My name is Patthy... Bondgirlpatthy

Bem - vindos ao meu cantinho virtual . A "casa" está sempre aberta à todos que queiram vir aqui ler e comentar meus posts. Este blog não tem compromisso jornalístico portanto não tem compromisso com a imparcialidade. Mas o meu compromisso com a democracia continua. Aqui toda opinião é importante e respeitada. Fiquem à vontade, a "casa" é de vocês. Voltem sempre q quiserem . Um beijo com muito carinho e obrigada.


quarta-feira, 6 de maio de 2009

Um dia q enquanto eu viver, nunca mais esquecerei

Gugu Liberato e eu no Domingo Legal em 04/09/1994 Foto: Moacyr dos Santos/ SBT



Em 29/11/1992, vivi o dia mais feliz da minha vida como fã. Estranhamente, aquele dia estava especial e lindo, não só devido ao tempo bom e ensolarado mas por algo misterioso preparado pelo destino.

Raramente vou ao Playcenter ou a qualquer parque, pois não gosto de brinquedos altos, mas naquele dia resolvi ir com minha mãe para assistir ao show da caravana de Gugu Liberato. Levei para o show um cartaz com o seguinte dizer: "meu sonho é ganhar um beijo seu". Na hora que ele entrou no palco, todo vestido de preto e vermelho, me enchi de coragem e gritei seu nome. Depois de saudar o público ele leu meu cartaz, jogou-me um beijo e prometeu que eu iria subir ao palco para chegar perto dele. O show foi correndo em sua normalidade e ele nunca me chamava. Ergui novamente o cartaz e quando ele viu o cartaz, me disse que não havia se esquecido da promessa que havia me feito.



Mais ou menos no meio do show, quando o cantor Marcelo Augusto fazia seu número musical, Gugu aproximou-se de seu segurança na lateral do palco e mandou que ele me ajudasse a chegar até o palco descrevendo, inclusive, a roupa que eu estava usando: blusa rosê, calça jeans e colete de couro. O segurança me levou até a lateral do palco e ajudou-me a subir levando a pasta de poemas de minha autoria que eu iria entregar a Gugu. Subi numa escada alta e rústica, mas o amor e a felicidade que eu sentia superaram o medo de altura.


Cheguei ao palco e chamei por Gugu. Ele, muito carinhoso, recebeu-me de braços abertos. Abraçou-me bem apertado e me deu mais de 15 beijos. Entrei num estado de felicidade sem igual. Depois, ele tornou abraçar-me forte. Senti seu calor e as batidas ritmadas de nossos corações. Chorei de emoção quando ele tocou meus cabelos. Ainda abraçados, ele me mostrou uma visão ao mesmo tempo linda e assustadora. Mais de 200 mil pessoas. Depois, a equipe dele permitiu que eu assistisse ao show dali mesmo do palco. Fiquei ao lado do diretor Roberto Manzoni, o Magrão.


No encerramento do show Gugu costumava dançar a música Baile dos Passarinhos e eu pedi se podia dançar com ele. Magrão permitiu e eu dancei toda a coreografia sem errar um passo, lado a lado com meu ídolo. Na coreografia, há uma parte que se dança em pares e pela ordem meu par foi exatamente o Gugu. Ele dançava rápido, mas consegui acompanhar seu ritmo. Quando nos despedimos foi difícil ter que deixá-lo.


Infelizmente não tenho nenhuma prova, pois na época eu não tinha máquina fotográfica. Tudo o que tenho daquele dia, além da lembrança é a minha blusa e meu colete de couro. As belas imagens ficaram gravadas para sempre na minha mente e no meu coração. Pena que o tempo não volte porque senão eu viveria este momento por toda a eternidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixem sua opinião aqui. Ela será lida e respeitada