantástico e Big Brother Brasil? Pois é, "estreiaram ontem" no dia do Oscar, (rir para não morrer de raiva). Vou mandar um e - mail para a  emissora fora o montão de twetts que mandei reclamando. Por causa disso, perdi o que mais esperei prá ver: a homenagem à 007 com Shirley Bassey cantando Goldfinger. Felizmente existe a internet. Já vi o vídeo e Shirley estava impecável como uma verdadeira Diva, um esplendor, cantou glamurosamente, além do belíssimo James Bond Tribute. Beleza, elegância, sofisticação e muita ação. Tudo do jeito que o fã de 007 adora!

 No fim das contas, os "Bonds" não apareceram (houve também umforte rumor de que o cantor Tom Jones (Thunderball) viria e, juntando - se à Bassey, cantaria também sua canção tema, mas isso não se confirmou) De qualquer forma, mesmo com ausências sentidas, foi um momento marcantepara cada fã e que também entrou para a história.










Mas falando do Oscar comentado por fãs, divertido prá caramba. Mensagens e comentários divertidíssimos e um banho de talento e simpatia desses queridos amigos que adoro! Mandei algumas mensagens com elogios, comentários e beijos, muito carinho mesmo.
Depois de algum tempo no hangout, assisti a cerimônia pela Globo, estava cansada de ficar no computador. Não que a emissora mereça mas eu queria ver se Skyfall levaria algum prêmio e somente  por Bond vale o sacrifício já que não tenho outro jeito. E parece que dei sorte pois Skyfall conseguiu duas estatuetas, uma para "Melhor Canção Original" e outra por "Melhor Edição de Som". Foi um momento único porque desde 007 Contra a Chantagem Atômica (1965 - Efeitos especiais)  um filme de 007 não ganhou mais nenhuma estatueta. Para completar, a performace magistral e lindíssima de Adele entoando a canção vencedora, um deleite tão prazeiroso quanto assistir aquele filme de 007 predileto pela "enésima vez".







Mesmo que a Rede Globo tenha estragado grande parte de minha alegria esta será uma noite que nunca será esquecida e será guardada em meu coração Bond Maníaco. Os outros filmes e prêmios para mim são apenas coadjuvantes. Esta foi uma daquelas noites perfeitas (ou quase) dignas do requinte do universo de 007.
 

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

O Bi campeonato Mundial Corinthiano visto pelas lentes de um artista





Quem já teve a alegria de visitar o Memorial do Corinthians onde todos os títulos e grande parte da história de 102 anos deste clube são eternizadas, notou não só a beleza do lugar mas que ali, um passado glorioso ilumina e guia para o futuro os personagens que hoje ajudam a contar essa história da qual me orgulho muito. Documentos, impressões dos pés que tantos gols fizeram e mãos de goleiros e outros esportistas que fizeram do Corinthians um dos maiores times do mundo e a paixão eterna de milhões de "loucos" que o adotam como time do coração, inclusive eu.
E foi neste cenário que no sábado, dia 16 aconteceu o lançamento do livro "Bicampeão Mundo" do fotógrafo Daniel Augusto Junior, fotógrafo oficial do clube. Aliás, corrigindo: fotógrafo não, artista.
Este não é o primeiro livro dele. Desde 2008, as lentes de Daniel captam o que ninguém viu por não ter a sensibilidade necessária para ver. A cada título do Corinthians um livro novo. O primeiro "Eu Voltei" registra imagens da volta do time para a série A do Campeonato Brasileiro. Uma boa ideia pois até então a história corinthiana não era tratada com tanto zelo e cuidado (e com arte como toda história centenária e gloriosa merece).
E o lugar para o lançamento de tal obra de arte não podia ser outro senão o interior do Memorial Corinthiano entre os troféus e medalhas que lá estão.
O público que estava visitando o local misturou - se com o que foi ao lançamento do livro.
Daniel Augusto Junior atencioso e carinhoso com o público autografava. Cada autógrafo era único pois era dedicado nominalmente ao dono do exemplar. Ele também ambém conversava com todos, não tinha pressa, e esbanjava bom humor e muita simpatia. Entre outras coisas contei - lhe que segurei a taça do primeiro Mundial (2000) em minhas mãos e mostrei a foto. Ele achou muito interessante. Futuramente mandarei uma cópia caso ele queira guardar. Além de tirar muitas fotos, melhor dizendo, posar para muitas fotos com cada um dos corinthianos. Coisa raríssima na vida de qualquer fotógrafo profissional.
Daniel Augusto Jr autografa meu exemplar Foto: Vicky Comunale
Falando um pouco do livro: cada página é uma obra de arte. Mais de 300 fotos sem legenda ou texto (que diante da beleza são perfeitamente dispensáveis). Suas lentes captam emoções como a plasticidade de uma jogada, a alegria explosiva de um gol ou de uma conquista, a revolta por um lance perdido, o esforço do treino, a descontração nas folgas, a prece e o agradecimento, o suor, a lágrima e até seus hábitos e costumes que por vezes denunciam a terra natal do fotografado.  Confesso que não tenho os outros cinco mas já vi em livrarias. Só que este fiz absoluta questão de comprar por ser algo muito especial.
Particularmente gosto de uma foto que para mim traduz toda a emoção desta conquista e que tem uma beleza artística maravilhosa. Na foto vemos o zagueiro Paulo André caminhando em êxtase pelo campo de mãos postas em prece e um brilho lindo em seus olhos, parecendo flutuar. Emocionante! Esse livro também tem sua curiosidade: a defesa de Cássio captada por lentes adversárias na certeza de que um gol do Chelsea sairia. Um "acidente de percurso" que, convenhamos, veio a calhar. Essa é a foto mais emblemática que existe no livro e é a mais comentada e querida por todos, emoção que se eternizará para sempre no livro de Daniel e especialmente no coração de cada torcedor do Timão. Agradeço ao fotógrafo do Chelsea por essa recordação.
 

Eu e Daniel Augusto Jr Foto: Vicky Comunale
.
 
 E numa tarde tão especial como esta, amigos não podiam faltar. Durante a semana avisei minha querida e grande amiga "gêmea" Vicky, Corinthianíssima como eu. E não é que ela foi mesmo? Acompanhada por sua amada e simpática mãezinha.
Após sairmos, fizemos um tour pela belíssima loja do clube. E enquanto minha amiga conhecia tudo, batemos um papo animado e agradável. Alguém arrisca o assunto? (risos)


Autógrafo de Daniel Augusto Jr em meu livro
 
Como foi bom ver você minha querida e não poderia haver lugar mais bonito e apropriado para nos encontrarmos. E obrigada também por permitir que use suas fotos nesse post que também é dedicado à você.
E Daniel, que venham outros títulos e outros livros muito em breve. Adorei conhecê - lo. Um grande beijo.




Vicky (acompanhada por sua mãe) e eu antes do evento

 
 

Vicky e Daniel Augusto Jr
 
Eu e Vicky na loja do Corinthians