My name is Patthy... Bondgirlpatthy

Bem - vindos ao meu cantinho virtual . A "casa" está sempre aberta à todos que queiram vir aqui ler e comentar meus posts. Este blog não tem compromisso jornalístico portanto não tem compromisso com a imparcialidade. Mas o meu compromisso com a democracia continua. Aqui toda opinião é importante e respeitada. Fiquem à vontade, a "casa" é de vocês. Voltem sempre q quiserem . Um beijo com muito carinho e obrigada.


quarta-feira, 17 de setembro de 2014

A vingança da SMERSH








James Bond 007: Personagem fictício de Ian Fleming (1908 - 1964)




Em uma bela e suntuosa mansão no coração nobre de São Paulo, uma rica e solitária senhorita vagueia em seus pensamentos.

Em suas lembranças, um grande amor que marcou sua vida. Fazia um frio insuportável mas a casa estava fechada e aquecida.

De repente, a senhorita da casa sentiu um inexplicável arrepio. O som do CD de Roberto Carlos que tocava se rompe com o toque desesperado da campainha. Ela se levanta para atender. Era Domingo e os empregados estavam de folga.

Quando abriu a porta, seus olhos mal acreditavam no que estavam vendo. Wai Lin, a mais famosa espiã da China que no passado fora rival da rica senhorita pelo amor de um lindo homem.

Educadamente, a senhorita convida Wai Lin para entrar e depois da chinesa se acomodar no sofá da grande sala e desligar o som que ainda tocava, as explicações da visita inesperada começam a cair como uma bomba prestes a explodir:

-Patthy, tive que passar por cima do meu orgulho e vir aqui lhe implorar por ajuda!

Surpresa, Patthy fica parada, não move um só dedo mas quer saber mais detalhes e pede que Wai Lin prossiga. Depois de um silêncio muito breve, a espiã conta de uma vez o que aconteceu.

-Não soube ainda? Hoje pela manhã James Bond foi raptado pelos russos, pelo exército da Coronel Rosa Klebb.

Patthy sente seu coração pulsar violentamente. A verdade é que ela jamais esqueceu aquele inglês alto, charmoso, de olhos azuis como o céu que roubara seu coração desde a primeira troca de olhares em Londres.

-E o MI-6 já sabe?

-O pior é que não dá para fazer nada. O MI-6 foi tomado pelos capangas de Goldfinger. Ele se aliou à Rosa Klebb e aos russos. Ninguém sabe onde estão M e Miss Moneypenny.

Percebendo a urgência do caso, decidiu agir rápido. Correu para pegar seu helicóptero particular, juntamente com Wai Lin, sem malas. Apenas com a roupa do corpo.

Ambas voaram para a Inglaterra. Chegando lá, os jornais já estampavam o sequestro de 007 nas principais manchetes. Sem perda de tempo, foram direto para o MI - 6. Os capangas de Goldfinger receberam as duas com muita hostilidade mas sem agressão.

Wai Lin arrombou a porta com um golpe certeiro de artes marciais.

Patthy, consumida por uma ira que queimava seu corpo e ardia em seus olhos já começou a dar ordens:

-Seu imbecil, sei que Goldfinger está aí dentro! Ande logo e vá chamar seu patrão logo seu idiota! Exijo falar com aquele bolha agora!

Os gritos eram imperativos e altíssimos, saídos das profundezas das entranhas da rica senhorita que Goldfinger ouviu de longe, mesmo com o isolamento acústico forte no MI-6.

-Ojobb seu incompetente! Quem é essa doida gritando e exigindo minha presença?

Antes mesmo que o vilão respondesse, Wai Lin já foi falando:

-Viemos aqui para libertar James Bond e ninguém vai nos impedir de resgatá -lo

-Ora ora - disse Goldfinger - Só me faltava essa: uma chinesa carateca e uma baixinha inconveniente vieram para me enfrentar. Desistam! Vocês nunca mais irão ver James Bond - E soltou uma risada macabra e sonora.

A frase despertou a ira das antigas rivais que agora estavam unidas. Mais provocações vieram com a mesma frieza:

-Esse 007 tem sorte - continuou ele - Vejam só: duas mulheres tolas tentando salva - lo. Ele não é bobo. Admitamos caro Ojobb que ele sabe escolher.

Aproximando - se de Wai Lin, Goldfinger foi logo tentando tomar certas liberdades com um olhar cheio de atrevimento. A chinesa tirou as mãos dele de seu pescoço, levemente inclinadas em direção ao colo. Com um golpe perfeito, imobilizou o vilão.

Ojobb tentou agarrar Patthy e ela acertou um belo tapa na cara do capanga. Fugiu dele e entrou com tudo, tal qual um foguete pelo interior do MI-6. Não haviam obstáculos que pudessem deter sua fúria.

Num dado momento, ela se encontrou face a face com Rosa Klebb. Olhando no fundo dos olhos da coronel, disse com toda fúria que a consumia por dentro:

-Se pensa que esse rapto vai ficar assim está muito enganada. Conheço seus passos desde Moscou. Sei de seus truques e vou salvar o meu amor nem que isso custe a minha própria vida!

As duas se pegaram numa luta. Patthy já estava quase vencida quando Wai Lin surge do nada e acerta um chute na coluna de Rosa Klebb, o que lhe custou algumas vértebras quebradas. A vilã caiu gritando e não se levantou mais. Goldfinger e Ojobb reapareceram para socorrer Klebb.

Wai Lin lutou com eles. Ojobb caiu morto e Goldfinger já ia fugindo quando Patthy o perseguiu, capturou e amarrou com umas cordas que achou por ali. Em seguida, torturou o vilão até que ele confessasse:

-Está certo baixinha, eu falo. James Bond está trancado na câmara de tortura. Ninguém que tenha entrado saiu de lá... vivo.

Patthy chama por Wai Lin e ambas vão até o esconderijo de Goldfinger onde 007 está trancado. Os capangas dos vilões lutam em vão com elas. Um deles pega uma pistola e atira em Wai Lin. Patthy a socorre. E mesmo ferida em seu corpo e em seu orgulho de mulher, esquece a rivalidade e diz:

-Prossiga, entendi que ele te quer. Faça o que for preciso. Ficarei bem.

Patthy corre até lá. Com uma barra de ferro bate até arrombar a porta. Uma enxurrada de água a arrasta para fora. Exímia nadadora, a senhorita vai vencendo a água, até que chega ao amado e o liberta. Ele quase não tem força e nada amparado à sua salvadora.

Horas depois, James Bond e Patthy visitam Wai Lin que se recupera bem depois que retirou a bala. M e Miss Moneypenny também estavam lá. ~Só souberam no avião quando voltaram das férias no Havaí.

Moneypenny pergunta à 007 os detalhes minusciosos. Ia saindo disfarçado com Patthy e respondeu:

-Não posso dar detalhes agora. Tenho pressa.

E, abraçando Patthy com carinho e suavidade, falou em seu ouvido com uma voz linda:

-Venha comigo querida. Vou mostrar a gratidão de alguém que tem a vida salva.




Fim





Dedicado à Comunidade 007 Brasil e à memória de Ian Fleming







   










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixem sua opinião aqui. Ela será lida e respeitada