My name is Patthy... Bondgirlpatthy

Bem - vindos ao meu cantinho virtual . A "casa" está sempre aberta à todos que queiram vir aqui ler e comentar meus posts. Este blog não tem compromisso jornalístico portanto não tem compromisso com a imparcialidade. Mas o meu compromisso com a democracia continua. Aqui toda opinião é importante e respeitada. Fiquem à vontade, a "casa" é de vocês. Voltem sempre q quiserem . Um beijo com muito carinho e obrigada.


quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

De volta ao mundo de Crhistian Grey: um outro olhar sob quarto de jogos



Ha algum tempo, quando terminei de ler a trilogia 50 Tons de Cinza, um pensamento ficava ecoando em minha curiosidade: "Já conheço a visão pelo angulo de Ana Steele mas pouco sei sobre o charmoso e misterioso Christian Grey, por que?" 
E me parece que não fui a única pessoa entre os milhares de leitores espalhados pelo mundo. A própria autora, E. L. James também percebeu isso quando recebeu uma enxurradas de pedidos para reescrever a estória só que desta vez, sob o olhar cinzento de Christian. 
O livro com essa visão da estória foi então lançado este ano, pondo fim no grande mistério sombrio por trás da personalidade do milionário maníaco por controle que, literalmente, dominou o mundo literário e o imaginário de "Anas Steeles" comunicando - se em vários idiomas. 
Quando o livro foi lançado em junho do ano passado no exterior, comecei a criar expectativas para saber, finalmente, como tudo aconteceu sob um outro olhar. Será que vão lançar em português? Tomara. 
Aguardei ansiosa e acompanhava tudo q era notícia. Até que em setembro do mesmo ano, a espera acabou. Fiquei "monitorando" o preço até que em agosto deste ano, finalmente, Grey veio para minhas mãos. E finalmente pude ler o que diziam os lindos, misteriosos e cinzentos olhos de Christian. 
Uma sensação boa tomou conta de mim quando li o primeiro capítulo. E a cada capítulo, contado de um novo angulo, a sensação boa se repetia. A curiosidade, o espanto, enfim... Aos poucos, assim como aconteceu com a leitura da trilogia, a Ana Steele que adormecia dentro do meu imaginário acordava. Mas desta vez para ficar sentadinha em frente a uma lareira numa noite de inverno "ouvindo Christian" entre um e outro gole de chá. Reconfortante, eu diria. 
Esta visão, para muitos pode parecer chata e monótona. Mas para mim é interessante.
Toda história, seja real ou ficção tem dois lados. E no caso da ficção, conhecemos apenas um dos lados. E eu estava curiosa para saber o olhar de Christian sob o quarto de jogos, suas sensações, seus medos. E foi legal conhecer essa visão.
Li algumas críticas reclamando que o livro tinha muita coisa "repetida". Mas o que as pessoas queriam? Elas são repetidas porque precisam ser, afinal é a mesma história contada por outra pessoa, com sua visão dos fatos. 
Muito melhor e mais empolgante do que um filme que para mim não funcionou. Esse livro tinha que continuar a ser livro. Nunca deveria ter sido adaptado. Tanto que não verei as continuações. Talvez veja reportagens e um ou outro trailer mas nada além disso. 
Achei uma boa sacada da E. L. James contar duas versões de um mesmo fato. Ousado. E, na minha opinião ficou na medida certa. Se isso pede continuações? Talvez pois de minha parte, a curiosidade já foi bem mais do que saciada. E com certeza, daqui a algum tempo, terei prazer em reler tudo e mergulhar novamente neste mundo fascinante de Christian Grey. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixem sua opinião aqui. Ela será lida e respeitada